Borba. Passos Coelho colocou primeira pedra no centro de apoio a deficientes profundos

Seg.16Jul.201217:10

Depois da abertura oficial do Global Stone Congress, o Primeiro-ministro rumou a São Tiago Rio Moinhos (Borba), onde colocou a primeira pedra no centro de apoio a deficientes profundos.

Pedro Passos Coelho destacou a importância da nova valência para as pessoas mais desprotegidas.

Manuel Lemos, presidente da União das Misericórdias Portuguesas (UMP), naturalmente satisfeito, agradeceu ao Governo e CM Borba, na concretização do projeto.

Na sua intervenção, o presidente do município de Borba, Ângelo de Sá, disse não ter hesitado quanto à construção do centro de apoio a deficientes profundos.

Na cerimónia, Ângelo de Sá foi condecorado pela UMP, com a medalha de membro benemérito.

Entre vários ilustres locais e regionais, estiveram também presentes na cerimónia os ministros da Economia, Álvaro Santos Pereira, e da Solidariedade Social, Pedro Mota Soares.

A unidade da União das Misericórdias Portuguesas (UMP), envolve um investimento de quatro milhões de euros, tendo um financiamento de até 85 por cento do Programa Operacional Potencial Humano.

Compreende um lar residencial, que pode receber 76 pessoas com grau de deficiência elevado, e um centro de atividades ocupacionais. O centro vai criar entre 80 a 100 postos de trabalho directos e fica localizado numa herdade junto ao padrão de Montes Claros, na estrada que liga Bencatel a Estremoz.

Este será o terceiro centro de apoio a deficientes profundos estabelecido em território nacional, depois de Fátima e Viseu.