24.3 C
Vila Viçosa
Quinta-feira, Julho 18, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

Casa de Bragança homenageia maior Poeta da Língua Portuguesa: “Camões é fator de união na Pátria e deve ser celebrado”diz Pres. da FCB(c/fotos)

Vila Viçosa, 22 de junho de 2024 – A Fundação da Casa de Bragança assinalou este sábado os 500 anos do Nascimento de Luis Vaz de Camões .

A data foi celebrada com a inauguração de a exposição bibliográfica “500 anos do nascimento de Luís Vaz de Camões e com o concerto “camonianas” de Rui de Luna e Banda da Armada, na igreja dos Agostinhos.

João de Azevedo, Presidente da Fundação da Casa de Bragança, presidiu à inauguração da exposição, que contou ainda com a presença de várias entidades, entre elas o Presidente da Câmara Municipal de Vila Viçosa, Dr. Inácio Esperança.

Em declarações à Rádio Campanário, o Presidente da FCB realçou a importância da Fundação celebrar os 500 anos do nascimento do maior Poeta da língua portuguesa em Vila Viçosa através de uma exposição que acima de tudo mostra quem era Camões, os seus interlocutores, interesses e o tempo em que viveu. João de Azevedo começou por referir “Camões está intimamente ligado à história de Portugal e é um fator de união na nossa Pátria”realçando “a Fundação não podia deixar de fazer esta exposição , dada a sua responsabilidade de ter um dos maiores espólios Camoniana do Mundo ” . O responsável garante ainda que vai desenvolver todos os esforços para que esta exposição “vá até Lisboa para abranger um público maior .”

O Presidente da FCB deixa o apelo aos Calipolenses “para que vão ver a exposição” explicando que a mesma estará patente ao público até final do ano e que vai passar a ser parte integrante das visitas ao Paço Ducal “para que todos os visitantes possam também ter um pouco a noção do espólio que a Fundação tem, que Portugal tem e que está depositado à guarda da FCB.”

No que diz respeito ao Concerto, o Presidente João de Azevedo destaca que os concertos ali realizados “têm tido muita afluência de público” mostrando, como refere “que esta foi sempre uma casa da cultura mas também da música e queremos manter essa tradição e acolher todos os tipos de expressão musical nesta Igreja.”

Recorde-se que a Fundação da Casa de Bragança é é proprietária de uma das poucas “camonianas” completas composta por todas as edições feitas em Portugal e no mundo até 1800.

Populares