O Museu Municipal de Portalegre te patente desde o passado dia 17 de janeiro, uma exposição comemorativa dos seus cem anos de existência, mostrando as peças do seu núcleo inicial.

Criado em 1901 por proposta do Dr. Severino Sant’Anna Marques – à época Presidente da Assembleia Municipal de Portalegre – o Museu Municipal é inaugurado a 21 de dezembro de 1918, numa sala do edifício da Câmara Municipal, com um acervo muito reduzido, mas de grande qualidade artística.

Depois de uma breve passagem pelo Mosteiro de São Bernardo, é transferido em 1961 para o edifício onde ainda hoje se encontra, sendo possuidor de um espólio que tem vindo a crescer ao longo dos anos.

Após a remodelação do edifício e com um novo programa museológico, reabriu ao público em 2012.

Na manhã deste sábado (19 de janeiro), um veículo ligeiro de mercadorias incendiou-se na Estrada Nacional 18 (km 246), entre Évora Monte e Azaruja, freguesia de São Bento do Mato.

Segundo informações do Comando Distrital de Operações do Socorro de Évora, o alerta foi dado pela 10h04, não tendo resultado quaisquer feridos do incidente.

A mesma fonte adianta que o veículo não carregava mercadoria à altura, sendo desconhecidas a causa do incêndio.

Tendo o trânsito sido temporariamente interrompido, no local estiveram os Bombeiros Voluntários de Évora, e a GNR, num total de 2 veículo e 6 operacionais.

A CIMAC (Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central) participa no projeto Life myBUILDINGisGREEN, um projeto europeu inovador de aplicação de Soluções Baseadas na Natureza (NBS - Nature-Based Solutions), que considera a vulnerabilidade às alterações climáticas de edifícios devido às altas temperaturas atingidas no seu interior, nos meses de primavera e verão, e as repercussões para a saúde de quem os frequenta.

Estudos já desenvolvidos, como o Plano Intermunicipal de Adaptação às Alterações Climáticas do Alentejo Central (PIAAC-AC), desenvolvido pela CIMAC entre 2017-2018, apontam para ondas de calor cada vez mais frequentes e alterações significativas na transmissão das doenças infeciosas devido às alterações climáticas, resultando num aumento dos riscos para a saúde e bem-estar humano.

De fato, a alteração climática coloca pressão sobre as nossas infraestruturas, não só nos edifícios de educação pública e serviços sociais, mas também sobre vários serviços, tais como os nossos sistemas de saúde. Este facto é já evidente durante as ondas de calor, onde as temperaturas dentro destas edificações atingem 32°C durante os meses de maio a outubro, causando sérios problemas de saúde e stress térmico para crianças, idosos e deficientes - grupos considerados de risco.

Sublinha-se que em Espanha e Portugal, muitos dos centros de educação e serviços sociais foram construídos antes da regulamentação básica das condições térmicas.

O projeto europeu LIFE-myBUILDINGisGREEN, é financiado pelo Programa LIFE (LIFE17 CCA / ES / 000088), e tem como objetivo o estudo da aplicação de “soluções baseadas na natureza” (NBS) para a resolução do problema. O Projeto tem a duração de 4 anos, é coordenado pelo Real Jardin Botanico (RJB-CSIC) tendo como participantes o Centro de Tecnologia CARTIF de Valladolid, a Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central (CIMAC), o Município do Porto e a Diputación de Badajoz.

O projeto pretende analisar o impacto das soluções baseadas na natureza como medidas de adaptação às alterações climáticas em três edifícios-piloto, duas escolas e um centro de serviços sociais. Assim, promover-se-ão medidas de adaptação sustentáveis baseadas nos ecossistemas, incrementando a capacidade de aplicar o conhecimento adquirido na prática através da demonstração e disseminação de workshops.

Importa realçar que os edifícios a abranger nesta operação são ocupados por estudantes e profissionais da educação de todos os níveis, por profissionais de serviços sociais e pelo público em geral que ocupa, regularmente, estes centros entre 70 e 75% do seu tempo.

Assim, serão instalados protótipos de NBS em fachadas e divisórias, telhados, superfícies externas e estacionamentos de cada edifício-piloto selecionado. Além disso, esta instalação será complementada pela implementação de medidas sustentáveis de ventilação natural induzida, sombreamento sazonal (natural e artificial) e a escolha de espécies nativas das áreas do Mediterrâneo e do Atlântico.

Com este projeto, é expectável uma melhoria significativa no conforto térmico dos cidadãos. As medidas adotadas podem ser replicadas noutros edifícios.

A Fundação da Casa de Bragança, na pessoa de Maria de Jesus Monge, diretora do Museu-Biblioteca da Casa de Bragança, estará segunda-feira (21 de janeiro), em Lisboa, para proceder à apresentação pública da programação das comemorações do bicentenário do nascimento da rainha D. Maria II, e do respetivo site.

A exposição "Dona Maria da Glória (1819 -1853): um registo intimista”, estará patente na Torre do Tombo, na capital portuguesa, até 06 de abril, e apresenta documentos do cartório da Casa Real, "nomeadamente alguma da correspondência trocada no seio familiar desta jovem princesa que tendo nascido no Brasil veio a ser a rainha de Portugal", segundo comunicado do Arquivo Nacional da Torre do Tombo (ANTT).

O Paço Ducal de Vila Viçosa é o assento territorial da Casa de Bragança desde a sua construção inicial em 1501. A subida ao trono, em 1640, do 8º duque D. João, implicou a mudança de residência da família, mas não alterou o estatuto deste espaço. Após o regresso do Brasil, o Paço continua a ser visitado e vivido como ‘casa de família’. A Fundação da Casa de Bragança assumiu o desafio de contar a história da duquesa de Bragança, Dona Maria da Glória, através dos espaços, coleções e fundos do Museu-Biblioteca da Casa de Bragança.

A Força Aérea Portuguesa atribui a Medalha de Mérito Aeronáutico de 1ª Classe ao Comendador Rui Nabeiro, administrador do Grupo Nabeiro Delta Cafés.

A cerimónia decorre este sábado, 19 de janeiro, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Campo Maior, pelas 19h, sendo a entrega pelo Chefe de Estado Maior da Força Aérea.

Esta é uma medalha militar portuguesa, destinada a galardoar os militares e civis, nacionais ou estrangeiros que, no âmbito técnico-profissional, revelem elevada competência, extraordinário desempenho e relevantes qualidades pessoais, contribuindo significativamente para a eficiência, prestígio e cumprimento da missão da Força Aérea Portuguesa.

 

A Praça da República, em Elvas, é o cenário escolhido para a transmissão do programa “Aqui Portugal”, da RTP, no próximo dia 26 de janeiro (sábado), ao longo de todo o dia, com apresentação de Joana Teles, Hélder Reis e Catarina Camacho.

"...das 34 unidades, em exploração ou abandonadas, a precisarem de intervenção imediata (“nível de prioridade elevado”), 21 estão na planície alentejana (contra seis no Norte, quatro no Centro, duas em Lisboa e Vale do Tejo e uma no Algarve). Nada é fruto do acaso, claro. Das 308 pedreiras das classes 1 e 2 existentes no Alentejo — as duas de Borba envolvidas na derrocada são de classe 2, pois tendo menos de 25 hectares possuem, entre outras características, profundidades superiores a 10 metros —, só 9%, ou seja, uma em cada dez, estão devidamente licenciadas. Uma em cada quatro (26%) estão em fase de licenciamento; e praticamente dois terços (64%), embora licenciadas, “não cumprem as atuais obrigações administrativas de licenciamento”.

Noutro parâmetro, também o Alentejo está no fundo do poço. Nas mais de três centenas de pedreiras da região, em cerca de metade (48%) a atividade está “suspensa sem autorização ou abandonada”. E olhando para a suspensão ou abandono somente nas 191 pedreiras em estado crítico, dos 28 casos em todo o país 17 encontram-se no Alentejo. Uma derrocada como a de Borba pode ocorrer em qualquer lado, mas as probabilidades são sempre maiores numa região com os indicadores do Alentejo".
 

Fonte: jornal Expresso 

Sexta-feira, dia 18 de janeiro, foi inaugurada a fachada do futuro Museu da Coleção Berardo, no Palácio Tocha , em Estremoz.

O Comendador Joe Berardo convidou amigos e os principais intervenientes da obra a decorrer, para uma visita à reconstrução do Palácio Tocha, cuja abertura está prevista para o final do verão de 2019. O vice-presidente do Município de Estremoz, Francisco Ramos, agradeceu pessoalmente ao empresário a sua vinda para Estremoz, demonstrando o agrado na recuperação do edifício e na criação de mais um museu para a cidade, que em muito irá aumentar o seu já elevado nível cultural.

Para Estremoz virão algumas das coleções particulares do empresário e colecionador de arte Joe Berardo, além dos cerca de 1.500 painéis que integram a coleção de azulejos, com exemplares do século XV até à atualidade.

A gestão deste museu vai ser concretizada através de uma parceria entre a Coleção Berardo e o Município de Estremoz.

A nova Ligação Ferroviária entre Évora Norte e Elvas/Caia, da Linha de Évora, troço Évora Norte–Freixo foi conhecida através de Diário da República 2.ª série, N.º11, 16 de janeiro de 2019.

O secretário de Estado das Infraestruturas, Guilherme d’Oliveira Martins assinou o despacho onde fica claro, que o traçado definitivo é o que representa a hipótese dois.

A Agência Portuguesa do Ambiente (APA), apresenta como opção este traçado que representa uma distância intermédia à cidade de Évora.

Recorde-se que esta tem sido a opção mais contestada pela Câmara e  Assembleia Municipal de Évora e pelas comissões de moradores das zonas por onde a ligação vai passar.

A Câmara Municipal de Évora, em nota chegada à nossa redação, manifesta  a sua posição sobre a linha ferroviária, afirmando “não ter recebido mais informações oficiais sobre o projeto nem quaisquer reações à moção aprovada pela Assembleia Municipal que defendia que o Governo considerasse, antes da decisão final, o traçado número três por ser aquele que menos penaliza as populações”.

A construção desta nova linha ferroviária entre Évora e a fronteira do Caia terá uma extensão total de cerca de 100 quilómetros, 80 dos quais de construção nova, em via única eletrificada que custará mais de 500 milhões de euros. O arranque das obras estava agendado para março de 2019 e a sua conclusão programada para o primeiro trimestre de 2022.

 

A Inspecção Geral de Actividades Culturais notificou hoje os concorrentes para o Corpo de Delegados Técnicos Tauromáquicos – Diretores de Corrida dos resultados finais do concurso.

Dos 13 novos delegados admitidos 4 ficam no Alentejo:

Maria de Jesus Graça Florindo, Domingos Manuel Jeremias Ramalho, Lindolfo Manuel Caetano Patrício e Marco António Espírito Santos Meneses Cardoso.

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Janeiro 2019 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31