A Universidade de Évora e o Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente (GEOTA) assinaram um protocolo de colaboração mútua no início do mês de janeiro com o intuito de ser feita uma cooperação entre os projetos de conservação que ambas as entidades coordenam  na serra de Monchique.

A universidade de Évora coordena o Life-Relict, este que é um projeto que existe com o propósito de conservar um dos habitats mais raros da Europa e um dos mais únicos na serra de Monchique. O Life-Relict tem como principal objetivo a conservação das comunidades arborescentes de espécies lauróides.

O GEOTA tem a seu cargo o projeto Renature Monchique, que pretende restaurar os principais habitats da Rede Natura 2000 que foram afetados pelo incêndio de 2018, considerado o maior de Europa, onde mais de 27 mil hectares foram consumidos.

O Município de Vendas Novas irá inaugurar no próximo dia 3 de fevereiro, pelas 11h30, na Biblioteca Municipal, o “Espaço Cidadão”, cuja cerimónia irá contar com a presença da Ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão, e da Ministra da Cultura, Graça Fonseca.

O Espaço Cidadão irá permitir o acesso a mais de 60 serviços da administração central, reunindo 15 diferentes entidades num único balcão. No mesmo local vai ser possível renovar a carta de condução, solicitar a chave móvel digital e pedir a certidão de registo criminal. Também será possível auxiliar noutros serviços on-line como marcar uma consulta de saúde, pedir de autorização de receitas crónicas, registar um contrato de trabalho, renovar o cartão de cidadão para maiores de 25 anos, entre muitos outros serviços.

A entrada em funcionamento deste Espaço irá aproximar a população de um maior número de serviços, facilitando a sua vida e valorizando o seu tempo, evitando algumas deslocações fora do Concelho.

O Município de Vendas Novas irá inaugurar no próximo dia 3 de fevereiro, pelas 11h30, na Biblioteca Municipal, o “Espaço Cidadão”, cuja cerimónia irá contar com a presença da Ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão, e da Ministra da Cultura, Graça Fonseca.

O Espaço Cidadão irá permitir o acesso a mais de 60 serviços da administração central, reunindo 15 diferentes entidades num único balcão. No mesmo local vai ser possível renovar a carta de condução, solicitar a chave móvel digital e pedir a certidão de registo criminal. Também será possível auxiliar noutros serviços on-line como marcar uma consulta de saúde, pedir de autorização de receitas crónicas, registar um contrato de trabalho, renovar o cartão de cidadão para maiores de 25 anos, entre muitos outros serviços.

A entrada em funcionamento deste Espaço irá aproximar a população de um maior número de serviços, facilitando a sua vida e valorizando o seu tempo, evitando algumas deslocações fora do Concelho.

O Comando Territorial de Beja, através do Núcleo de Investigação Criminal de Moura, ontem, dia 28 de janeiro, deteve seis pessoas, quatro homens e duas mulheres, com idades compreendidas entre os 25 e os 47 anos, por furto de azeitona, no concelho de Serpa.

Após uma denúncia efetuada pelo proprietário de um olival, os militares deslocaram-se de imediato para o local, conseguindo surpreender os indivíduos no momento em que se encontravam a furtar a azeitona com recurso a máquinas de apanha manuais. No seguimento das diligências policiais, foi possível apurar que os indivíduos tinham dois veículos no olival, um dos quais com grande capacidade de carga, para efetuar o transporte do produto furtado. Para além das duas viaturas que foram apreendidas, foram também apreendidos vários utensílios utilizados para a apanha de azeitona e 708 quilos de azeitona que foram devolvidos ao seu legítimo proprietário.

Os detidos foram constituídos arguidos e os factos foram comunicados ao Tribunal Judicial de Serpa.

A ação contou com ao reforço do Posto Territorial de Moura.

Depois de receber o parecer vinculativo positivo por parte da Comissão Municipal de Defesa da Floresta e do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, o Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios de Sousel 2020-2029 está disponível para consulta e audição pública, no prazo de quinze dias a contar do dia 23 de janeiro. As peças poderão ser consultadas no portal do Município de Sousel, em www.cm-sousel.pt, no Serviço de Atendimento, e no Gabinete Técnico Florestal da Câmara Municipal.

Os contributos a serem enviados pela população, deverão ser remetidos ao Presidente da Câmara Municipal de Sousel, e entregues ou enviados via postal, para o endereço: Praça da República, 7470-220 Sousel ou para o endereço de correio eletrónico: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar..

Qualquer contributo poderá ser enviado até dia 13 de Fevereiro, devendo os mesmos conter a identificação completa do subscritor.

De 30 de janeiro a 2 de fevereiro o Município de Grândola leva a Elvas o que de melhor se faz por cá. 

Surf, doçaria, vinhos e música do nosso concelho vão marcar presença na 1ª edição da Expo-Alentejo que se realiza no Centro de Negócios Transfronteiriço de Elvas com a participação de 22 autarquias e cerca e 80 expositores.

A iniciativa do Município de Elvas pretende ser uma mostra das diferentes áreas económicas da região. Gastronomia, artesanato, cultura, produtos endógenos, oferta turística, indústrias tradicionais e inovadoras, agricultura e projectos agrícolas são os temas que farão parte integrante do evento.

No stand dinamizado pelo Município de Grândola, situado na nave 3, dar-se-á a conhecer aos visitantes as características ímpares do nosso território.

O espaço do Município vai contar com a participação das escolas de surf - Imagine Surf School e Surf in Comporta no dia 31. O sábado, dia 1, será dedicado à doçaria com destaque para o showcooking com Natividade Silva que irá confeccionar queijadas de batata-doce, um produto endógeno do concelho. No último dia do certame além da presença dos produtores de vinho do concelho, está agendada a atuação do grupo de música “Falta Um” no palco de atuações.

O deputado João Oliveira, eleito pelo círculo de Évora da CDU à Assembleia da República, no seu comentário desta quarta-feira, 29 de janeiro, abordou as propostas apresentadas pelos partidos para o Orçamento do Estado, a questão do IVA na eletricidade, a medida do Tribunal de Contas que impede os hospitais de adquirirem medicamentos, as polémicas declarações de André Ventura sobre a deputada do Livre e ainda a situação do hacker Rui Pinto.

Em termos do Orçamento do Estado, João Oliveira refere que “o PCP apresentou 287 propostas”, acrescentando que “é fácil de compreender a necessidade de todas essas propostas”.

O deputado aponta “propostas de contratações na GNR e PSP, investimento na saúde, apoios para a cultura, agricultura e pescas, são fáceis de compreender”.

João Oliveira considera que “as propostas não desvirtuam o Orçamento, fundamentalmente corresponde às necessidades do país”. O deputado dá conta de que “as votações ainda não começaram, mas algumas das propostas já têm caminho aberto para a aprovação, nomeadamente os aumentos nas pensões”.

O deputado esclarece que “já discutimos algumas destas propostas com o Governo e já nos disseram que estão de acordo com elas”.

Na proposta concreta sobre a descida do IVA na eletricidade, o deputado considera que “a ideia de uma maioria negativa só cabe na cabeça do Governo”.

João Oliveira afirma que “não compreendemos como é que descida do IVA da eletricidade possa ser negativo”, acrescentando que “não podemos começar a falar em maiorias negativas de cada vez que o PS for derrotado na votação”.

Para o deputado “se os resultados para as pessoas forem bons, as maiorias nunca podem ser negativas”.

Quando questionado sobre uma eventual votação em conjunto com o PSD, João Oliveira refere que “a proposta que vai ser votada era do PCP e nós queremos que ela seja aprovada, não temos problema nenhum que venha a ser com os votos de outros partidos”. O deputado esclarece ainda que “a proposta do PSD só chegará a ser votada se a do PCP não for aprovada”. Caso a proposta do PCP não seja aprovada “estamos a avaliar quer a proposta do PSD quer a do BE, pois as propostas são todas diferentes”.

Sobre a medida do Tribunal de Contas que impede hospitais com saldo negativo de comprarem fármacos, João Oliveira lembra que “no final dos anos 90 aconteceu uma situação parecida, em que o Tribunal de Contas impedia os hospitais de lançarem concurso para a aquisição de medicamentos”.

Para o deputado “essa ideia de impedir os hospitais de comprar medicamentos por questões orçamentais é uma ideia de burocratas”, acrescentando que “obviamente se os hospitais compram medicamentos é porque precisam deles, certamente que não será para fazer stocks”.

João Oliveira considera que “o Tribunal de Contas tem de ter bom senso e perceber que não pode levar por diante esta decisão, por outro lado é absolutamente necessário que se reforcem os orçamentos possibilitando assim aos hospitais adquirirem os medicamentos”.

Naquilo que concerne ás declarações de André Ventura sobre a proposta apresentada pelo Livre, o deputado refere que “independentemente da proposta do Livre, penso que todas as propostas devem merecer algum respeito, mesmo que discordemos delas”.

João Oliveira considera que “a proposta do Livre, tem na sua base uma conceção errada”, no entanto “nada justifica declarações como as que foram feitas por André Ventura do CHEGA”.

O deputado considera que “André Ventura alimenta esta polémica, ele faz das polémicas a sua força”, ou seja, “existem pessoas que vão para a Assembleia da República para receber o salário, trabalhar pouco e ter muito paleio, André Ventura é um deles”.

João Oliveira refere que “as considerações que foram feitas sobre a devolução de uma cidadã portuguesa a um outro país qualquer, é algo completamente abjeto, inaceitável e que tem de ser condenado”, acrescentando que “tudo isto comprova que André Ventura e o CHEGA estão na Assembleia da República para a lançar no descrédito total, por forma a que as pessoas pensem que a Assembleia é um circo”.

Na opinião do deputado “o CHEGA e André Ventura vão proliferando as suas incitações ao ódio contra os negros, os ciganos e deficientes”, no entanto, “é curiosos que o André Ventura só se insurja contra aqueles que estão abaixo de nós, ainda ninguém o viu levantar-se contra os banqueiros ou os corruptos”.

Questionado pela RC sobre o caso Rui Pinto, o deputado refere que “uma pessoa que está a ser julgada por crimes nunca pode ser orgulho do país”.

Para João Oliveira “nado nos permite devassar a vida das pessoas”, uma vez que “Portugal não é regime ditatorial, somos um estado de direito, uma democracia onde existem regras, não se pode devassar a vida das pessoas”.

O deputado refere que “temos tido conhecimento de algumas das coisas que o Rui Pinto invadiu, mas quem é que sabe o que mais ele invadiu e devassou?”.

Na passada sexta-feira, 24 de Janeiro decorreu em Évora o XVI concurso de Cultural Geral da RUTIS. Este concurso foi organização da USE – Universidade Sénior de Évora e da RUTIS – Rede de Universidades da Terceira Idade. Participaram 20 Universidades/Academias Seniores de todo o país, tendo a vitória sorrido à Universidade Sénior de Vila Franca de Xira.

Apesar de o concurso decorrer apenas da parte da tarde, o dia começou logo cedo para as Universidades/Academias Seniores, pois a parte da manhã estava dedicada a um passeio pela “cidade museu”. A USE disponibilizou uma série de voluntários para estarem colocados nos monumentos mais emblemáticos da cidade e explicarem um pouco da sua história e da história da cidade aos visitantes. É importante referir que apesar de cada universidade/academia só puder participar com três pessoas, vieram a Évora cerca de 700 pessoas que vieram apoiar os seus participantes e para o programa cultural.

Quanto ao concurso, levou o “caneco” a Universidade Sénior de Vila Franca de Xira, que se impôs na final conseguindo uma pontuação de 13 pontos, batendo por um ponto um conjunto de 4 Universidades Seniores (entre elas a USE). Quanto à próxima edição, ficou agendada para Penela, no distrito de Coimbra, que foi a Universidade Sénior melhor classificada e que nunca organizou o evento anteriormente.

O evento contou com o apoio da Câmara Municipal de Évora e da Fundação Eugénio de Almeida.

Tal como foi noticiado pela Rádio Campanário anteriormente a Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo (CIMBAL) vai participar no projeto CityZen, sendo hoje, dia 29 de janeiro, a partir das 14 horas, dinamizada pela CIMBAL e pela Câmara Municipal de Beja uma sessão de trabalho e primeira reunião da Stakeholders em Portugal relacionada com o projeto Cityzen, esta que promove a agricultura urbana em cinco regiões europeias.

Este projeto terá em vista explorar os valores dos ecossistemas relacionados à agricultura urbana e tem o objetivo de melhorar políticas locais que apoiam novos modelos de negócio. Existe também o objetivo de aumentar os produtores locais, a inovação em cadeias de abastecimento e a mudança de estilos de vida, com a finalidade de se melhorar a sustentabilidade das cidades e regiões.

O projecto Cityzen é financiado pelo Programa de Cooperação Inter-regional INTERREG EUROPE 2014-2020 e decorrerá até Julho de 2023.

A Expo Alentejo decorre em Elvas entre 30 de janeiro2 de fevereiro, próximas quinta-feira e domingo.

 

Do programa, salientamos:

- quinta-feira, dia 30, às 10.30 horas, conferência “Ensino Superior como motor de desenvolvimento regional”;

- quinta-feira, dia 30, às 18 horas, inauguração da Expo Alentejo.

- sexta-feira, dia 31, às 11.30 horas, conferência “A agricultura como motor do desenvolvimento económico do Alentejo”

- sábado, dia 1, às 10 horas, Seminário de Turismo com os temas “”O Turismo Sustentável na Valorização e Dinamização dos Destinos Turísticos” e “Caminhos de Santiago Alentejo e Ribatejo”;

- domingo, dia 2, às 15.30 horas, conferência “Pedras Naturais do Alentejo”.

foto: CM

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Janeiro 2020 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
    1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30 31