05 Dez. 2019
Augusta Serrano;
Fadistices
20:00-21:00

No dia 8 Dezembro (Domingo), Solenidade da Imaculada Conceição, a celebração festiva da Eucaristia, presidida pelo Arcebispo de Évora, D. Francisco José Senra Coelho, será, às 17h, na Sé de Évora. Na mesma celebração decorrerá a Instituição de Leitor de Tiago Carlos, do Seminário Maior de Évora, e a Instituição de Acólito de Rui Faia, do Seminário Maior de Évora, e de Jorge Palácios, do Seminário Redemptoris Mater.

No final da celebração decorrerá a bênção dos Meninos Jesus e o lançamento da Campanha de Natal “10 Milhões de Estrelas”, da Cáritas.

Ontem a Rádio Campanário esteve presente no “Casarão” – Pastoral Universitária de Évora, onde se deu a “Noite C”, atividade mensalmente realizada neste espaço, localizado na Rua do Raimundo em Évora. Ontem, a “Noite C”, teve um convidado muito especial, o mister Fernando Santos, o engenheiro do Euro 2016, conhecido pelo seu testemunho de fé cristã.

A visita do selecionador nacional começou com uma ida à missa pelas 19:15, seguido de um jantar com o padre Fernando Ribeiro, um dos responsáveis pelo Casarão” e com os “caseiros”, jovens envolvidos de forma ativa na Pastoral Universitária de Évora.

Num clima de harmonia e boa disposição, Fernando Santos falou de uma forma bastante natural, sobre o papel da fé na sua vida, respondendo a questões dos ouvintes e contando várias histórias que acumulou ao longo do seu percurso como treinador tal como na sua vida para além do futebol.

O selecionador nacional falou de histórias como a carta, que escreveu durante a fase final do europeu e levou consigo no seu bolso até à final.

Contou a história das bandeiras de Marcoussis, cidade em que Portugal ficou alojado durante o Euro 2016, em que, disse Fernando Santos, até à final só via uma ou duas bandeiras portuguesas nas janelas, e que após a vitória de Portugal, dezenas de bandeiras verdes, amarelas e vermelhas podias ser vislumbradas. O engenheiro explica como aquele desencadeamento de demonstração do orgulho de ser português, por parte dos emigrantes portugueses, projetado pela vitória da equipa das quinas, lhe ficou marcado para sempre.

Num encontro marcado pela fé, onde o tema religião foi naturalmente presente, Fernando Santos salientou que os seus melhores amigos, um é agnóstico e outro ateu, um exemplo de como a religião não cria quaisquer tipos de barreiras, se como o treinador proferiu, houver respeito pelo próximo, a religião não é um entrave ou algo que defina a pessoa.

Numa parte final da noite, Fernando Santos revelou, uma frase que disse aos jogadores da seleção nacional, antes de entrarem em campo na final do Euro frente à seleção francesa, frase que está presente na Bíblia. “Sejam simples como as pombas e prudentes como as serpentes”, uma frase que representa muito do que foi o jogo de Portugal nessa memorável noite.

Exclusivo Rádio Campanário.

No âmbito do Colóquio Internacional -100 anos de Florbela Espanca, o Museu-Biblioteca da Casa de Bragança preparou uma exposição dedicada à Poetisa, que será inaugurada no próximo dia 7 de Dezembro, pelas 17 horas, no Paço Ducal de Vila Viçosa.

A exposição estará patente até ao próximo dia 12 de Janeiro de 2020.

O eurodeputado Nuno Melo, eleito pelo CDS-PP, no seu comentário desta quinta-feira, dia 5 de dezembro, abordou aos microfones da Rádio Campanário o facto de o CDS-PP acusar o governo de querer regionalizar ás escondidas, os projetos candidatados a fundos europeus que se encontram parados e ainda toda a exposição mediática da adolescente Greta Thunberg.

Para Nuno Melo “para já não está em causa ser a favor ou contra a regionalização”.

O eurodeputado lembra que “no passado esteve em causa um determinado modelo de regionalização”, acrescentando que “a avaliação só poderá ser feita quando for apresentado um modelo concreto”.

Nuno Melo não deixa de referir que “neste momento Lisboa já beneficia de prerrogativas, até do ponto de vista autárquico, o que a coloca num plano de desigualdade para com os restantes municípios”.

Relativamente ás transferências de competências, o eurodeputado questiona “de que serve transferir competências para as autarquias se depois não existe a compensação financeira”.

Relativamente ao Governo ter dado 30 dias aos projetos parados nos fundos europeus, Nuno Melo considera que “eu acho que o Governo é o responsável pelo atraso de inúmeros projetos na agricultura”, exemplificando que “o governo tem muitos projetos aprovados, mas depois também nos os financia”.

Naquilo que concerne ao mediatismo criado em torno da adolescente Greta Thunberg, o eurodeputado refere que “muitos adultos, alguns com responsabilidades políticas, estão a aproveitar-se de uma miúda de 16 anos, aplaudindo-a de pé quando ela muitas vezes os acusa de lhe roubarem os sonhos”.

Nuno Melo afirma que “esta miúda devia estar na escola, e todo este aproveitamento é simplesmente ridículo”.

O eurodeputado refere que “temos um rapaz da mesma idade que desenvolveu um projeto extraordinário para limpar os oceanos, ninguém lhe liga, esta miúda que é instrumentalizada do ponto de vista político é o que sabemos”.

Questionado pela RC sobre a forma como se tem tratado a adolescente, Nuno Melo considera que “estão a cuidar mal desta adolescente, o que não quer dizer que a causa não seja válida, simplesmente chegamos a um ponto em que o aproveitamento é tão manifesto que se torna ridículo”.

O eurodeputado considera “triste” todo este aproveitamento ao “tratarem a miúda como se tivesse descoberto a pólvora, quando estes problemas já são conhecidos desde várias décadas”.

A Praia Fluvial de Monsaraz foi premiada pelo Instituto Nacional para Reabilitação, no âmbito do Prémio “Praia +Acessível”.

A Praia Fluvial de Monsaraz conseguiu o primeiro prémio, sendo considerada a que tem melhores condições para pessoas com mobilidade reduzida.

Este prémio foi instituído pelo Instituto Nacional para Reabilitação, pela Agência Portuguesa do Ambiente e pelo Turismo de Portugal.

Foram ainda premiados a Zona Balnear dos Biscoitos, na Ilha terceira (2º Prémio) e a Praia de Santa Cruz, em Torres Vedras (Menção Honrosa).

O Hospital do Espírito Santo de Évora registou até ao mês de novembro de 2019, um aumento de 25% na realização de intervenções cirúrgicas, face ao período homólogo de 2018.

De uma forma geral, até 31 de outubro de 2019, regista-se um aumento em todas as áreas assistenciais do HESE EPE, designadamente: Cirurgias, Consultas Externas e Internamento.

Relativamente à atividade cirúrgica total do HESE, em 2018, realizaram-se 12579 intervenções cirúrgicas, até 31 de outubro, e este ano totalizam-se 15740, no mesmo período, o que corresponde a um aumento 25 % (3161 intervenções). As cirurgias programadas são as que apresentam um maior aumento, com um valor de 28%, o que se reflete na diminuição das listas de espera dos doentes inscritos para cirurgia, em -19%. Consequentemente, o HESE registou ainda um aumento de 26% do número de doentes operados em tempo adequado, respeitando os tempos máximos de resposta garantidos (TMRG)

Relativamente à atividade de consultas externas do HESE, verificou-se um aumento de 7% das primeiras consultas e 4,5,% das subsequentes, fundamentalmente em resultado de um esforço suplementar das equipas de profissionais, aliada a uma melhoria da agilização do agendamento das consultas junto das equipas médicas. Durante este período, registou-se ainda um aumento de 14% de consultas realizadas em tempo adequado, respeitando os tempos máximos de resposta garantidos, por prioridade. A lista de espera para consulta (LEC), neste primeiro semestre, apresentou uma redução de 24%.

Relativamente à atividade do internamento registou–se um aumento de 8% dos doentes saídos do internamento, relativamente ao período homólogo de 2018.

Maria Filomena Mendes explica que “é com enorme satisfação que o Conselho de Administração constata que os compromissos assumidos por todos no início do ano foram cumpridos no decorrer de 2019. O balanço do primeiro semestre já indicava alterações positivas significativas, em comparação com 2018, e, neste momento, registamos que o fecho do ano mantém essa crescente atividade assistencial, o que constitui uma mais valia não só para a instituição, mas principalmente, para os nossos Utentes. A atividade assistencial de 2019, até à data, reflete o aumento da qualidade da prestação de cuidados do HESE e a melhoria da capacidade de resposta à população, graças à dedicação dos profissionais do HESE. ”

A câmara de Évora que, em 2013, recorreu ao Programa de Apoio à Economia Local (PAEL), para um empréstimo de 32 milhões de euros, para pagar dívidas de curto prazo, espera liquidar a sua dívida nos próximos dias.

O tribunal de contas já recebeu a permissão para dois empréstimos bancários e o processo já foi autorizado pelo governo. Os empréstimos acordados pelo município junto de duas entidades bancárias têm o valor de 22,7 milhões de euros.

O Município de Vila Viçosa brinda todos os munícipes com diversas atividades que assinalam a época natalícia.

De entre as atividades destaca-se a animação de rua e a chegada do Pai Natal, marcada para dia 14 de dezembro ao Largo D. João IV.

Venha divertir-se nesta época natalicia em Vila Viçosa que contará com neve artificial.

 

 

A região Alentejo foi considerada pela conceituada revista norte-americana, Condé Nast, como um dos seis melhores destinos vinícolas do mundo em 2020.

A revista classifica a região Alentejo, marcada pela produção de vinhos como estando no top 6 das melhores do mundo para visitar no próximo ano.

O Alentejo é um dos destinos eleitos pelos 5 maiores especialistas em vinho nos Estados Unidos, a par da Lombardia, Sicília, Western Cape, Vale Willamette e a Península do Niágara.

A região é descrita como próxima de Lisboa e do Algarve, tendo como principal atração o enoturismo. A oferta heterogénea de vinhos de qualidade, tanto brancos como tintos, a produção com uvas autóctones, são também destacadas.

A Câmara Municipal de Évora devolveu mais de dois milhões de euros do Imposto Municipal sobre as Transmissões Onerosas de Imóveis (IMT).

A devolução aconteceu devido a um erro que saiu na legislação da Assembleia da República, que aprovou uma lei que não era compatível com outra lei que ainda não tinha sido revogada.

Há 2 anos foi aprovado uma lei que declarava que os fundos imobiliários deviam de pagar ao IMT, mas estava em vigor ao mesmo tempo uma leia que isentava os fundos imobiliários de IMT. As câmaras que tinham fundos imobiliários receberam o valor, mas a lei antiga não tinha sido revogada.

Sendo assim, os fundos imobiliários recorreram a tribunal afirmando que existiam duas leis e como seria expectável, queriam seguir a que lhes fosse mais favorável, o tribunal deu a razão aos fundos.

Desta forma a CM de Évora já devolveu 2 milhões de euros, em 2019, e este inesperado processo pode ter provocado danos na tesouraria do município.

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Dezembro 2019 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 31