A UNITATE - Social Economy Network é um projecto da Unitate - Associação de Desenvolvimento da Economia Social, através da sua página oficial de facebook, adiantou hoje que, tendo presente as orientações do Governo de Portugal e da Organização Mundial da Saúde (OMS) relativamente ao surto de COVID-19, e considerando a evolução da situação epidemiológica nos concelhos abrangidos pelas respostas sociais da UNITATE, decidiu a Direção da Instituição com efeitos imediatos a partir de hoje:

- à suspensão do funcionamento da resposta social UNITATE - Social Van (Carrinhas Sociais) nos concelhos de Alandroal, Borba, Redondo e Vila Viçosa;

- ao reforço das medidas preventivas nas respostas sociais da Instituição, de modo particular nas que integram a Unidade de Ação Social da Vendinha.

A UNITATE adianta ainda que se encontra a acompanhar a situação e, sempre que seja necessário, ou existam alterações importantes ao panorama atual, poderá adotar outras medidas no sentido de mitigar os impactos negativos, as quais serão divulgadas através dos seus canais de comunicação institucional.

 

 

De acordo com a informação avançada na página oficial de facebook do Exército Português, em resposta aos casos positivos de COVID-19 detetados nas instalações do Centro de Saúde de Estremoz, o Elemento de Defesa Biológica, Química e Radiológica do Exército (EDefBQR), após proceder à preparação dos espaços, garantiu, durante 4 horas de operação, a descontaminação de cerca de 2 700 m3 das instalações.

Estes 31 militares do EDefBQR, com especialização nas áreas de Polícia do Exército, de Sapador de Engenharia, de Defesa Nuclear, Biológica, Química e Radiológica e de Saúde Operacional, integram a Força Militar do Exército preparada para cumprir missões de defesa Biológica, Química, Radiológica em território nacional.

Desde o início da pandemia, o Exército Português descontaminou 10 Lares/Unidades de Saúde, 384 Viaturas de Emergência e 740 Tripulantes de Viaturas de Emergência.

Após terem sido detetados os primeiros casos de covid 19 identificados posteriormente ao surto de covid 19 registado na Santa Casa da Misericórdia, verificaram-se também o registo de casos positivos de covid 19 na comunidade, não se sabendo até ao momento qual o número certo de casos positivos existentes no concelho de Vila Viçosa.

A última informação avançada dava conta da existência de cerca de 50 casos positivos. A Rádio Campanário tentou na manhã de hoje obter informação adicional junto da Câmara Municipal, mas tal não foi possível.

Já ao final desta tarde, a autarquia enviou à redação da Rádio Campanária uma informação dando conta de que "tendo em conta a evolução epidemiológica Covid 19 no Concelho de Vila Viçosa, está agendada para amanhã, dia 21 de outubro, pelas 15 horas, uma reunião extraordinária do Executivo Municipal."

A Autarquia informna ainda que, após a realização da referida reunião, será emitido um comunicado de imprensa.

 

 

 

 

 

 

Os vereadores da CDU de Mértola, Orlando Pereira e Lígia Rafael, e o Executivo Municipal estão em desacordo sobre a realização da XI Feira da Caça.

Em reunião de Câmara de dia 07 de outubro, o presidente do município apresentou uma proposta para a realização de Feira da Caça nos dias 23, 24 e 25 de outubro, assegurando que seriam tomadas todas as medidas sanitárias para a sua realização, situação que estava a ser acompanhada pelas estruturas locais de saúde.

Em comunicado enviado à RC, os vereadores da CDU explicam que “face ao aumento da Covid-19 os Vereadores da CDU de Mértola têm vindo a solicitar ao Executivo do Partido Socialista o adiamento da Feira da Caça. Fizeram-no na última Reunião de Câmara e voltaram a fazê-lo por carta dirigida ao Senhor Presidente no passado dia 15 de outubro, dia em que foi declarado o Estado de Calamidade”.

Explicam que a esta carta não obtiveram qualquer resposta e referem também que “não são contra a realização deste evento, contudo, não votaram favoravelmente a data do mesmo, apresentando uma proposta de adiamento para uma altura mais oportuna. A proposta de realização foi aprovada com os votos do Partido Socialista que não aceitou os argumentos apresentados”.

Face à situação que se vive atualmente, entendem os Vereadores da CDU “não estarem reunidas as condições para a realização da Feira da Caça neste período, propondo que na Reunião de Câmara a realizar dia 21 outubro seja revogada a deliberação anterior, prevendo o adiamento deste evento para data que permita a expositores e visitantes usufruírem em total segurança”.

Uma mulher de 91 anos, utente do lar da Mansão de São José, em Beja, faleceu esta tarde no Hospital José Joaquim Fernandes, vítima da infeção de covid-19.

A notícia foi divulgada no site da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA), que refere que há outras 13 mulheres internadas, duas das quais na Unidade de Cuidados Intensivos Polivalente (UCIP).

No concelho de Beja, esta é a terceira morte causada pela pandemia , as duas anteriores foram dois homens, um dos quais também internado num lar de Beja.

A ULSBA informou que nas últimas horas se registaram mais cinco internamentos de utentes daquela Estrutura Residencial para Idosos (ERPI).

No passado dia 13 de outubro, uma utente e de uma funcionária testaram positivo à covid-19, sendo que nesta altura já estão contabilizados 107 casos positivos, 87 utentes e 20 funcionários. Foram registados 19 casos negativos, duas utentes e 17 funcionários.

Na tarde do passado sábado, 54 mulheres, duas das quais com testes negativos, foram transferidas da ERPI para uma caserna da Base Aérea (BA) 11.

A Câmara Municipal de Vendas Novas, em comunicado, informa que se vai iniciar a fase de candidaturas ao “Natal Solidário”, iniciativa conjunta do Município com as Juntas de Freguesia do concelho. Com esta campanha pretende-se “presentear 250 agregados familiares carenciados com um conjunto de bens alimentares que irão tornar a sua época natalícia mais afortunada”.

No presente ano, a medida destina-se a residentes no concelho de Vendas Novas, cujo rendimento per capita seja igual ou inferior a 635€ (Salário Mínimo Nacional), ao invés dos 435,76€ (Indexante dos Apoios Sociais) que eram a referência no ano anterior.

“Esta é uma atualização primordial para permitir que um maior número de pessoas tenham possibilidade de se candidatarem a este apoio, como são exemplo, as que recebem pensão de sobrevivência e que anteriormente ultrapassavam o Indexante de Apoios Sociais, mas que agora têm igual oportunidade de ser abrangidas. O Natal é uma das alturas do ano mais importantes para as famílias, e tendo já as restrições que são do conhecimento de todos, cabe ao Município proporcionar algumas alegrias, como uma mesa e uma despensa mais farta às famílias economicamente desfavorecidas”, refere a Vereadora responsável pelo Desenvolvimento Social, Ana Carla Barros.

Para poderem usufruir deste apoio os munícipes interessados e que cumpram os requisitos, deverão apresentar a sua candidatura entre 26 de outubro a 13 de novembro, dirigindo-se ao edifício dos Paços do concelho ou às Juntas de Freguesia com os documentos que comprovem a sua carência económica.

O eurodeputado Carlos Zorrinho, eleito pelo PS, no seu comentário desta terça-feira, 20 de outubro, abordou aos microfones da Rádio Campanário as declarações do Primeiro-Ministro onde descarta um novo confinamento, as negociações entre os partidos sobre o Orçamento de Estado (OE) para 2021 e a aplicação STAYAWAY COVID.

Sobre as declarações do Primeiro-Ministro, António Costa, onde descarta a possibilidade de um novo confinamento, o eurodeputado afirma que “uma das coisas que aprendemos ao longo destes meses é a não fazer muitas previsões. Há alguns sinais, (…) [que] talvez comecem agora a baixar um bocadinho os picos. (…) Acho que está a ser feito um esforço enorme por parte de todos no sentido de que isso aconteça”.

O socialista, questionado se há uma desvalorização da COVID-19 por parte das pessoas, explica que “temos de começar por cada um de nós” e faz uma ligação do tema ao OE2021, dizendo que “que nestas circunstâncias uma eventual reprovação do OE significaria vivermos durante alguns meses com duodécimos de um orçamento que foi aprovado antes da pandemia, que não tem nada do suporte aos instrumentos que precisamos para fazer face a este desafio. Acho que se vier a haver um chumbo deste Orçamento de Estado, quem o fizer estará a juntar a uma calamidade sanitária, económica e social, uma calamidade política, [que] é o que menos precisamos neste momento”.

Ainda sobre o tema do OE2021, o Primeiro-Ministro já referiu que não haverá crise política caso o mesmo não seja aprovado. Para Carlos Zorrinho, é positivo o facto de o partido no Governo ter “esse sentido de Estado de perceber que neste contexto vamos ter presidenciais e não há possibilidade de dissolução da Assembleia, mas tudo isto é uma situação muito especial e portanto acho que o Primeiro-Ministro revela um grande sentido de Estado ao dizer que mesmo que as condições de batalha sejam difíceis ele não abandona o seu posto”. Contudo, considera que mesmo que não haja crise política poderá haver “calamidade política”, que significa “termos alguém que está a segurar o barco, mas não tem os remos adequados para segurar esse barco. Se não tivermos um OE adequado que nos permita capturar mais recursos europeus, nomeadamente no Fundo de Recuperação, etc., teremos o barco e alguém ao leme, mas sem os remos adequados e acho que quem seguir essa responsabilidade de não dar a quem governa as condições para fazer o melhor pelo povo português, está a assumir uma responsabilidade”.

Sobre o PCP referir que há um desequilíbrio entre o que são as palavras do Governo e o que acontece nas reuniões, o eurodeputado afirma que “tem de haver compromisso, têm de ceder todos. Obviamente que o Governo não vai governar com o programa de um outro partido. Quanto muito, vai fazer compromissos com esse outro partido. Este é um momento em que devemos procurar aquilo que nos une e não aquilo que nos divide”.

Por fim, sobre a aplicação, a sua possível obrigatoriedade e ainda a dificuldade de todos os portugueses a utilizarem pois nem todos têm equipamentos que suportem a aplicação, enaltece a “abertura por parte do Governo no sentido de recuar neste ponto de vista. Acho que esta questão tem de ser, sobretudo, algo voluntário, embora aquelas pessoas que têm telemóveis compatíveis devam ser motivadas e mobilizadas a prestar esse serviço cívico e de interesse público”.

Questionado se este recuo do Governo se deve ao facto de uma deputado do Partido Socialista ter referido que a medida podia ser inconstitucional, Carlos Zorrinho afirma que “independentemente de ser inconstitucional ou não, a ideia que nos surge é a de dividir os portugueses entre aqueles que têm um bom telemóvel e aqueles que não têm e este não é o tempo para nos dividirmos”.

A apresentadora da RTP, Sónia Araújo, contou num vídeo publicado nas suas redes sociais que testou positivo para o novo coronavírus. A apresentadora quis esclarecer a ausência no programa 'Praça da Alegria' nos últimos dois dias.

"Devem estar a achar estranho. Testei positivo à COVID-19. Estou tranquila porque estou sem sintomas, está tudo bem. Vou seguir os procedimentos normais para proteger a minha família e os mais próximos", afirma.

A apresentadora referiu ainda que vai ficar em isolamento em sua casa nos próximos 10 dias.

Durante ausência de Sónia Araújo nas manhãs da RTP tem sido Jorge Gabriel, que também já este infetado com COVID-19, a assumir a solo a condução do programa 'Praça da Alegria'.

Devido às repercussões da Pandemia no sector turístico de Elvas, o Hotel Vila Galé Collection Elvas está programado permanecer encerrado até Março de 2021.

Em declarações à Rádio Campanário o Presidente da Câmara de Elvas, Nuno Mocinha, explica que o hotel “esteve fechado durante o período do confinamento porque não haviam clientes, e agora exatamente o mesmo. Não há reservas para o mês de outubro, nem de novembro nem para o mês de dezembro. Simplesmente não se consegue ter uma infraestrutura daquelas não havendo reservas.”

O Hotel Vila Galé de Elvas inaugurou no dia 22 de Junho como reportou a Rádio Campanário.

Diversos concelhos do Alentejo registaram durante a manhã de hoje e até cerca das 12:30, pequenas inundações de estruturas, quedas de árvores ou acidentes rodoviários, com feridos ligeiros, devido à precipitação intensa e ao mau tempo que se faz sentir na região, segundo a Proteção Civil.

O Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Portalegre registou “duas ou três pequenas inundações” em Portalegre, Campo Maior e Ponte de Sor.

Houve o registo de nove quedas de árvores, distribuídas pelos concelhos de Ourique, Almodôvar e Odemira, assim como duas pequenas inundações, em Vila Nova de Milfontes (Odemira) e em Moura, e “alguns acidentes rodoviários, só com feridos leves”, marcaram a manhã em Beja, segundo o CDOS.

No distrito de Évora, ocorreram “cinco pequenas inundações em Montemor-o-Novo”, que foram prontamente resolvidas, enquanto no distrito de Setúbal se verificaram pelo menos seis, nos concelhos de Santiago do Cacém, Sines e Alcácer do Sal, referiram os respetivos CDOS.

A Proteção Civil registou até ao final da manhã de hoje 654 ocorrências no continente português devido ao mau tempo, sobretudo nas zonas urbanas a norte do rio Tejo.

Em conferência de imprensa realizada após a reunião do Centro de Coordenação Operacional Nacional, realizada na Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), o ministro da Administração precisou que as 654 ocorrências devido ao mau tempo envolveram cerca de 2.200 operacionais e que não havia registo de “ocorrências particularmente graves”.

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Outubro 2020 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31