12 Dez. 2019
 

O Projeto da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo “MoviMentAli”, de promoção da atividade física e vida saudável, está em votação na Missão Continente Donativo 2019, até ao dia 19 de dezembro.

Destinado aos alunos do 2.º ciclo, o “MoviMentAli” pretende promover decisões condutoras à prática de uma vida saudável, atuando em 3 domínios fundamentais:

1. Promoção da atividade física;

2. Desenvolvimento de competências sócio-emocionais;

3. Promoção de uma alimentação saudável.

A intervenção prevê a formação dos profissionais de saúde, a construção de materiais de apoio que legitimem a atuação uniformizada em 13 concelhos do distrito de Beja, a aquisição de material pedagógico e o estabelecimento de parcerias que garantam a sustentabilidade do projeto, no âmbito da saúde escolar

No projecto educativo, cultural e social da “Universidade” Sénior Padre Joaquim Espanca de Vila Viçosa, a valência musical, onde discorre o seu Coro, ocupa um lugar relevante.

Por isso, no Plano de Actividades do Curso 2019/2020, não faltou, também, o tradicional concerto de Natal, que como é habitual, no  mês de Dezembro, tem lugar um pouco por todo o país.

É justamente neste contexto que o Coro da “Universidade” Sénior apresentou no dia 7 de Dezembro, às 15 h 30, na Igreja da Misericórdia, cedida para o efeito pela Santa Casa da Misericórdia de Vila Viçosa, o concerto de Natal, dirigido pela maestrina  Adenilda Munguambe.  

O referido concerto, aberto à população local e de entrada livre, viajou pelas músicas natalícias de várias culturas e épocas para transmitir, com o repertório clássico e popular, como manda a tradição, nas vésperas da consoada, o sentido de união pela música. Uma celebração das festividades natalícias que colocou em destaque canções emblemáticas, na companhia dos cerca de 30 coralistas que integram o Coro da “Universidade” Sénior Padre Joaquim Espanca de Vila Viçosa.

Enfim, ouviram-se celebrados e emblemáticos temas do repertório coral alentejano de raíz popular e interpretaram-se obras de autores  portugueses e estrangeiros, proporcionado um espectáculo de grande qualidade que despertou no numeroso público que assistiu ao concerto a inesgotável paixão pela musicalidade da voz humana.

As acções singulares, como é o caso das sessões comemorativas, já conquistaram por direito próprio um lugar importante no Plano de Actividades dos últimos Cursos da “Universidade” Sénior Padre Joaquim Espanca de Vila Viçosa, promovida pela Câmara Municipal, constituindo uma oportunidade de aprendizagem de natureza mais pontual.

É neste pano de fundo, que decorreu  no dia 10 de Dezembro 2019, com início pelas 15 h 00,  a Sessão Comemorativa do Dia Internacional dos Direitos Humanos, que foi realizada na sede da “Universidade” Sénior Padre Joaquim Espanca, em Vila Viçosa, que contou com a participação de um número expressivo de alunos. O Dia dos Direitos Humanos assinala o dia em que, em 1948, a Assembleia Geral das Nações Unidas adoptou a Declaração Universal dos Direitos Humanos, reconhecendo o seu carácter universal e alienável.

Pretendeu-se com esta actividade, chamar a atenção para alguns aspectos relacionados com a defesa e a promoção dos  ideais e valores  da dignidade humana  e dos  direitos civis, políticos, culturais, económicos e sociais de cada ser humano. Concomitantemente, nesta iniciativa, dinamizada eloquentemente pelo Dr. Miguel Fidelmann, representante da Senhora Provedora de Justiça, o destaque foi  para a realização de uma sessão informativa que permitiu uma reflexão a partir do eixo  temático: “SENIORES PELOS DIREITOS HUMANOS”.

Como resultou bem claro pelo conferencista, fora da esfera dos vários  instrumentos fundadores de protecção nacional e internacional dos direitos humanos, há um espaço para a prática participativa da sociedade civil e das organizações não governamentais. De facto, todos, independentemente da nossa idade, podemos desempenhar um papel activo na defesa dos Direitos Humanos, intrínsecos à  nossa condição e dignidade de seres humanos.

O Município de Reguengos de Monsaraz assinou esta quinta feira, 12 de dezembro, um protocolo com a Associação Dignitude para aderir ao Programa abem: Rede Solidária do Medicamento.

A cerimónia decorreu no Salão Nobre dos Paços do Concelho e teve a presença da Presidente da Associação Dignitude, Maria de Belém Roseira, e de representantes de todas as farmácias do concelho.

A Rádio Campanário marcou presença e falou com Maria de Belém Roseira, que começa por explicar que o programa “está a crescer em termos de entidades aderentes, nomeadamente Municípios “.

Para Maria de Belém Roseira “os municípios têm um conhecimento muito próximo da realidade local”, o que tem permitido “aumentarmos o número de beneficiários”, acrescentando que “já abrangemos cerca de 12 mil pessoas”.

A Presidente da Associação refere que “a nossa preocupação é que ninguém fique para trás no que toca a aquisição de medicamentos”.

“As pessoas não podem ficar arredadas de um bem que é fundamental para controlar a sua saúde”
Maria de Belém Roseira

 Naquilo que concerne ao programa, Maria de Belém Roseira explica que “assenta numa plataforma informática reconhecida pelo Portugal Inovação Social”, plataforma que permite “controlar se as pessoas que foram identificadas com carências se encontram a receber os seus medicamentos”.

Questionada pela RC sobre as mais valias do programa para as autarquias, a presidente afirma que “a mais valia é gerir um programa com toda a transparência, sem nenhum plafond, em que se garante o controlo do processo”, acrescentando que “as Câmaras têm a certeza que pagam um x por cada elemento do agregado familiar, e independentemente do que a pessoa gasta, isso é assumido pela rede solidária do medicamento”.

Maria de Belém Roseira explica ainda que “os utentes podem dirigir-se a qualquer farmácia do país que esteja na rede do programa Abem”, uma vez que “o programa não tem limites geográficos nem de montantes e apresenta um controlo que garante que quem usufrui é a pessoa que corresponde”.

José Calixto, autarca de Reguengos de Monsaraz, começa por referir que “nós já temos um instrumento que integra todas as medidas de ação social com os que mais necessitam, que é o Cartão Social do Munícipe”.

O edil explica que “esse cartão social, desde 2016, vinha incorporando apoio para os medicamentos, na parte não comparticipada pelo estado”, acrescentando que “após o contacto da Associação Dignitude, suspendemos esse apoio e no espírito de colaboração interinstitucional aderirmos ao programa Abem, dando assim continuidade numa forma reforçada”.

“Estamos a dar continuidade numa forma reforçada e alargada a um apoio que já existia em Reguengos de Monsaraz”
José Calixto

José Calixto considera que com este programa “os munícipes beneficiam e o esforço acaba por ser repartido, algo que anteriormente estava a ser suportado pelo município”, ou seja, “anteriormente pagávamos 50% de toda a componente não comparticipada, agora passará a existir uma comparticipação a 100% desse valor”.

Questionado pela RC sobre o processo de adesão dos interessados, José Calixto refere que “as pessoas têm de ser apenas referenciadas junto da Dignitude, pela Câmara, e apresentar o cartão na farmácia”.

À margem da inauguração do Lar de Idosos de Alandroal, no dia 10 de dezembro, após as obras de recuperação e requalificação de que foi alvo, a provedora da Santa Casa da Misericórdia de Alandroal , Dulce Gonçalves, falou aos microfones da Rádio Campanário.  

Questionada acerca do aumento do salário mínimo ser um problema para as misericórdias mais pequenas, a provedora, reconhece que existem várias dificuldades não só da parte da contratação de funcionários para o lar, mas também o facto de se acrescentarem as dificuldades de que é ajudar utentes desfavorecidos.

Dulce Gonçalves reconhece que "o salário não é atrativo" e que não existe a capacidade de "pagar grandes vencimentos",  conta-nos que existem bastantes dificuldades em contratar pessoas com formação, algo essencial para este estabelecimento, pois existem utentes muito dependentes de cuidados que requerem que sejam acompanhados por funcionários formados.

Muitas vezes, o lar recebe doentes que estão num estado de saúde em que deveriam estar numa unidade de cuidados continuados e são enviados para o lar, não sendo o lar uma unidade de cuidados continuados, cabe aos seus funcionários com a sua experiência, se for o caso, formação e simultaneamente com as condições próprias do lar, tratarem os utentes da melhor forma possível.

As dificuldades financeiras dos utentes e das famílias dos utentes, são uma dificuldade, pois a instituição acolhe todas as pessoas e ajuda-as independentemente do seu estado financeiro e isso trás complicações a nível financeiro para o lar, como nos conta a provedora.

A construção de condições para continuar a receber utentes com problemas como os que foram anteriormente referidos, é algo que Dulce Gonçalves salienta ser necessário, e que diz ser da responsabilidade não só da Segurança Social, bem como da parte da Saúde.

Decorreu esta quarta feira, 11 de dezembro, o 12º Comité de Acompanhamento do Programa Operacional Regional do Alentejo 2014/2020, em Borba.

A Rádio Campanário marcou presença e falou com António Anselmo, presidente da Câmara Municipal de Borba e anfitrião da reunião.

António Anselmo começa por referir que “é inegável a importância deste comité para a região Alentejo”, acrescentando que “falou-se do presente do Alentejo com ambição no futuro”.

No entendimento do autarca “todas as intervenções mostram que o Alentejo 2020 está no bom caminho”.

“Como diz o Dr. Filipe Palma isto não é uma corrida de velocidade, mas sim uma corrida de meio fundo”
António Anselmo

No caso de Borba, António Anselmo refere que “a execução dos fundos comunitários está um pouco baixa, mas em 2020 iremos aumentar a taxa”.

O autarca explica que “em Borba estamos a preparar muito bem as coisas, de forma bastante equilibrada e ponderada, para podermos aproveitar ao máximo os fundos comunitários”.

António Anselmo garante “para 2020 uma grande quantidade de projetos já aprovados e que iremos colocar em prática”, acrescentando que “temos cerca de 3 milhões de euros de possibilidade de investimento, sendo quase todo comparticipado a 85%”.

Questionado pela RC sobre o orçamento municipal para 2020, António Anselmo explica que “o nosso orçamento ultrapassa os 9 milhões de euros e contempla todos estes investimentos que falei”.

“Tal com tem sido desde a nossa chegada é um orçamento equilibrado, justo e real”
António Anselmo

António Anselmo refere que “os projetos estão relacionados com a reabilitação urbana, o insucesso escolar, o PREPAL, iremos também avançar com os centros em Nora e Orada”.    

A Mundus Intercultural vai no próximo dia 17 de Dezembro dinamizar o Seminário "Diversidade Cultural e Mobilidade em Ambiente Académico" (entre as 12h30 e 14h30, sala dos Docentes do Colégio do Espírito Santo na Universidade de Évora), inserida no ciclo de Seminários “CONTA CONNOSCO” promovidos pelo Gabinete de Apoio ao Estudante (GAE) da Universidade de Évora, tendo sido celebrado um protocolo para o efeito. Este Seminário terá como destinatários os voluntários do projecto do GAE, que têm como missão acolher os estudantes internacionais da Universidade, prestando-lhes auxílio com vista à sua integração.

A estrutura do seminário vai assentar numa aproximação aos estudantes, criando um ambiente de partilha e troca de experiências e, ao mesmo tempo, a apresentação da associação; a dinamização de práticas de educação não-formal e a apresentação de uma contextualização histórica do tema da diversidade.

A educação não-formal pretende levar os jovens a aprender com um conjunto de dinâmicas inovadoras e mais próximas dos seus valores, com a finalidade de promover a reflexão e aquisição de conhecimentos e competências.

Como já vem sendo hábito no Município do Alandroal, estão de volta à praça da sede de concelho as Comemorações de Natal.

Nos fins-de-semana de 14 a 22 de dezembro decorre a Feira de Natal que conta com a venda de produtos locais, projeção de neve, presença e registo fotográfico com o Pai Natal, passeios de charrete e muitas outras atividades que prometem divertir toda a família.

Este ano é novidade a Pista de Gelo que estará disponível no fim-de-semana de 21 e 22 de dezembro, na envolvente da Feira de Natal.

Numa época especial, como é o Natal, o Município decidiu voltar a apostar na iniciativa, Alandroal ConVida. Com uma diversidade de atividades ao dispor da população, esta ação tem como principais objetivos a dinamização do comércio local e as atividades para as crianças. Durante todo o mês de dezembro estarão também disponíveis, nos comércios locais aderentes, descontos exclusivos para a época festiva.

Decorreu esta quarta feira, 11 de dezembro, o 12º Comité de Acompanhamento do Programa Operacional Regional do Alentejo 2014/2020, em Borba.

A Rádio Campanário marcou presença e falou com Nuno Mocinha, na qualidade de representante do Conselho Regional, que começa por referir que “estamos a apreciar aquilo que tem sido os resultados alcançados com o Alentejo 2020”.

Nuno Mocinha refere que “estamos a constatar aquilo que foi feito com impacto ao nível da economia social e das empresas”, acrescentando que “apreciámos as taxas de execução dos fundos comunitários até ao presente”.

O representante considera que “que estamos no bom caminho, sabemos que existe um longo trabalho a ser feito, mas ainda temos tempo”, lembrando que “este quadro está em execução até 2023”.

Nuno Mocinha reconhece que “tem existido alguns constrangimentos”, no entanto “estes comités servem também para corrigir o que tem corrido menos bem e para preparar os novos quadros”.

Relativamente ao anúncio por parte do Governo em retirar fundos comunitários que não estejam a ser executados, Nuno Mocinha explica que “o que se quer tratar são mecanismos de aceleração para que o investimento chegue mais rapidamente ao terreno”.

O representante recorda que “este quadro esteve praticamente inativo durante 2 anos”, justificando assim alguns atrasos na execução, no entanto, “temos de aprender com os nossos erros para melhorarmos a nossa atuação”, declara.  

Decorreu esta quarta feira, 11 de dezembro, o 12º Comité de Acompanhamento do Programa Operacional Regional do Alentejo 2014/2020, em Borba.

A Rádio Campanário marcou presença e falou com Jorge Rosa, presidente da CIMBAL, que começa por explicar que “estas reuniões de acompanhamento permitem avaliar as execuções e planear o futuro muito próximo, para que se possam ampliar as execuções dos fundos”.

Jorge Rosa considera que “a CIMBAL tem conseguido evoluir bastante na sua execução”, acrescentando que “somos a segunda comunidade intermunicipal a nível do país, em termos de execuções de fundos comunitários”.

“Se cumprirmos aquilo que já temos será possível exigirmos mais fundos para a região”
Jorge Rosa

Para o presidente “é muito importante conseguirmos ainda melhores execuções para que no futuro possamos ter uma palavra a dizer e assim conseguirmos mais fundos para o Baixo Alentejo”.

Jorge Rosa considera ainda que “a fraca execução que temos neste momento pode ser algo contraditória, mas ainda temos tempo para conseguirmos ampliar essas execuções”.

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Dezembro 2019 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 31