A cidade de Elvas irá acolher entre 30 de janeiro e 2 de fevereiro, no Centro Transfronteiriço, a primeira edição da Expo Alentejo.

O responsável pela organização do certame é uma cara bem conhecida da região, falamos de Rondão de Almeida, que assumiu a responsabilidade perante o Município de Elvas de organizar todo o certame.

Em entrevista exclusiva aos microfones da Rádio Campanário o Comendador Rondão de Almeida considera “a Expo Alentejo um certame pioneiro em toda a região”.

“A Expo Alentejo é um certame pioneiro em toda a região”
Rondão de Almeida

Rondão de Almeida refere que “pretendemos fazer uma mostra das diversas áreas em que o nosso Alentejo é extremamente rico”, acrescentando que “serão feitas apresentações da cultura ás tradições, da gastronomia ao artesanato, dos produtos endógenos ás ofertas turísticas, da indústria tradicional ás inovadoras”.

Esta primeira edição “vai ter pernas para andar” lembrando que “pensámos também no público do lado de lá da fronteira”.

Rondão de Almeida considera que “tendo em conta a localização geográfica de Elvas”, aliada ao “o excelente auditório e espaço físico do nosso Centro de Negócios Transfronteiriço” o certame “pode funcionar como uma montra para todas as potencialidades da região”.

“O certame será uma monta para as potencialidades da região”
Rondão de Almeida

Os objetivos da Expo Alentejo são que “todas as Câmaras do Alentejo exponham o melhor que os seus concelhos têm”.

Em termos de participantes já confirmados, Rondão de Almeida, refere que “nesta primeira edição conseguimos sensibilizar 22 autarquias do Alentejo, que irão estar presentes no certame”, juntando-se ainda “80 expositores”.

Rondão de Almeida deixa uma palavra de apreço “para as autarquias de Vila Viçosa, Borba, Estremoz e Alandroal, com as quais mantive um diálogo direto com os presidentes e vereadores, e que levam a cabo através da Câmara Municipal de Vila Viçosa, um colóquio sobre as pedras naturais do Alentejo”.

O Comendador explica que “para além da mostra iremos contar com seminários relacionados com o desenvolvimento económico do Alentejo”.

A gastronomia também estará presente no certame, “desde as nossas bifanas de Vendas Novas ao bacalhau dourado da nossa região, os visitantes podem contar com inúmeros restaurantes para degustar a gastronomia tradicional alentejana, sempre acompanhada (ao almoço e jantar) pela música da região vinda dos diversos concelhos do nosso Alentejo”.

No âmbito cultural não será apenas a música a estar presente, uma vez que “contaremos também com uma peça de teatro vinda do concelho de Vila Viçosa”, refere o organizador.

Em termos promocionais, Rondão de Almeida afirma que “somos cientes da posição geográfica estratégica, junto da Extremadura espanhola”, daí que “esteja a ser feita uma grande aposta junto da comunicação social espanhola”.

“Apostamos forte na promoção junto do público do outro lado da fronteira”
Rondão de Almeida

Para o organizador “nós não queremos que os espanhóis venham até nós só para comer peixe fresco e marisco, queremos que eles conheçam o quanto de bom temos em todas as atividades”, acrescentando que “temos tantas coisas no nosso Alentejo, desde as praias de Grândola até ao setor aeronáutico em Ponte de Sor, é preciso dar a conhecer aos espanhóis todo este potencial”.

Beja vai receber, no próximo mês de maio, o exercício militar aéreo da Nato “Tiger Meet”.

O referido exercício terá lugar entre os dias 10 e 22 de maio, e envolverá 3000 militares, 100 aviões e 20 esquadras, provenientes de 12 países da NATO a que se juntam a Suíça e a Áustria.

Destaque para o dia 17 de maio quando a Base estará aberta ao público, bem como, para todas as atividades que irão decorrer na capital do Baixo Alentejo.

A freguesia de Cano, no concelho de Sousel, vai contar com um Centro de Atividades Ocupacionais, pretendendo dar resposta às necessidades de pessoas com deficiência, com idade igual ou superior a 16 anos.

Este projeto, apresentado pela autarquia em 2013, vai ser agora uma realidade, depois de uma estreita parceria entre o Município, a Associação Recreativa e Cultural de Sousel e a APPACDM de Portalegre.

O edifício do Jardim de Infância foi adaptado, de forma a acolher cerca de 9 utentes.

De acordo com o município, “aumentar a qualidade de vida dos indivíduos com necessidades especiais e fomentar a sua integração na sociedade são alguns dos objetivos a atingir com a concretização do CAO, na freguesia de Cano”.

O atual executivo tem ainda como objetivo a ampliação do espaço de forma a poder aumentar a oferta.

O fim de semana prevê-se de frio e alguma chuva para a região Alentejo.

Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), “para os distritos de Portalegre, Évora e Beja prevê-se uma situação de neblinas e nevoeiros para todo o fim de semana”.

Refere a mesma fonte que “é esperada alguma precipitação até meio da tarde de sábado”, enquanto “para domingo é esperada alguma nebulosidade e neblinas matinais, a precipitação deve sentir-se apenas no Alto Alentejo”.

Naquilo que respeita a temperaturas, “não irão apresentar alterações significativas”, sendo esperadas “mínimas variáveis entre os 4 e 6 ºC e máximas entre os 10 e 11 ºC”.

Foi emitido pelo Tribunal da Relação de Évora um despacho para designar um grupo de trabalho responsável pelo projeto de informatização da jurisprudência do referido tribunal, para o ano de 2020.

Segundo o despacho, João Luís Nunes, presidente do Tribunal da Relação de Évora, teve em conta a “disponibilidade manifestada e as necessidades do serviço”, tendo designado para “integrarem o grupo de trabalho responsável pelo projeto de informatização da jurisprudência do Tribunal da Relação de Évora, para o ano de 2020, com efeitos a 1 de Janeiro de 2020, os seguintes magistrados:”

– Juiz desembargador Fernando Ribeiro Cardoso;

– Juíza desembargadora Laura Maria Peixoto Goulart Maurício;

– Juiz desembargador Mário João Canelas Brás;

– Juiz desembargador Moisés Pereira da Silva.

A Polícia Judiciária, através da Unidade Local de Investigação Criminal de Évora, identificou, localizou e procedeu à detenção de um homem, com 20 anos de idade, sobre a qual recaem fortes suspeitas da prática de crimes de homicídio qualificado, na forma tentada e de furto qualificado.

Os factos delituosos aconteceram na madrugada do passado dia 22 de dezembro de 2019, no concelho de Évora, na via pública, no seguimento de uma discussão, por motivos fúteis, entre suspeito e vítima, os quais já se conheciam.

A vítima, um homem com 28 anos de idade, foi brutalmente agredida a pontapé pelo autor, que lhe provocou graves lesões na cabeça, encontrando-se em perigo de vida e permanecendo, desde o dia dos factos, em estado de coma.

O detido tem a profissão de segurança privado e foi presente a primeiro interrogatório judicial, tendo-lhe sido imposta a medida de coação de prisão preventiva.

Os Bombeiros Voluntários de Elvas, através de comunicado enviado para a redação da Rádio Campanário fazem saber que:

“A Comissão Administrativa dos Bombeiros Voluntários de Elvas em exercício de funções desde 26 de agosto de 2019, considera relevante informar os sócios e a população de Elvas servida por esta Corporação que apenas aguarda a conclusão do processo de auditoria externa aos procedimentos administrativos e às contas para efetuar a devida marcação de eleições aos órgãos estatuários.

Mais informa, que lamentavelmente este processo tem sido longo, por dificuldades de obtenção da informação necessária para o efeito junto das estruturas responsáveis pela mesma”.

O eurodeputado José Gusmão, eleito pelo BE, no seu comentário desta sexta-feira, 24 de janeiro, abordou aos microfones da Rádio Campanário o facto de Portugal registar a 6ª maior cota de utilização de energia renováveis, o anúncio de descontos para residentes e visitantes nas portagens no interior do país e algumas questões relacionadas com o debate na especialidade do Orçamento do Estado.

Relativamente ao facto de Portugal registar a 6ª maior cota de utilização de energias renováveis, José Gusmão considera que “Portugal fez uma aposta nas energias renováveis, que foi considerável”.

O eurodeputado refere que “é a única escolha racional que pode fazer um país com as nossas características”, acrescentando que “somos um país sem paralelo na União Europeia em termos de recursos para energias renováveis”.

José Gusmão lembra que “temos uma boa exposição solar, a nossa costa é enorme e não podemos esquecer o potencial geotérmico dos Açores”, no entanto, “somos o país mais vulnerável da União Europeia ás alterações climáticas”.

José Gusmão considera que “deve existir uma responsabilidade solidária para promover a transição energética em todo o continente”.

Naquilo que concerne aos possíveis descontos para residentes e visitantes nas portagens no interior do país, José Gusmão refere que “sempre defendemos, no contexto de uma rede ferroviária muito deficiente, as autoestradas como um elemento de coesão fundamental”

Para o eurodeputado “o fim das scuts foi um erro tremendo do ponto de vista do ordenamento do território”, acrescentando que “as portagens nas autoestradas contribuem para a desertificação do interior e tornam a atividade económica mais difícil”.

José Gusmão considera que “uma medida que possa reduzir os custos para os usuários habituais das autoestradas será sempre positiva”.

Em termos do orçamento para combater a violência doméstica, o eurodeputado considera que “a questão da violência doméstica tem de ser atacada por vários ângulos, desde logo pelo da justiça”.

José Gusmão lembra que “grande parte dos homicídios acontecem após a realização das denuncias”, o que mostra que “o estado tem falhado na hora da proteção e da vigilância das vítimas”.

Relativamente ao debate na especialidade do Orçamento do Estado, José Gusmão considera que “o orçamento fica muito aquém de orçamentos anteriores, principalmente do ponto de vista da recuperação de rendimentos”, acrescentando que “estaremos atentos particularmente ás questões das pensões e ao IVA da eletricidade”.   

Realiza-se no próximo 29 de janeiro, pelas 11h30, no Auditório Municipal da Comporta, a cerimónia de assinatura do contrato da empreitada de conceção/ construção da ETAR da Comporta.

Num investimento de cerca de 1,9 milhões de euros, cofinanciado pela União Europeia através do PO SEUR, a ETAR da Comporta permitirá servir a população da Comporta e garantir o adequado tratamento dos efluentes urbanos e a preservação do Ecossistema Estuarino do Rio Sado.

Programa

11h30- 11h45: Receção aos convidados

 

11h45- 12h00: Apresentação da empreitada de conceção/ construção da ETAR da Comporta, João Silva Costa

 

12h00- 12h10: Assinatura do contrato da empreitada entre a AgdA – Águas Públicas do Alentejo e o Consórcio Domingos da Silva Teixeira, S.A. / DTE, Instalações Especiais, S.A.

 

12h10- 12h25: Discurso do Presidente do Conselho de Administração da AgdA – Águas Públicas do Alentejo, Francisco Narciso

 

12h25- 12h40: Discurso do Presidente da Câmara Municipal de Alcácer do Sal, Vítor Proença

 

12h40: Encerramento da cerimónia

A Campanha de Monitorização Nacional do Gás Radão é uma ação desenvolvida pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA) em parceria com a Universidade de Coimbra (UC).

Esta campanha pretende amostrar a concentração de radão no interior das habitações, em zonas previamente selecionadas, para a produção de um mapa de risco de exposição ao radão. Estremoz faz parte das localidades abrangidas pela campanha (Estremoz, Arcos e Évora Monte).

Selecionaram-se para esta campanha as zonas com formações geológicas sem ou com fraca caracterização ao nível da concentração de radão.

Numa primeira fase é necessário identificar os voluntários, proprietários das habitações, que pretendam fazer gratuitamente uma análise ao radão nas suas habitações. Os interessados deverão enviar um email para Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar., com o nome, morada, código postal e telefone. A habitação tem que estar ocupada, no tempo que dura o teste e não pode estar em obras e apenas voluntários que residam no rés-do-chão ou primeiro andar podem participar.

Numa segunda fase, procede-se à entrega e colocação dos detetores de radão e passado 3 meses, à sua recolha.

A Universidade de Coimbra (UC) está encarregue da produção dos detetores, da sua análise em laboratório, do tratamento dos resultados e na integração dos dados para a obtenção do mapa de risco da exposição ao radão.

A APA, além da gestão deste projeto, garante a produção de todo o material informativo necessário para a realização desta campanha e realiza sessões de esclarecimento para as populações sempre que pertinente.

O resultado final desta campanha é a produção do mapa de risco de exposição ao radão. Este mapa será publicado no sítio oficial da APA para livre consulta.

No mapa poderá visualizar se a habitação ou local de trabalho se situa numa zona de risco e assim tomar as medidas necessárias de acordo com a especificidade do local.

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Janeiro 2020 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
    1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30 31