O Município de Almodôvar realiza já no próximo dia 25 de fevereiro, a partir das 15 horas, na Praça da República, aquele que já é considerado o maior Corso Carnavalesco da região do Baixo Alentejo. Continuará a existir uma aposta nos prémios monetários aos participantes e sobretudo na sensibilização ambiental.

As inscrições para participar no Desfile do Carnaval de Almodôvar estão abertas entre os dias 27 de janeiro e 11 fevereiro. Poderão inscrever-se grupos a pé ou em carros alegóricos, assim como participantes individuais. As inscrições poderão ser feitas presencialmente na Câmara Municipal de Almodôvar ou através da Internet, na página eletrónica do Município. As inscrições são limitadas a 30 carros alegóricos e 30 grupos a pé. Os participantes individuais apenas se poderão inscrever no próprio dia.

O Município de Almodôvar atribuirá, à semelhança das edições anteriores, prémios de participação a todos os grupos, desde que o júri considere que houve algum cuidado na apresentação dos mesmos.

Assim, os prémios de participação para grupos a pé, com um mínimo de 10 elementos, serão de 225 euros. Para grupos em Carro Alegórico, com um mínimo de 7 elementos, serão de 300 euros. Os prémios de classificação para grupos a pé serão de 200 euros para o primeiro lugar, 150 euros para o segundo lugar e 100 euros para o terceiro lugar. Em carros alegóricos, o primeiro prémio fixa-se em250 euros, o segundo prémio em 150 euros e o terceiro lugar em 125 euros.

Para além das distinções já mencionadas, há ainda lugar à atribuição de prémios aos Grupos de Escolas e que serão de 150 euros para o primeiro classificado, 100 euros para o segundo e 75 euros para o terceiro lugar. Também haverá distinção para os participantes no que diz respeito à utilização de materiais reciclados. O carro alegórico que mais utilize estes materiais recebe uma distinção de 250 euros e o grupo a pé que mais e melhor faça uso de material reciclado obtém um prémio de 200 euros. Serão ainda atribuídas distinções monetárias aos participantes individuais, de 100, 50, 40, 40 e 20 euros, de acordo com a classificação e prémios especiais de 100 euros ao padrinho e à madrinha do carnaval de Almodôvar 2020.

O Município espera, este ano, voltar a ter largas centenas de foliões que irão desfilar pelas principais ruas da Vila de Almodôvar.

 

Decorreu esta quinta feira, 16 de janeiro a tomada de posse do novo Comandante do Regimento de Beja.

O Coronel de Infantaria Aníbal Saraiva, que exerceu funções na Unidade de Apoio do Comando do Pessoal, ocupa a vaga que pertenceu ao Coronel Jorge Varela Curro.

O Regimento de Infantaria nº 1 de Beja, é responsável pelo apoio, aprontamento e treino operacional de unidades da componente Operacional e outras Forças.

No mercado nacional, as vendas dos vinhos do Alentejo, em 2019, atingiram um volume de 88,2 milhões de litros, correspondente a 117,4 milhões de garrafas, segundo a Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA), verificando-se um aumento de 3,8% em relação a 2018, foi hoje, dia 16 de janeiro, anunciado.

Resultado de uma produção mais elevada em 2018, esse crescimento foi recebido por parte da CVRA como um dado positivo.

Nos 3 anos anteriores a 2018, verificaram-se quedas de produção, sendo que no ano de 2018 existiu uma recuperação e os vinhos desse ano acabaram por possibilitar que as vendas em 2019 atingissem valores mais elevados.

117,4 Milhões de garrafas é um valor que equivale em média a quase 10 garrafas de vinho por cada português e segundo a CVRA, as vendas incluíram 70% de vinhos da colheita 2018, 21% da colheita 2017, 5% da colheita 2016 e 4% de colheitas anteriores, sendo os meses de fevereiro, abril e maio os que tiveram maior atividade comercializadora, com quantidades médias de 12,5 milhões de garrafas por mês.

Tal como noticiado anteriormente pela Rádio Campanário, o Centro de Aprendizagem da Escola Manuel Ferreira Patrício, em Évora, encontra-se com falta de auxiliares, o que tem condicionado as aulas de 5 alunos com necessidades especiais.

Neste sentido a Rádio Campanário questionou a Secretária de Estado da Educação, Susana Amador, sobre estas questões.

A Secretária de Estado começa por referir que “o Ministério da Educação esta a par”, acrescentando que “por vezes ocorrem esses problemas”.

Susana Amador refere que “as situações estão sinalizadas e assim que tivermos os recursos necessários colocaremos funcionários”.

A responsável afirma que “a educação inclusiva é fundamental para o nosso Governo”, referindo que “é evidente que ao colocarmos mais crianças com necessidades especiais na escola, significa que temos de fazer um reforço de recursos humanos”.

Susana Amador lembra que “em 2017 já efetuámos um reforço do pessoal não docente”, no entanto, “se verificarmos que não é suficiente teremos de proceder ao reforço dos recursos humanos”.

A Secretária de Estado afirma que “o Orçamento do Estado prevê a revisão da portaria, o que irá solucionar o problema”, até lá, “estamos a trabalhar com os diretores de agrupamentos para ver se dentro do espaço escolar é possível ir buscar recursos”.

Em declarações à Rádio Campanário, o Arcebispo de Évora, D. Francisco Senra Coelho, revelou que na sua opinião, o estado não tinha vocação para determinados problemas tais como, a ternura, o afeto e o carinho, dando o exemplo dos idosos, das crianças e de pessoas com deficiência.

Segundo o Arcebispo de Évora, “quando é necessário carinho e ternura, entra a família”, esta que se organiza localmente com “criatividade” e “coragem”, faz das suas instituições sociais de solidariedade, sendo por isso mesmo denominadas como Instituições Particulares de Solidariedade Social.

Para D. Francisco Senra Coelho, o estado não deve assumir um olhar totalitarista, sendo que, deve assumir “um sentido de responsabilidade de ajudar as famílias e as suas iniciativas associativas”, de fazer com que aqueles que precisam de carinho, de amor, de afago, tenham de facto essa proximidade, de que apenas a família é capaz de oferecer. “O estado o que faz é distribuir o que nós lhe entregámos com os nossos impostos, é restituir às famílias com critério e competência aquilo que a família lhe entregou”.

Na sua perspetiva, caracteriza como dramático o momento atual, após ter sido presidente durante vários anos de uma instituição, onde acompanhou com experiência própria este trabalho e teve a perceção do que através da segurança social chegava como apoio e comparticipação, o arcebispo de Évora refere que lhe era fornecido apoio que possibilitava a prestação de um serviço de dignidade.

Os apoios que rondavam os 50% da despesa de um idoso, com o aumento do custo de vida, viram este valor ser reduzido para 35%, sendo que muitas instituições “vivem situações por vezes nada confortantes, mas dramáticas”, já que os seus orçamentos apresentam saldo negativo o que é indicador do perigo de não prestar um serviço de qualidade, podendo entrar em rutura colocando em causa vários postos de trabalho, visto que estas intuições, são uma das grandes empregadoras do país.

O arcebispo de Évora, D. Francisco Senra Coelho finaliza frisando que este tema não é um tema onde se deva facilitar devendo ser encarado com coragem pelos responsáveis do setor do governo e ao mesmo tempo a nível regional, para que não existam situações de rutura grave, que resultarão na destruição da família e por consequência da sociedade.

Atletas do Alentejo e Algarve estarão presentes na primeira edição de trail running “Trilhos Salgados – Lagoa” , onde irão percorrer os caminhos dos Promontórios e dos 7 Vales Suspensos, no dia 26 de janeiro.

A Câmara de Lagoa e a Associação Trail Runners Portimão organizaram em conjunto esta prova que fará parte do calendário da Taça Alengarve Trail.

Existirão duas vertentes, uma de competição que será o Trail Longo com uma extensão de 30 quilómetros e outra de Trail Curto com um trajeto de 16 km.

No âmbito desta prova existirá também uma vertente lúcida que consistirá numa caminhada de 11 quilómetros entre Benagil e Porches.

As inscrições para a participação neste trail encontram-se abertas até dia 21 do mês de janeiro.

 

No próximo dia 19 de janeiro, a partir das 10h00, os Municípios de Alvito e de Viana do Alentejo, com o apoio das Associações de Atletismo de Beja e de Évora, Bombeiros Voluntários de Alvito e de Viana do Alentejo, GNR de Alvito e de Viana do Alentejo e Juntas de Freguesia de Alvito, Viana do Alentejo e Vila Nova da Baronia promovem a Corrida Viana – a – Par – de – Avito.

A terceira edição da prova, dividida em vários escalões, destina-se a todos os atletas federados e não federados, em representação de coletividades, organizações populares, grupos desportivos, escolas ou a título individual.

A prova principal de 13 km que liga Alvito a Viana do Alentejo está marcada para as 10h00 na Praça da República, com passagem por Vila Nova da Baronia. Já as provas jovens (400, 800, 1000, 2000 e 3000 metros) realizam-se no percurso do Circuito de Manutenção do Parque Municipal da Quinta da Joana, em Viana do Alentejo.

A entrega dos prémios tem lugar a partir das 11h45, no Parque Municipal da Quinta da Joana, em Viana do Alentejo.

Realizou-se na última quarta-feira, 15 de janeiro, na Sala de Sessões dos Paços do Concelho, a reunião ordinária da Câmara Municipal de Moura.

De entre os assuntos da ordem do dia destaque para a aprovação, por unanimidade, do Projeto de Execução do Parque da Ermida de Santo António, em Santo Aleixo da Restauração, com o valor estimado para obra de 109.738,89 euros.

Por maioria, com quatro votos a favor, do Executivo PS, e três abstenções, dos Vereadores da CDU, foi aprovado o Projeto de Execução para a Requalificação Urbana do Largo Frederico Ulrich/Ameias, em Safara, com o valor estimado para a obra de 137.622,55 euros.

O paradigma agrícola do Alentejo mudou nos últimos anos, se anteriormente a região foi classificada como ‘O celeiro de Portugal’, nos dias que correm é o olival que domina a exploração agrícola.

Cerca de 70% das terras, especialmente as que ficam junto do Grande Lago de Alqueva, mudaram de proprietários nos últimos 10 anos.

As searas e as culturas de grão do passado deram lugar aos mega latifundiários assentes em fundos internacionais.

Segundo avança o Sábado, 65% dos olivais do Alentejo pertencem a 6 grandes grupos, que gerem a sua cultura e produção.

O investimento público realizado, o maior já feito na agricultura em Portugal, beneficiou estes grupos.

Tais factos fazem escassear a terra regada por Alqueva, ao mesmo tempo que, o preço do hectare disparou 6 vezes nos últimos 15 anos.

Fruto da superprodução dos olivais de Alqueva, Portugal é já o quinto maior exportador mundial de azeite, estimando a Comissão Europeia que o olival pode aumentar 88% até 2030.

Nem tudo são rosas neste processo, lembramos as consequências ambientais que estas culturas intensivas provocam, desde o esgotamento dos solos aos problemas causados pelo uso de produtos fitofarmacêuticos, passando pelo uso da água, bem cada vez mais escasso na região.

A Barragem de Alqueva é uma das quatros centrais hidroelétricas, em Portugal, que vai testar um novo sistema de turbinas e bombas mais amigas do ambiente.

A tecnologia é desenvolvida por um consórcio sustentado por 7 países, 18M € e 15 instituições de outros 5 países, procurando melhorar a eficiência de centrais hidroelétricas num projeto conhecido por Xflex Hydro, financiado pela Comissão Europeia e liderado pela Escola Politécnica Federal de Lausanne, na Suiça.

O principal objetivo do projeto passa por desenvolver novas tecnologias que tornem mais eficientes as turbinas e bombas das centrais, tendo em conta a descarbonização do setor energético.

Os estudos serão divulgados em 2023, junto da Comissão Europeia.

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Janeiro 2020 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
    1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30 31