19 junho, 2019
Augusta Serrano
Notícias
17:00-19:30

No passado domingo, 16 de junho, a Rádio Campanário transmitiu mais uma emissão do programa “Poder das Palavras”, onde a atualidade nacional é debatida aos microfones desta sua estação.

No programa, conduzido por Victor Lamberto, foram abordados e debatidos os temas que têm marcado a atualidade nacional com um painel de comentadores constituído por Bruno Martins, Luís Assis, José Fateixa, Jorge Pinto e David Galego.

No início do ano, surgiram denúncias e relatos de insegurança alegadamente gerados pela existência de um acampamento de famílias de etnia cigana junto ao Jardim de Infância do Penedo de Ouro, em Évora.

A RC falou à altura com Carlos Pinto de Sá, Presidente da Câmara Municipal de Évora, que garantiu que as famílias tinham sido realojadas e que a autarquia, em conjunto com outras entidades, estava a “fazer um trabalho de fundo” para encontrar soluções para outras situações semelhantes.

Esta estação emissora voltou a falar com o autarca sobre a comunidade cigana no território, que afirmou que “é uma matéria muito complexa e difícil”.

Existe “um conjunto de comunidades diferenciadas”, explica, desde nómadas que passam pelo território, “a nómadas que residem habitualmente no território” e famílias de etnia cigana que residem em habitações.

“É uma temática que tem que juntar todos e procurar soluções que não são fáceis e que passam por todos”
Carlos Pinto de Sá

“Temos problemas diferenciados” avança, decorrentes dos valores destas comunidades “que por vezes chocam com os valores e com a forma de estar dos restantes habitantes”.

O município, garante, “procura a integração e inclusão dessas comunidades de forma a que os direitos e deveres sejam iguais para todos”.

Neste sentido, e porque acredita que “é uma temática que tem que juntar todos e procurar soluções que não são fáceis”, foi criada uma rede social “que engloba várias instituições” nomeadamente a Câmara Municipal, a Segurança Social, as forças de segurança, a Direção Regional de Educação e as juntas de freguesia”.

O autarca defende que “é algo que tem que ser visto também do ponto de vista nacional”, e um problema que “tem que ter políticas nacionais que infelizmente não tem”, sendo a resolução das questões da inclusão “atiradas um pouco para cada localidade”.

O autarca conclui afirmando que “o caminho que estamos a fazer é difícil, às vezes incompreendido, mas que tenta este equilíbrio entre a dignidade das pessoas e o cumprimento dos direitos e deveres que todos temos”.

Uma mulher de 28 anos de idade foi identificada pela Polícia de Segurança Pública de pois de tentar introduzir droga no interior do Estabelecimento Prisional de Elvas, revela a PSP no balanço operacional.

Segundo a PSP, em nota enviada à redação da Campanário, a droga destinava-se ao seu companheiro que cumpre pena neste Estabelecimento Prisional.

De acordo com o mesmo documento, a mulher tinha na sua posse 7 doses de haxixe. A mesma foi notificada para comparecer na Comissão de Dissuasão da Toxicodependência de Portalegre.

A autarquia de Serpa recebeu na passada terça-feira, 11 de junho, um ofício da Delegação Regional de Educação (DGEsTE) a confirmar que não vão ser encerradas a Escola Primária de A-do-Pinto e o pré-escolar de Vales Mortos.

Recorde-se que, tal como noticiado pela Campanário, o Município de Serpa foi surpreendido em abril através de um ofício em que era dado à autarquia um prazo de 10 dias para se pronunciar sobre a “proposta de não funcionamento”, no ano letivo de 2019/2020 das referidas escolas.

Segundo o autarca, em declarações a esta estação emissora, o Município logo se opôs à intenção do Ministério da Educação, mas sem qualquer resposta da parte da tutela a autarquia expressou em comunicado o seu desagrado em relação ao encerramento destas valências educacionais.

“Quando saímos para a rua com a nota de imprensa fomos informados através da secretária de Estado a dizer que ainda não havia uma informação oficial, mas que estaria garantido que essas valências não iriam encerrar no próximo ano letivo”
Tomé Pires, autarca de Serpa

Em comunicado enviado às redações esta sexta-feira, 17 de junho, a Câmara de Serpa confirma que a 11 de junho “recebeu um ofício, datado de 5 de junho, por parte da DGEsTE, a confirmar que, conforme transmitido telefonicamente, não está previsto o encerramento das escolas de Vales Mortos e A-do-Pinto”.

Contudo, o município alentejano lamenta que “só depois de ser enviada a nota de imprensa e de esta ter sido divulgada, houve uma resposta verbal por parte das entidades responsáveis”.

A Câmara Municipal de Moura viu aprovada a candidatura do Terminal Rodoviário, num projeto que prevê a adaptação do edifício de passageiros da antiga Estação de Caminhos de ferro numa plataforma adaptada para o Transporte Coletivo Rodoviário.

De acordo com a nota enviada à redação da Campanário, a autarquia alentejana esclarece que a candidatura havia sido apresentada no dia 20 de dezembro do ano passado ao Programa Operacional Regional Alentejo 2020.

O projeto visa a valorização do edifício no sentido de o reverter do atual estado de degradação e representa um investimento de 669.741,72 euros, com uma taxa de cofinanciamento de 85% ao abrigo do programa FEDER.

A obra visa dotar o imóvel com melhores condições, reativá-lo e, sobretudo, incentivar a utilização de meios de transporte coletivo e promover a intermodalidade entre os diferentes meios de transporte.

Para a autarquia de Moura este projeto assume “extrema importância”, pois pretende “colmatar uma carência há muito reivindicada pela população e que trará melhores condições de utilização aos utentes e operadores rodoviários do concelho”, pode ler-se no documento enviado pelo Município.

3 crimes contra a vida em sociedade, 4 colisões e 49 contraordenações, foram algumas das ocorrências registadas pela GNR esta segunda-feira, dia 17 de junho, no distrito de Évora.

Segundo o Comando Territorial foram registados 5 acidentes de viação, sendo 4 colisões e 1 despiste.

Foram registados 1 incêndio, tendo ardido cerca de 3.8 hectares de pasto e 400 oliveiras.

No âmbito da criminalidade foram registadas 10 ocorrências, sendo 3 crimes contra as pessoas, 4 crimes contra o património e 3 crimes contra a vida em sociedade.

No que respeita a contraordenações foram registadas 49 infrações rodoviárias.

Duas pessoas morreram na manhã desta terça-feira, 18 de junho, devido à inalação de gás numa casa na freguesia da Urra, em Portalegre.

Segundo fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Portalegre, citada pela agência Lusa, as duas vítimas mortais são do sexo masculino e têm 30 e 48 anos.

A mesma fonte informa que o alerta chegou às 07.16 horas e para o local foram mobilizados os bombeiros de Portalegre e uma Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do Hospital de Portalegre.

A investigação do caso foi entregue à Polícia Judiciária.

A Adega de Borba apresenta o novo Senses Verdelho 2018, produzido a partir da casta Verdelho, uma das mais recentes nos encepamentos do Alentejo. Este vinho vem complementar a gama de monovarietais da Adega de Borba, já composta pelos tintos Senses Touriga Nacional, Senses Syrah, Senses Petit Verdot e ainda pelos brancos Senses Alvarinho e Senses Viognier. 

 

Para Óscar Gato, Enólogo da Adega de Borba, “A casta Verdelho na sub-região de Borba apresenta um bom equilíbrio aromático-gustativo de frutos tropicais e cítricos, descritores que podemos apreciar neste vinho monovarietal, no entanto, a casta harmoniza muito bem com outras castas regionais, acrescentando maior complexidade aos vinhos de lote.”

 

O vinho apresenta uma cor limão, de aroma a frutos tropicais e ligeiro floral. Tem um sabor fresco, frutado, a persistir com ligeiro cítrico melado. É um ótimo acompanhamento para marisco e peixe fresco na grelha. Este vinho estagiou 3 meses em garrafa para afinamento sensorial.

Uma explosão nas Minas de Aljustrel fez um ferido grave, na tarde desta segunda-feira.

Segundo avançou a TVI no local, tratou-se de uma explosão num tubo de ar comprimido, na zona das "lousarias".

Os mineiros foram retirados.

O alerta foi dado às 17:06.

No local estão sete bombeiros e três viaturas.

 

Maestro António Victorino D'Almeida e o professor e músico Luís Zagalo, têm uma audiência marcada com o Papa Francisco esta quarta-feira, dia 19 de Junho, no Vaticano.

Além da audiência, os dois músicos têm prevista uma breve interpretação musical com repertório sacro.

O Maestro António Victorino D’Almeida irá oferecer ao Sumo Pontífice a sua mais recente composição, a “Missa de Santo António”, escrita para orquestra sinfónica, coro e solistas. Esta obra é dedicada ao próprio Papa Francisco.

Luís Zagalo irá oferecer ao Santo Padre o disco Encontro(s), que contém dez canções originais, cinco escritas pelo próprio, três pelo seu irmão, Pedro Zagalo, uma resultante de uma parceria entre ambos, e outra da autoria de José Mateus. Estas canções têm letras originais escritas pela Irmã Fátima Magalhães, Milé Marinho e pelo professor Luís Zagalo. O disco foi gravado por Silvie Ornelas (Voz), Luís Zagalo (Piano, violino, teclados e voz), Pedro Zagalo (Guitarra, piano e teclados), Herlander Medinas (Baixo e contrabaixo), Sérgio Costa (Bateria e Percussão), Ricardo Branco (Saxofone) e David González (Violino).

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Junho 2019 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30