12 Dez. 2019
 

Decorreu esta segunda feira, 9 de dezembro, a visita da Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, a uma empresa de tecnologia de precisão sediada na Zona Industrial de Elvas.

Aos microfones da Rádio Campanário, Ana Abrunhosa explica que “em primeiro lugar vim falar com os autarcas do Alto Alentejo e com o presidente da CCDRA, para tentarmos perceber quais as suas preocupações em termos dos projetos que têm apoios de fundos comunitários”.

A Ministra refere que “procurei também perceber qual a estratégia que tem delineada para o futuro, para que seja possível atrair empresas e jovens qualificados que queiram vir trabalhar para o interior”.

Para além disso foram também “discutidos projetos relacionados com a rodovia e a área social”, declara.

Outra das componentes da vinda da Ministra passou pela “visita a projetos concretos”, como é o caso da Argo Baum (empresa de eletromecânica de precisão, sediada em Elvas, que produz componentes para dentistas).

Para a Ministra a Argo Baum “é uma empresa de ponta que trabalha exclusivamente para a exportação, para nichos de mercado de alto valor”, acrescentando que “estes empresários não são de Elvas, só aqui investiram graças ao esforço do autarca Nuno Mocinha”.

“São empresas como esta que pretendemos que se instalem no território”
Ana Abrunhosa

Ana Abrunhosa considera que “temos de mostrar a potenciais investidores que vale a pena aqui investir, e todos estes exemplos de sucesso servem como montra para os interessados”.

A responsável pela tutela afirma que “um dos meus objetivos é olhar para o interior com umas lentes especiais, no entanto, não o posso fazer sozinha, tenho de o fazer com os autarcas, com as empresas, com as universidades, com os politécnicos”.

Para a Ministra “todas as entidades que referi são importantes na medida em que criam empregos”, no entanto “as empresas através das exportações conseguem atrair grande riqueza para o nosso território”.

Ana Abrunhosa afirma que “queremos que as empresas considerem na sua estratégia de investimento o interior, até porque o interior não padece dos problemas que padecem as grandes cidades”.

O Comando Territorial de Portalegre, através do Núcleo de Proteção Ambiental de Elvas, no dia 6 de dezembro, deteve um homem, de 64 anos, por posse ilegal de arma, no concelho de Elvas.

No âmbito de uma fiscalização rodoviária que tinha como objetivo controlar o transporte de azeitona, os militares verificaram que o indivíduo tinha consigo duas armas de fogo, sem que estivesse habilitado a utilizá-las, o que levou à sua detenção e à apreensão das armas.

O detido foi constituído arguido e os factos foram remetidos para o Tribunal Judicial de Elvas.

O Comando Territorial de Portalegre, através do Posto Territorial de Monforte, no dia 9 de novembro, recuperou dois cães, de raça Fox Terrier e Jack Terrier, no concelho de Monforte.

No decorrer de uma ação de fiscalização nas localidades de Monforte e Vaiamonte, os militares recolheram 19 cães, dos quais 17 sem qualquer identificação e dois com chip, o que permitiu confirmar que tinham sido furtados, tendo sido recuperados e devolvidos aos respetivos proprietários.

No seguimento das diligências, foram elaborados dois autos de contraordenação por falta de Documento de Identificação de Animal de Companhia.

A recolha dos animais ficou a cargo da Câmara Municipal de Monforte que efetuou o seu transporte para o canil municipal.

A operação contou com o reforço do Núcleo de Proteção Ambiental de Elvas e do Posto Territorial de Arronches.

O Laboratório HERCULES da Universidade de Évora (UÉ) inventariou, documentou e reorganizou uma coleção de aproximadamente mil e duzentas amostras de Paolo e Laura Mora, onde se podem encontrar exemplares de vários países e de monumentos de cariz histórica excecional, como é o caso do túmulo de Nefertari, no vale das rainhas no Egipto.

Encontra-se em fase de finalização a primeira fase do projeto internacional “The Mora Sample Collection Project” da responsabilidade do Laboratório HERCULES da UÉ que desde 2018 se encontra a organizar esta coleção de amostras históricas no Centre for the Study of the Preservation and Restoration of Cultural Property (ICCROM) em Itália.

O objetivo principal foi o de inventariar, documentar e reorganizar uma coleção de aproximadamente mil e duzentas amostras reunidas entre a década de sessenta e oitenta por Paolo e Laura Mora, duas figuras incontornáveis no campo da conservação e restauro reconhecidos internacionalmente pelo seu trabalho desenvolvido no Instituto Central de Restauro de Roma e enquanto consultores e docentes do curso de Pintura Mural do ICCROM, um Centro Internacional de Estudos para a Conservação e Restauro de Bens Culturais.

Na coleção do casal Mora podem encontrar-se fragmentos do túmulo de Nefertari, no vale das rainhas no Egipto, contudo, esta coleção abrange os vários continentes do mundo. Podemos encontrar outro exemplo no Irão, mais precisamente em Persépolis, aquela que foi uma das capitais do Império Aqueménida, cuja construção se iniciou no reinado de Dario I e continuou ao longo de dois séculos até à conquista do império persa por Alexandre Magno. É nesta cidade que se localiza o Palácio Tachara, cuja construção se efetivou após a morte de Dario I em 486, pelo seu filho e sucessor Xerxes I, que lhe atribuiu o nome de “palácio de inverno”. O Palácio Tachara ficou intacto durante as incursões de Alexandre o Grande, no século IV aC, quando várias outras estruturas em Persépolis foram danificadas ou destruídas.

Já na Europa, também podemos encontrar alguns exemplos destes tesouros culturais, um deles situado em Bijacovce, uma vila e município do distrito de Levoča, na região de Prešov, no centro-leste da Eslováquia. A vila fica ao longo da famosa Rota Gótica, local onde se pode encontrar uma construção adjacente à igreja paroquial de Todos os Santos, designada de Rotunda, devido à sua forma circular, estando coberta por uma única cúpula sem abóbada. Feita em pedreira no século XIII e dedicada aos Santos Cosmos e Damião, a Rotunda poderia ter sido originalmente construída como uma capela para peregrinação, sendo que no seu interior abriga pinturas de vários períodos, desde a Idade Média até ao período contemporâneo.

“A coleção de amostras reunida por este casal, e doada na década de noventa ao ICCROM pode ser considerada uma das mais completas a nível mundial no que toca a pintura mural pela variedade de materiais e de técnicas presentes. Tratam-se de amostras oriundas de 34 países e de 112 sítios/monumentos, alguns dos quais de difícil acesso ou interditos atualmente”. Esta é a opinião de Milene Gil, a Investigadora da UÉ responsável pelo projeto que executou e coordenou os trabalhos realizados por uma equipa multidisciplinar na sede do ICCROM em Roma e na Universidade de Évora. O output final do projeto também criado na Universidade de Évora, por José Saias e Luís Rato do Departamento de Informática, é uma base de dados para a divulgação das imagens e dados recolhidos durante os dois anos de trabalho. Esta base de dados em Open Access será no futuro partilhada por toda a comunidade científica e público em geral.

"Dar sangue é dar vida" e você poderá fazê-lo, no próximo dia 14 de dezembro, das 09:00 às 13:00 horas, em Estremoz.

A recolha será feita na Avenida Condessa de Cuba, n.º 11 e precisam-se de doadores, entre os 18 e os 65 anos, com mais de 50 kg, para contribuir com esta dádiva, são precisos apenas 30 minutos para salvar muitas vidas.

Esta iniciativa é uma organização do Grupo de Dadores de Sangue dos Serviços Sociais da Caixa Geral de Depósitos.

Dê vida a esta causa!  

Aos microfones da Rádio Campanário esteve Aurelino Ramalho administrador do Centro de Apoio a Deficientes Luís da Silva, que nos conta como a ação de uma empresa situada em Lisboa (Stada, empresa multinacional alemã), o tocou, pois os funcionários desta empresa ao invés de trocarem as prendas entre si como era tradicional até então, doaram os seus presentes ao Centro Luís da Silva.

Esta iniciativa esteve também inserida no projeto GivingTuesday, intencionalmente realizado na primeira 3ª feira após a black friday, que consiste em criar uma massiva onda de generosidade que se prolongue para além deste dia.  

O administrador do Centro Luís da Silva diz que espera mais ações deste género, sobrepondo este tipo de doações a doações de nível monetário, pois este gesto é uma ação de amor como nos é dito. “Nós não queremos caridade, queremos amor”.

 Ainda em relação a esta doação que foi feita ao centro, é com grande satisfação que Aurelino Ramalho nos fala que, “este é um exemplo digno e magnífico de ser replicado” e que vai ficar certamente marcado na memória do Centro.

Apesar da conhecida frase “O Natal é quando um homem quer”, Aurelino Ramalho conta como este ato solidário surge numa altura em que todos sentimos um especial espirito de partilha e que, com ações deste género, sabemos realmente que é Natal.

O Centro Luís da Silva conta neste momento com 72 utentes que veem o seu Natal ser abrilhantado com esta ação solidária da empresa multinacional Stada. No final desta ação solidária existiu uma visita guiada pelas instalações do centro.

Projeto “A Minha Escola é Verde” avança.
 

O projeto europeu LIFE-myBUILDINGisGREEN, no qual a Escola EB Horta das Figueiras e toda a comunidade educativa está envolvida, e que tem como grande finalidade o combate às alterações climáticas, teve, recentemente, dois importantes avanços: a Assembleia de Escola já recolheu as propostas dos alunos para o “Pátio Verde”; e no topo do edifício já foi colocado um protótipo de cobertura verde.

Recorde-se que esta intervenção visa a colocação de mais árvores e plantas no edifício e pátio da escola, por forma a combater o calor no Verão e melhorar a qualidade do ar.

Durante a Assembleia de Escola, realizada a 4 de Dezembro, que contou com a presença do Coordenador do Projeto Salustiano Torre Casado (CSIC) e José Fermoso (CARTIF), do representante da CIMAC Teresa Batista, do representante dos Docentes Carla Romanga, do representante dos Pais Ângela Barreto e do representante do pessoal não docente Ana Sofia Piteira, os alunos Lara Abelha e Rita Fernandes (1º Ano), Maria Do Carmo Coutinho e Maria Ana Matos (2º ano), Carlota, Matilde, João Afonso, Beatriz Almeida (3º ano), Sarah Barreto e Maria Casquinha (4º ano) fizeram as apresentações ao júri e plateia das propostas de cada turma, bem como os representantes dos pais - Patrícia Claudino e Ana Oliveira – que apresentaram uma proposta em forma de maquete.

No dia seguinte, procedeu-se à colocação do protótipo de cobertura verde no edifício escolar e, ainda, à instalação de vários ninhos nas árvores, previamente construídos por alunos e encarregados de educação, em várias sessões levadas a cabo para o efeito, decorrente da iniciativa “De pequenino… eleições na escola Horta das Figueiras” realizada em outubro.

Neste dia, a vice-presidente da Câmara Municipal de Évora e vereadora do pelouro da educação, Sara Dimas Fernandes, assistiu a estas duas intervenções, conjuntamente com os pais, alunos, pessoal docente e não docente, para as quais contribuíram vários trabalhadores da edilidade, de diversos serviços.

  Edifícios verdes

O projeto europeu LIFE-myBUILDINGisGREEN, que em Évora tem a Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central (CIMAC) como entidade promotora, tem a escola EB da Horta das Figueiras a desenvolver a experiência piloto, que foi acolhida pela Câmara Municipal na procura de implementar soluções experimentais participadas que contribuam para melhorar o desempenho térmico dos edifícios escolares recorrendo a soluções baseadas na natureza.

O projeto europeu LIFE-myBUILDINGisGREEN, é financiado pelo Programa LIFE (LIFE17 CCA / ES / 000088), e tem como objetivo o estudo da aplicação de “soluções baseadas na natureza” (NBS) para a resolução do problema. O Projeto tem a duração de 4 anos, é coordenado pelo Real Jardin Botanico (RJB-CSIC) tendo como participantes o Centro de Tecnologia CARTIF de Valladolid, a Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central (CIMAC), o Município do Porto e a Diputación de Badajoz.

O projeto pretende analisar o impacto das soluções baseadas na natureza como medidas de adaptação às alterações climáticas em três escolas, uma na cidade do Porto, uma no Alentejo Central, em Évora e uma na província de Badajoz, em Solana de Los Barros. Assim, promover-se-ão medidas de adaptação sustentáveis baseadas nos ecossistemas, incrementando a capacidade de aplicar o conhecimento adquirido na prática através da demonstração e disseminação em workshops.

Os edifícios a abranger nesta operação são ocupados por estudantes e profissionais da educação de todos os níveis, por profissionais de serviços sociais e pelo público em geral que ocupa, regularmente, estes centros entre 70 e 75% do seu tempo.

Assim, serão instalados protótipos de NBS em fachadas e divisórias, telhados, superfícies externas e estacionamentos nos edifícios-piloto selecionados. Além disso, esta instalação será complementada pela implementação de medidas sustentáveis de ventilação natural induzida, sombreamento sazonal (natural e artificial) e a escolha de espécies nativas das áreas do Mediterrâneo e do Atlântico.

Com este projeto, é expectável uma melhoria significativa no conforto térmico dos cidadãos. As medidas adotadas podem ser replicadas em outros edifícios.

Segundo o comando territorial de Évora, da Guarda Nacional Republicana, em relação à atividade operacional do dia 9 de dezembro, foram registadas as seguintes ocorrências. 

Na área de responsabilidade desta guarda foram registados 5 acidentes de viação, 2 colisões, 2 despistes e 1 atropelamento que resultaram em danos materiais.

No âmbito da criminalidade foram registadas 10 ocorrências sendo 7 contra o património, 2 contra as pessoas e um crime contra o estado.

Foi ainda detido um cidadão pelo crime de violação de imposições, proibições ou interdições.

Foram registados 53 infrações rodoviárias e 5 infrações à legislação policial.

A Guarda Nacional Republicana informa a continuidade das operações resina, artémis, lagareiro e campo seguro fase II.

Durante o dia de hoje o posto móvel da GNR vai estar presente na localidade de Ciborro.

O dia 6 de dezembro marcou a realização do primeiro treino prático com fogo real de Gás Natural Liquefeito (GNL) no Porto de Sines, que envolveu a REN Atlântico, concessionária do terminal especializado onde é movimentada o produto em questão, e a Administração dos Portos de Sines e do Algarve.

Durante o treino foram inflamados cerca de 3 metros cúbicos de gás natural liquefeito, em obstáculo do tipo “pool fire”, correspondentes a cerca de 1800 metros cúbicos de gás natural na sua forma gasosa, o que permitiu treinar técnicas de contenção e dispersão de pluma, controlo de vaporização e extinção de incêndio.

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Dezembro 2019 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 31