Comentário semanal do eurodeputado José Gusmão aos microfones da Rádio Campanário (c/som)

Revista de Imprensa 18 Out. 2019

O eurodeputado José Gusmão, eleito pelo BE, no seu comentário desta sexta-feira, 18 de outubro, abordou aos microfones da Rádio Campanário a constituição do novo governo, a concessão aprovada para mina de lítio e os prémios obrigatórios que não têm sido usados pela garantia automóvel.

José Gusmão começa por considerar quanto á constituição do novo governo que “é difícil falar de novo governo, parece que não houve eleições”, explica que “existe um reforço do aparelho do partido socialista mais próximo de António Costa”, quanto aos nomes escolhidos destaca que “Ana Mendes Godinho tem tido posicionamentos preocupantes na área do trabalho e segurança social”.

José Gusmão considera que “António Costa não só não quis debater um programa de governo com toda a esquerda, como também não quis, pelos vistos, governar com todo o PS”.

Relativamente á concessão aprovada por João Galamba, que envolve uma entidade recentemente criada com capital de 50 000 euros, para um projeto de minas de lítio que pode render 380 milhões de euros, o eurodeputado pelo BE considera “este tipo de concessão perfeitamente inexplicável”, alertando também que “a exploração de lítio podendo ter um potencial, do ponto de vista dos nossos objetivos de transição energética, representa riscos ambientais que têm que ser tidos em conta”.

Ainda sobre a forma como foi conduzido o processo afirma que em sua opinião “vamos fazer uma concessão a privados, que não têm qualquer currículo, que não sabemos quem são nem como trabalham”, reforça ainda que “é uma decisão que acaba por não dever muito à transparência”.

No que aos prémios obrigatórios pagos, que não têm sido usados pela garantia automóvel, diz respeito o eurodeputado José Gusmão explica que “é um setor muito particular, em que grande parte do seu volume de negócios está associada a seguros obrigatórios” pelo que “as pessoas podem escolher entre as varias empresas seguradoras, mas não podem escolher não ter seguro”, conclui afirmando que este setor “obriga a que haja uma regulação muito mais forte, muito mais presente”.  

Veja também...

Histórico de Notícias

« Novembro 2019 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30