"A concentração da autarquia de Vila Viçosa vai ficar muito condicionada", diz Carlos Zorrinho (c/som)

Publicado em Revista de Imprensa 02 abril, 2019

O eurodeputado Carlos Zorrinho, eleito pelo PS, no seu comentário desta terça-feira, dia 2 de abril, fez o ponto de situação em relação ao BREXIT, falou sobre o alerta da OCDE sobre o combate ás infeções hospitalares, abordou a possível rejeição do “CHEGA” como partido candidato ás europeias, falou ainda da possibilidade de Pedro Marques vir a ser comissário europeu e finalizou com um comentário sobre a situação vivida em Vila Viçosa com a perda de mandato por parte de Manuel Condenado e Luís do Nascimento.

Sobre a questão BREXIT, Carlos Zorrinho conta aos microfones da Campanário que “é muito difícil fazer previsões”, o eurodeputado conta que “ontem, uma solução que era magnífica foi chumbada por meia dúzia de votos” (a solução passava por um acordo em tudo semelhante ao que existe com a Suíça e a Noruega). Carlos Zorrinho refere que o risco da saída sem acordo “começa a aumentar” e “até 12 de abril tudo ficará clarificado”. Quando questionado pela RC sobre uma possível saída sem acordo, Carlos Zorrinho considera “será mau para Portugal e para todos, vamos ter de nos adaptar, será uma adaptação um pouco forçada, mas que se começa a tornar inevitável”.

Relativamente ás medidas pedidas pela OCDE para fortalecer o combate ás infeções hospitalares que vitimam cerca de 859 pessoas por ano, o eurodeputado considera que “é um número alarmante, mas que já conhecemos”, Carlos Zorrinho acrescenta que “os hospitais são edifícios complexos e a OCDE apenas vem lembrar aquilo que muitos cartazes nos hospitais nos alertam, como lavar as mãos, enfim, medidas básicas mas muito importantes”.

A Campanário convidou o eurodeputado a abordar a rejeição por parte do Tribunal da Coligação CHEGA, encabeçada por André Ventura, ao que nos foi dito que “não faço ideia se alguma vez foi candidato, eu conheço o André Ventura como comentador desportivo”. O eurodeputado considera grave que André Ventura “represente uma força xenófoba de extrema direita” e disse que “tudo farei para que tenha o menor número de votos possíveis”, quanto a uma possível ilegalidade na candidatura, Carlos Zorrinho refere que “é algo que me transcende e o tribunal saberá avaliar”.

Ainda com o tema das europeias perguntámos a Carlos Zorrinho se Pedro Marques é candidato a deputado ou a comissário europeu, lembrando que os eleitores têm o direito de saber naquilo que estão a votar realmente. O eurodeputado considera “importante para Portugal que o PS tenha uma votação forte”, referindo que “se conseguirmos uma pasta importante no parlamento europeu será benéfico para o país”. Carlos Zorrinho garante aos microfones da RC que “Pedro Marques é candidato ao parlamento europeu, pode ser nomeado como dezenas de outros socialistas, é prematuro avançar com uma eventual passagem para comissário, vamos ver”.

Para finalizar a sua rúbrica semanal aos nossos microfones, Carlos Zorrinho abordou a perda de mandato de Manuel Condenado e Luís do Nascimento após decisão do tribunal. O eurodeputado refere que “o que me preocupa é este período de transição vivido em Vila Viçosa, durante este período a concentração da autarquia vai ficar muito condicionada”, Carlos Zorrinho manifesta o seu desejo para que “o processo seja rápido por forma a não prejudicar o dia a dia de Vila Viçosa e dos seus cidadãos”. O deputado não teceu mais comentários pois considera que “o que é da justiça, que seja a justiça a resolver”.    

  

 

Veja também...

Histórico de Notícias

« Outubro 2019 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31