A regionalização "permitiria um desenvolvimento muito mais equilibrado das regiões" (c/som)

Publicado em Revista de Imprensa 04 junho, 2019

O eurodeputado Carlos Zorrinho, eleito pelo PS, no seu comentário desta terça-feira, dia 4 de junho, abordou aos microfones da Rádio Campanário as mais recentes questões da regionalização, as acusações dos militares ao Ministro da Defesa em extinguir o subsistema de saúde da classe e ainda o anúncio de que o Estado vai pagar mais para contratar pessoal.

Relativamente ás mais recentes questões sobre a regionalização, Carlos Zorrinho refere que “eu sempre fui a favor da regionalização, bati-me arduamente no referendo de 1998”, o eurodeputado considera “impossível não debater nos 4 painéis pré-legislativas este tema”.

Questionado pela RC sobre o que mudou deste 1998 até ao presente, o eurodeputado refere que “não sei se terá mudado muita coisa na cabeça dos portugueses”, no entanto mantêm a sua opinião que “desde o inicio penso que teríamos um desenvolvimento muito mais equilibrado, uma melhor capacidade de utilizar os fundos de coesão das regiões mais deprimidas e com baixa densidade, caso tivéssemos criado as regiões administrativas”.

Carlos Zorrinho considera que “enquanto existirem fundos europeus será difícil verificar-se uma descentralização efetiva”, justificando que “pode existir um certo receio por parte do poder mais central”.

O eurodeputado afirma que “uma das grandes vantagens que temos no nosso país é não termos fraturas ou divisões na sociedade”.

No que respeita ás acusações dos militares ao ministro Gomes Cravinho de extinguir o subsistema de saúde, Carlos Zorrinho considera que “todos os processos evoluem, ainda faz pouco tempo tivemos um debate semelhante com a ADSE”.

O eurodeputado refere que “o ministro da defesa pediu o estudo e irá analisar quais as melhores soluções para os militares”, Carlos Zorrinho acrescenta ainda que “não podemos viver numa situação de fixismo, ou seja, as coisas são assim e não mudam”, da mesma maneira que considera que “não se podem extinguir serviços só por que sim”. Carlos Zorrinho salienta a importância dos “estudos e do diálogo para que se possa fazer sempre a melhor escolha”.

O eurodeputado finalizou a sua rubrica aos nossos microfones abordando o anúncio de que o Estado vai pagar mais para contratar pessoal. Carlos Zorrinho considera que “é claríssimo que algumas áreas do estado têm falta de profissionais e necessidades de melhorar os seus sistemas de resposta”, acrescentando “o país tem as a suas necessidades, mas também temos a necessidade manter as contas certas para que nos possamos financiar”.

Carlos Zorrinho afirma que “se pudermos contratar mais gente para reforçar os serviços e pagar-lhes melhores salários, será muito positivo”.   

Veja também...

Histórico de Notícias

« Agosto 2019 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31