Imprimir esta página

Comentário semanal do eurodeputado José Gusmão aos microfones da Rádio Campanário (c/som)

Revista de Imprensa 31 Jan. 2020

O eurodeputado José Gusmão, eleito pelo BE, no seu comentário desta sexta-feira, 31 de janeiro, abordou aos microfones da Rádio Campanário a localização do novo aeroporto e toda a polémica entre Joacine Katar Moreira e André Ventura.

José Gusmão considera que “desde que se fala da construção do novo aeroporto que tem existido muito controvérsia sobre qual a localização ideal”, acrescentando que “tivemos ideias muito más, como por exemplo a que previa a construção na zona protegida do estuário do Tejo”.

Para o eurodeputado “a realidade é que o aeroporto da Portela é uma solução esgotada e é necessária avançar para um novo aeroporto”.

Segundo José Gusmão “seja qual for a localização do aeroporto é uma solução que só pode ser complementada se for feita uma rede de acessibilidades que o país não tem, principalmente ao nível ferroviário”.

Naquilo que concerne ás polémicas entre Joacine Katar Moreira e André Ventura, o eurodeputado começa por referir que “sabíamos que com a eleição de André Ventura iriamos quebrar uma barreira higiénica em que a nossa democracia tem vivido”, acrescentando que “é um sinal dos tempos que o país acompanhe o crescimento de tendências de extrema direita”.

O eurodeputado considera que “a proposta da Joacine Katar Moreira não foi apresentada forma mais feliz”, lembrando que “temos muito países que foram potencias coloniais no passado e que já discutiram propostas desta natureza”.

José Gusmão refere que “a solução passaria por em conjunto com as ex-colónias reconhecer a forma como os espólios foram constituídos”.

Para o eurodeputado “não me parece que exista grande razão para o grau de violência da resposta do André Ventura”, acrescentando que “é uma resposta vergonhosamente racista, não faz sentido pedir a repatriação de uma cidadã que é portuguesa”.

José Gusmão afirma que “o único sentido desse comentário é mostrar que André Ventura acha que pessoas com a cor de pele de Joacine Katar Moreira, não devem viver em Portugal”, referindo que “estamos perante um caso óbvio de racismo e que deve ser denunciado como tal”.

José Gusmão considera “importante que tenham existido personalidades importantes da direita, com os quais tenho grandes divergências, que se demarcaram sem qualquer ambiguidade das palavras de André Ventura”.

O eurodeputado afirma que “é preciso construir uma barreira sanitária em torno deste tipo de ideias”, lembrando que “já é possível ver em comícios de André Ventura pessoas a fazerem a saudação NAZI”.

José Gusmão critica ainda a postura de Marcelo Rebelo de Sousa, uma vez que “o Presidente da República não esteve bem, disse que não era um comentador político recusando-se a comentar as declarações de André Ventura”.

Para o eurodeputado “Marcelo Rebelo de Sousa que fala sobre tudo e um par de botas, dizer que não comenta as declarações de André Ventura porque não é comentador político, prende-se apenas com o facto de não querer perder o eleitorado de André Ventura”.