×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 64

Comentário semanal do eurodeputado Carlos Zorrinho aos microfones da Rádio Campanário (C/SOM)

Revista de Imprensa 17 Nov. 2020

O eurodeputado Carlos Zorrinho, eleito pelo PS, no seu comentário desta terça-feira, 17 de novembro, abordou aos microfones da Rádio Campanário a condição do PCP para o pagamento a 100% do lay-off, as manifestações em pleno Estado de Emergência, a possibilidade de novas restrições suplementares para os concelhos de risco e as novas vacinas a serem desenvolvidas. 

O PCP impôs a condição do alargamento do salário pago a 100% em questões de lay-off para certos trabalhadores, de maneira a aprovar o orçamento de estado de 2021. O eurodeputado regista que" isto é um processo negocial em curso, é normal que o PCP faça a máxima exigência e também é normal que o governo faça as contas e veja aquilo que é possível fazer."

Carlos Zorrinho admite que ,nesta fase pandémica em que vivemos, "tudo o que puder ser feito, deve ser feito" para prestar apoio aos "trabalhadores, aos empresários e às pessoas que têm de facto uma pressão enorme com esta situação da pandemia." No entanto, "temos uma restrição, que são as possibilidades orçamentais, ainda que alargadas. Mas há limites que têm de ser garantidos, e julgo que a negociação levará a melhor solução possível," esclarece o eurodeputado.

Questionado acerca das manifestações que têm ocorrido em pleno Estado de Emergência, o socialista afirma que "as pessoas têm o direito de se manifestar, desde que o façam de forma ordeira.Vendo o que tem acontecido em todos os países da UE, temos visto que, mesmo com protestos, a verdade é que sem algumas medidas restritivas, que são sempre muito penalizadoras, é impossível achatar a curva e limitar o crescimento dos casos."

A fadiga social pelas restrições impostas pelo Governo e a desinformação geram alguma agitação na população. A esta declaração, o socialista avisa que "temos que ter a noção que isto é um desafio coletivo, e o objetivo é salvar o maior número de pessoas e de também salvar a economia." O Dr. Carlos Zorrinho refere a dificuldade sentida pelo SNS de prestar cuidados a para álem da Covid-19, à qual alerta para "quanto mais componentes mobilizamos do SNS para a Covid, estamos a deixar em descoberto outro tipo de doenças e de patologias que também têm de ser acompanhadas."

Face às declarações do Ministro Siza Vieira, sobre a possibilidade de virem a ser aplicadas novas restrições suplementares já na próxima semana, o socialista acredita que há"alguns sinais de abrandamento do crescimento da curva [de infeções]".

O eurodeputado, face ao crescimento de novos casos de covid-19 e a medidas restritivas, pede que seja compreendido pelas pessoas que "um concelho do interior para atingir o número de 240 infetados por 100 mil habitantes basta ter 20 casos. Em contrapartida, um concelho do litoral pode não estar nesta situação, mas ter muito mais infetados."

Questionado sobre as duas vacinas promissoras e a sua taxa elevada de eficácia, o Dr. Carlos Zorrinho acredita que "há razões para sermos otimistas." O eurodeputado afirma ainda que "houve um grande investimento no conhecimento, a própria união europeia financiou algumas destas empresas. Isto tudo leva a querer que ainda este ano, ou no inicio do próximo, os principais grupos de risco começarão a poder ser vacinados."

"Citando Bill Gates, que tem vindo a acertar em tudo com esta pandemia, vamos ter uma Primavera mais descansada e um Inverno normal," finaliza o eurodeputado Carlos Zorrinho aos microfones da Rádio Campanário.

 

Veja também...

Histórico de Notícias

« Dezembro 2020 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31