Imprimir esta página

Comentário Semanal do eurodeputado Carlos Zorrinho aos microfones da Rádio Campanário (c/som)

Revista de Imprensa 31 Mar. 2021

Na Revista de Imprensa desta terça-feira, 30 de março, contámos com o comentário do eurodeputado e representante do PS, Carlos Zorrinho.

Nesta Revista de Imprensa, foi abordada a promulgação dos apoios sociais efetuada pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, sem o acordo do Governo. António Costa, sobre esta temática já afastou uma crise política.

Carlos Zorrinho, sobre esta matéria, adiantou que “isso faz parte do normal sistema político e sobretudo na circunstância em que o partido que suporta o governo não tem uma maioria absoluta” acrescentando “aquilo que foi a opinião do Presidente da República é em si muito curiosa: porque por um lado promulga os diplomas mas depois insta o governo a cumprir os diplomas de acordo com o orçamento, ou seja, no fundo, tendo implícita aquilo que se tem designado de Lei Travão, ou seja, não se pode gastar recursos que não se tem.”

O Eurodeputado sublinhou ainda que “certamente agora o governo procurará ver se tem condições de fazer algumas reafetações” considerando ainda que a atitude do primeiro ministro é uma atitude de “grande sentido de estado e uma atitude de quem, nesta circunstância que estamos a viver, percebe que a última coisa de que o país precisa é de uma crise política.”

Questionado onde poderá governo ir buscar as verbas necessárias para o efeito, Carlos Zorrinho adiantou que o governo procurará soluções realçando no entanto a atitude positiva do governo perante este fato, salientando que “é muito fácil para os partidos da oposição proporem medidas que são populares mas a verdade é que, por cada euro que gastamos, temos que cobrar um euro de receita, portanto esse equilíbrio, pertence ao governo.”

Questionado se a atitude do presidente da República é d eoposição, adianta “não, é uma atitude desafiante e inovadora e que vai dar origem a um interessante debate sobre a flexibilização da Constituição.”

Carlos Zorrinho abordou ainda a situação pandémica em Portugal, nomeadamente o facto do limite de novos casos de covid 19 por 100 mil habitantes já ter sido ultrapassado em 32 concelhos do país, referindo “ os números são como são, no entanto, comparando com o que infelizmente está a acontecer em toda a europa, continuamos a ter números que nos dão alguma segurança” acrescentando ainda que “temos agora uma semana absolutamente decisiva, a semana da Páscoa, onde as regras são muito apertadas, mas são necessárias”.

A questão da vacinação no nosso país foi também abordada, nomeadamente no objetivo estipulado pelo governo de vacinar 100 mil pessoas por dia já em Abril, levantando-se a questão se vão existir vacinas disponíveis para isso e se existem profissionais de saúde em número suficiente para cumprir o objetivo. Sobre esta matéria, o Eurodeputado referiu “Tem havido constrangimentos no acesso às vacinas, não só em Portugal, mas em toda a europa, no entanto, eu estou convencido que, havendo vacinas, elas não ficarão por dar.”

o Eurodeputado Carlos Zorrinho abordou, por último, a questão das autárquicas 2021, especificamente a sua visão sobre os candidatos já apresentados pelo Partido Socialista, tendo referido “Acho que são candidatos fortes e ganhadores, todos eles. Sinto que há uma boa dinâmica e que o PS cumpre bem a sua obrigação, até como maior partido do Alentejo, pelo que apresentar-se-á com candidaturas ganhadoras nos 14 concelhos do distrito.”