30 Set. 2022
Augusta Serrano;
Fadistices
20:00-21:00

Comentário semanal do Eurodeputado Carlos Zorrinho aos microfones da Rádio Campanário (c/ som)

Revista de Imprensa Escrito por  12 Jul. 2022

A Revista de Imprensa desta terça-feira, dia 12 de julho, contámos com o comentário do Eurodeputado Carlos Zorrinho do Partido Socialista. Os temas abordados no dia de hoje foram: a situação dos incêndios e a resposta que está a ser preparada pelo Governo, a resposta do Serviço Nacional de Saúde e as declarações recentemente proferidas pelo vice-presidente do PSD, Paulo Rangel.

Sobre o tema dos incêndios, Zorrinho considera que o Governo está “a fazer tudo aquilo que pode”, mas lembra que a resposta, numa situação destas, tem de ser dada “por cada um de nós, cada cidadão, com tudo aquilo que tem à sua disposição”. O Eurodeputado socialista afirma que as temperaturas elevadas são uma causa “de algo que nós vimos a falar há alguns anos, designadamente o impacto das emissões de gases com efeito estufa que provocam alterações climáticas”.

Para Carlos Zorrinho, “os cidadãos estão mais conscientes e a proteção civil está melhor preparada”, no entanto alerta que com as condições climatéricas atuais “se houver comportamentos dolosos, meramente negligentes, que façam ignições, será muito difícil evitar um volume de área ardida muito forte”.

Questionado sobre a ação dos governos europeus e do próprio Parlamento sobre a legislação ao nível das alterações climáticas , Zorrinho defende que “a legislação é muito importante, mas a legislação tem de ser assumida pelas empresas, pelas pessoas e pela sociedade como algo que as protege e não como algo que, de alguma maneira, as limita”. “O que está em causa é salvar o planeta”, afirma.

No que diz respeito à resposta do Serviço Nacional de Saúde em caso de uma maior afluência aos hospitais por causa da época que se vive, Zorrinho é perentório em afirmar que “o Serviço Nacional de Saúde não será o ponto crítico”, esperando que a tragédia de Pedrógão Grande não se repita.

Sobre as recentes declarações em que Paulo Rangel, vice-presidente do PSD, que acusou António Costa de reduzir o tema do novo aeroporto a um “casinho”, o Eurodeputado socialista considera que estas declarações “são incendiárias” e que social-democrata se colocou “em bicos de pés”. “Mais importante do que vermos Paulo Rangel em bicos de pés era vermos Luís Montenegro com sentido positivo a colaborar numa decisão”. Sobre a localização novo aeroporto, Zorrinho afirma que “há estudos sobre várias localizações, não há localizações sem impactos, mas o aeroporto é necessário. É necessário ponderar e decidir e começar a fazer a obra em vez de aproveitar essas circunstâncias”, refere.

Quanto à nova liderança do PSD, Carlos Zorrinho afirma que “era muito importante ter um partido na oposição estruturado”, no entanto, afirma que a atitude de dizer não à regionalização e de não colaborar e de dar opinião sobre o novo aeroporto “não é um bom começo”. “Não há uma segunda oportunidade para causar uma boa impressão”, remata.

Veja também...

Histórico de Notícias

« Setembro 2022 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30