Imprimir esta página

Comentário semanal do eurodeputado Carlos Zorrinho aos microfones da Rádio Campanário (c/som)

Revista de Imprensa 15 Out. 2019

O eurodeputado Carlos Zorrinho, eleito pelo PS, no seu comentário desta terça-feira, 15 de outubro, abordou aos microfones da Rádio Campanário a nomeação de Ana Catarina Mendes para liderar a bancada do PS, a constituição do novo governo, as devoluções dos aumentos dos enfermeiros e toda a situação na Catalunha.

Sobre a nomeação de Ana Catarina Mendes, o eurodeputado considera que “vai fazer um grande trabalho, como faria um grande trabalho no governo se fosse esse o caso”.

Carlos Zorrinho considera que “Ana Catarina Mendes não integra o governo, penso que esteja associado a ela ter um irmão que é excelente governante na área das finanças”.

Para o eurodeputado “Ana Catarina tem todas as condições para unir a bancada e criar uma base flexível de apoio ao governo com os outros partidos”, Carlos Zorrinho acrescenta ainda que “o substituto de Ana Catarina, José Luís Carneiro, demonstrou ao longo destes quatro anos que é um homem com uma grande capacidade de diálogo”.

Relativamente aos elementos que irão integrar o governo, Carlos Zorrinho refere que “não tenho muitas informações, tenho estado concentrado no meu trabalho aqui em Bruxelas”, mostrando confiança “no mandato que demos a António Costa para que realize um grande trabalho, tal como aconteceu nos últimos 4 anos”.

O eurodeputado considera que “não tem de ser um governo totalmente renovado, mas penso que existirão algumas renovações”, no caso concreto de Luís Capoulas Santos (tutelar da pasta da agricultura e líder pelo círculo eleitoral de Évora), Carlos Zorrinho manifesta o seu desejo “para que continue”.

Naquilo que concerne ás devoluções dos aumentos por parte dos enfermeiros, o eurodeputado explica que “é uma decisão administrativa, do ponto de vista político e social é mau os profissionais terem de fazer essa devolução”.

Carlos Zorrinho refere que “é necessário verificar quem é que erros”, mostrando-se confiante de que “será apenas um lapso que provocou esta situação”.

O eurodeputado considera que “se eventualmente se concluir que este lapso foi mal intencionado, passaremos a ter um problema político, mas estou em crer que se trata de um problema administrativo e que facilmente será resolvido”.

O eurodeputado finalizou a sua rúbrica semanal aos nossos microfones abordando a situação da Catalunha.

Para Carlos Zorrinho “é um tema muito importante para a Europa”, acrescentando que “não é nas ruas e muito menos com violência que as coisas se irão resolver”.

O eurodeputado considera que “a Catalunha necessita de uma solução política”, manifestando o seu desejo para que “dia 10 de novembro em Espanha exista bom senso, por forma a encontrar-se uma solução para a Catalunha”.

Carlos Zorrinho deseja que “as forças politicas que defendem uma solução para a Catalunha obtenham uma maioria”, referindo que “a Espanha precisa de um António Costa para unir as pontas e dar estabilidade governativa”.