“Existe muita coisa fazer, muita coisa a recuperar, mas tem de ser feito na medida da recuperação da receita” (c/som)

Publicado em Revista de Imprensa 26 fevereiro, 2019

O eurodeputado Carlos Zorrinho, eleito pelo PS, no seu comentário desta terça-feira, dia 26 de fevereiro, abordou as palavras do ministro das finanças sobre a inexistência de margem orçamental para negociações, as cativações de 60% aplicadas ao Turismo do Alentejo e Ribatejo e ainda a polémica em torno dos donativos de Pedrogão Grande.

Carlos Zorrinho diz que “por um lado, é bom que a sociedade portuguesa continue a estar com vitalidade, as greves, os protestos são um sinal de vitalidade. No entanto tudo o que conseguimos nos últimos anos, em termos de resultados macroeconómicos, a confiança dos mercados que nos permitiram crescer, tudo isso se deve a uma capacidade de controlar as contas públicas”.

O eurodeputado disse à Campanário que “no passado tivemos já 3 ou 4 experiências negativas por se ter descurado as contas públicas”. Carlos Zorrinho reconhece que “ainda existe muita coisa fazer, e muita coisa a recuperar, mas isso tem de ser feito na medida em que formos recuperando a receita”. “Eu sei que os enfermeiros e os professores ganham pouco (…) e isso tem de ser resolvido. Em Portugal existe a ideia de que os problemas só se resolvem atirando dinheiro para cima deles”.

Carlos Zorrinho refere ainda que “estamos a viver uma recessão económica, a guerra comercial de Trump, os problemas da Venezuela, tudo isso tem consequências a nível da economia e como tal o governo tem de servir as pessoas o melhor que pode”.

Quando questionado pela RC se os professores e os enfermeiros irão ver as suas reivindicações negadas, Carlos Zorrinho diz que “vamos ver, não vamos antecipar cenários, pode ser possível alguns ajustamentos que não envolvam grandes gastos”. O eurodeputado diz ainda que “os professores em última análise têm de salvaguardar o interesse dos alunos”.

Relativamente às cativações recentemente aplicadas ao Turismo do Alentejo e Ribatejo, o eurodeputado referiu que “estou a saber essa notícia em primeira mão, não tenho bem a noção daquilo que implica. O turismo tem tido indicadores muito favoráveis e é nesta altura que temos de investir”. Carlos Zorrinho defendeu aos microfones da RC que “se estas cativações impedirem algum projeto estrutural não ficarei satisfeito”.

O eurodeputado terminou a sua rubrica semanal na Rádio Campanário com um breve comentário sobre a polémica com os donativos em Pedrogão Grande, dizendo que “a investigação jornalística é importante, mas não a podemos confundir com investigação judicial. O importante é que se existirem os factos referidos na investigação jornalística as entidades competentes possam atuar”.

Veja também...

Histórico de Notícias

« Agosto 2019 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31