Imprimir esta página

Governo “mentiu sabendo que o país não tem condições” para descongelar carreiras, diz António Costa da Silva no seu comentário semanal (c/som)

Revista de Imprensa 12 Mar. 2018

O deputado António Costa da Silva, eleito pelo círculo de Évora do PSD à Assembleia da República, no seu comentário desta segunda-feira, dia 12 de Março, começou por falar sobre as greves nos transportes e na educação, dizendo que a decisão do atual Governo em reverter a concessão dos transportes públicos “não se estão a verificar nem melhores condições nem melhoria de serviços”.

Quanto à greve na educação, o deputado social-democrata sustenta que a situação dos professores “apesar de diferente, tem algumas semelhanças [com os transportes]”, referindo que “foi-lhes criada a espectativa que iam ter descongelamento de carreiras e aumentos significativos dos seus rendimentos”.

Segundo António Costa da Silva, o que havia sido “prometido” pelo Governo, no entanto, refere que “um conjunto de funcionários públicos que tiveram alguma reposição e progressão nas carreiras”, o que na sua opinião “gera desequilíbrios e injustiça entre os diferentes funcionários”.

Questionado se o Governo teria condições para fazer uma reposição dos vencimentos e descongelamento das carreiras, o social-democrata refere que “altas figuras responsáveis pelas políticas que estamos a seguir são os próprios que dizem que o país tem poucas condições para cumprir essas regras”, afirmando que os governantes “mentiram em campanha eleitoral, garantiram que iria haver reposição de vencimentos e carreiras sabendo que o país não tem condições”.

No que diz respeito às declarações de Assunção Cristas apontando às próximas legislativas, António Costa da Silva considera uma “ambição legítima”, referindo que o “manifestado” pela líder do CDS intenciona irem a eleições “separados” do PSD.