Governo não vai matar a galinha “para tirar os ovos todos”, diz Carlos Zorrinho no seu comentário semanal (c/som)

Publicado em Revista de Imprensa 28 novembro, 2017

O eurodeputado Carlos Zorrinho no seu comentário desta terça-feira, dia 28 de Novembro, começou por comentar a aprovação do Orçamento de Estado para 2018, a notícia que tem marcado a atualidade, dizendo que o Orçamento aprovado “vem na linha dos anteriores”.

Segundo eurodeputado, “garante que o nosso défice” está sustentado e “controlado”, prevendo “um crescimento importante para a economia portuguesa, e em função disso, um conjunto de medidas de carater social”, tais como, o descongelamento das carreiras, aumento de pensões, recuperação do poder de compras, redução do IRS, entre outras.

No que diz respeito ao aumento da carga contributiva, Carlos Zorrinho diz que “existe um acerto no papel de distribuição”, e a derrama “é uma medida simbólica”, sustentando que “muito poucas empresas vão pagar 35 milhões de euros, e pagarão mais 100 mil euros” cada.

Em torno das declarações do Bloco de Esquerda (BE), apontando ao Governo de não cumprir o acordado, Carlos Zorrinho diz que “tem a ver apenas com a renda das energias”, indicando que “é muito importante apoiar todos aqueles que apostam nas energias renováveis”.

Recentemente divulgada a criação de equipas profissionais de bombeiros para todos os concelhos, e no que concerne à fatia destinada ao combate de incêndios, “temos que reforçar a capacidade de resposta”, referiu o eurodeputado tendo em conta os últimos acontecimentos.

No que concerne às reivindicações nos setores da educação e saúde, Carlos Zorrinho afirma que “há uma razão moral que assiste os funcionários públicos”, mencionando os cortes efetuados, e quanto à sua reposição, “tem que ser feita de forma progressiva e sustentável”, acrescentou.

Questionado sobre o grau de otimismo do Governo socialista, o comentador da RC sustenta que “as pessoas perceberam que há alguma folga para reivindicarem”, fazendo referência que “no Governo de Passos Coelho e Paulo Portas, o que havia era cortes e mais cortes”.

Segundo Carlos Zorrinho, “havia um sentimento de desistência perante o país”, motivo pelo qual o eurodeputado indica que “nesse ponto de vista, o otimismo é positivo”, pois, “o pão que existe não chega para todos, embora possa chegar um bocadinho para cada um”.

A terminar o seu comentário, Carlos Zorrinho aplica o ditado popular da “galinha dos ovos de ouro”, afirmando, “ainda bem que a galinha voltou a pôr ovos”, no entanto, “temos de aproveitar um ovo de cada vez, mas não vamos matá-la para os tirar todos”.

Veja também...

Histórico de Notícias

« Junho 2019 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30