Maria Helena Figueiredo no seu comentário semanal discorda da presença de Mário Draghi no Conselho de Estado, dizendo “não me parece que devesse vir a Portugal dar recados (…)” (c/som)

Publicado em Revista de Imprensa 08 abril, 2016

A Coordenadora Distrital de Évora do Bloco de Esquerda (BE), Maria Helena Figueiredo, no seu comentário desta sexta-feira, dia 8 de abril, falou sobre a presença de Mário Draghi no Conselho de Estado, e do ataque de Mário Centeno à ex-ministra da Finanças, Maria Luís Albuquerque e ao regulador da Comissão do Banif.

Maria Helena Figueiredo expressou que “o Governador do Banco Central Europeu, visitou o nosso país a convite do Presidente da República, um convite que é uma novidade porque o Conselho de Estado é um órgão com referencia constitucional, mas o senhor Presidente da República entendeu chamar para que os senhores conselheiros pudessem ouvir, mas também transmitir o seu sentimento sobre o que se passa”.

No entanto a dirigente bloquista considera que “Mário Draghi é membro de uma entidade estrangeira e a sua vinda a Portugal tem que se inserir nesse contexto de reserva que é exigido a quem é estrangeiro e se pronuncia sobre outros Estados. Não me parece que Mário Draghi devesse vir a Portugal dar recados (…)”.

No que concerne às declarações de Mário Centeno, a Coordenadora Distrital de Évora do BE refere que “a situação do Banif é uma situação que não é única, começamos com o BPN com um investimento público de 7 mil milhões, seguiu-se o Novo Banco com 4 mil milhões e num país que não tem dinheiro para esses desmandos encontra sempre dinheiro e temos agora o apoio público ao Banif que poderá pensar-se ser qualquer na ordem dos 2,3 milhões. Espero sinceramente que não seja mais uma vez os contribuintes a pagar (…)”.

Veja também...

Histórico de Notícias

« Setembro 2019 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30