“Penso que as pessoas vão secundarizar opções como a do Dr. Santana Lopes” nas próximas legislativas (c/som)

Publicado em Revista de Imprensa 21 janeiro, 2019

O deputado António Costa da Silva, eleito pelo círculo de Évora do PSD à Assembleia da República, no seu comentário desta segunda-feira, dia 21 de janeiro de 2019, falou dos resultados do Conselho Nacional do PSD, das mais recentes declarações de Pedro Santana Lopes e do recorrente encerramento de balcões dos CTT, especialmente nas regiões do interior.

Sobre os resultados do Conselho Nacional do PSD, o deputado começou por dizer que “o conselho nacional do PSD, na minha perspetiva correu muito bem (…) o apoio do Dr. Luís Filipe Meneses foi muito importante para o Dr. Rui Rio (…) e demonstrou a vontade de unir o PSD”.

António Costa da Silva considera que “foi um processo de discussão daquilo que eram duas perspetivas diferentes. No final o Dr. Rui Rio conseguiu ter um resultado muito positivo que foi ganhar o conselho nacional do PSD.” O eurodeputado diz ainda “a liderança do dr. Rui Rio ficou mais firme e reforçada” considerando que “o Dr. Rui Rio ganha o espaço interno para fazer a oposição ao governo”.

Sobre as mais recentes declarações de Pedro Santana Lopes, sobre possíveis alianças para derrotar o Partido Socialista, António Costa da Silva, diz que “não vislumbro nada de especial (…) é preciso ganhar a este partido socialista que tem enganado sucessivamente os portugueses (…) e o PSD como principal partido da oposição tem obrigação de ganhar”. O deputado afirma mesmo que “acho que a disputa vai estar entre o PSD do Dr. Rui Rio e o PS (…) penso que as pessoas vão secundarizar opções como a do Dr. Santana Lopes”.

O deputado finalizou a sua rubrica semanal abordando o encerramento de balcões dos CTT, e começou por explicar que “os CTT foram privatizados pelo governo anterior, mas as pessoas esquecem-se que foi o governo do partido socialista, liderado pelo Eng. José Sócrates, que negociou o memorando com a Troika onde ficou decidida a privatização dos CTT.” Acrescentando ainda que “não existia plano B”.

António Costa da Silva esclarece ainda que “no caso dos CTT não estamos a falar de uma privatização, estamos a falar de uma concessão até 2020”, acrescentando que a concessão obriga a que os CTT mantenham o serviço publico, os CTT sistematicamente estão a falhar a sua obrigação (…) e como tal estão em incumprimento”. O deputado pelo PSD termina a sua análise referindo que “o Dr. António Costa pode tomar a decisão que quiser porque ele não vai estar no próximo governo, logo isso é completamente indiferente”.

Veja também...

Histórico de Notícias

« Junho 2019 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30