“Precisamos de uma economia que seja menos dependente do estrangeiro”, diz João Oliveira (c/som)

Publicado em Revista de Imprensa 18 abril, 2018

O deputado João Oliveira, eleito pelo círculo de Évora da CDU à Assembleia da República, no seu comentário desta quarta-feira, 18 de abril, começou por falar sobre as prioridades orçamentais da atual legislatura com a redução da dívida portuguesa, em vez de utilizar a folga orçamental no investimento na economia, para depois falar das perspetivas da exploração de petróleo no Alentejo, terminando a sua análise a comentar o apoio dos partidos da Assembleia ao Governo.

Ao falar da opção do Governo em reduzir o défice da dívida pública, o deputado comunista diz que “o próprio défice é ele próprio um problema do país”, referindo que em 2017 “em vez de responder aos problemas do país [o governo] utilizou para reduzir o défice”, pelo que “parece-me uma opção errada”, afirma o deputado. Explicando que essa mesma folga, do ano anterior, poderia ter sido utilizada para resolver os problemas dos serviços públicos.

Referindo que a atitude de exigência orçamental da União Europeia “nunca mudou”, pelo que “nós não resolvemos nenhum problema económico porque nós temos o nosso crescimento económico sobretudo acescente em questões que são temporárias”, que “podem desaparecer de um dia para o outro”, dando exemplos como “o boom do turismo de Portugal”, ou “as baixas taxas de juros da União Europeia”. Pelo que “nós não temos o país preparado para aguentar uma situação dessas”, ou seja, de alteração de contexto, “se não resolvermos os problemas económicos do país”.

O deputado comunista considera que “nós temos que ter uma economia que não esteja dependente do estrangeiro”, sendo ao mesmo tempo “capaz de dar resposta aos problemas do nosso país, do nosso povo”.

Sobre a possibilidade de existência de petróleo ao largo da costa alentejana, João Oliveira considera que “primeiro que tudo é preciso saber o que é que temos”. Pois, “é pouco sério discutir condições de exploração de riquezas desse tipo sem saber exatamente quais são as riquezas que existem”. Além disso “a qualidade ambiental do nosso país, e em particular do Alentejo, é um elemento de desenvolvimento que nós devemos considerar estratégico”, que por sua vez “não é muito compatível com a exploração de petróleo”.

Por fim, a terminar, João Oliveira voltou a referir que a questão do PCP apoiar ou não o governo, “é tudo uma ilusão”, pois este depende de facto é do apoio da maioria da Assembleia da República.

Veja também...

Histórico de Notícias

« Maio 2018 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31