Castro Verde

“A agricultura extensiva é a resposta para o desenvolvimento do Alentejo e do país diz Catarina Martins na visita

Regional 20 Out. 2019

Em Castro Verde, Catarina Martins alertou que “a monocultura intensiva não tem trazido emprego” e “está a estragar os solos e a água” e defendeu que o Alentejo e o país precisam para o seu desenvolvimento de uma “agricultura extensiva, que seja ordenada e apoiada”.

A coordenadora do Bloco de Esquerda visitou, este domingo 20 de outubro, a feira de Castro Verde, “uma das maiores feiras do Alentejo”.

À comunicação social, Catarina Martins apontou que “o Alentejo tem tido um modelo de desenvolvimento que está errado”, criticando a ideia que a monocultura pode ser “a resposta para todos os problemas”. “A monocultura intensiva não tem trazido emprego nem povoamento ao Alentejo. A monocultura intensiva está a estragar os solos e a água e é um ataque à biodiversidade”, explicou a deputada.

“Pelo contrário, uma agricultura extensiva, que seja ordenada e apoiada, que tenha do ponto de vista económico os apoios de que precisa, é uma resposta para o desenvolvimento do Alentejo e do país, com emprego, com rendimento para quem trabalha, respeitando ao mesmo tempo o ambiente, os solos, a água e a biodiversidade”, defendeu a coordenadora bloquista.

Catarina Martins acrescentou ainda que esta visita à feira de Castro teve como intenção sinalizar “a prioridade ao desenvolvimento da agricultura extensiva, a prioridade ao desenvolvimento de todo o território”, “porque nós não nos resignamos com o declínio do interior”.

 

 

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Novembro 2019 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30