Imprimir esta página

Montemor o Novo

“A Casa das Letras olha o turismo e o Alentejo numa perspetiva cultural ajudando a revitalizar a região” diz David Lopes, Casa das Letras em Montemor(c/som e fotos)

Regional Escrito por  06 Jul. 2022

Foram recentemente revelados os vencedores da 6ª edição dos Prémios AHRESP 2022, que distingue as melhores empresas, instituições, estabelecimentos, regiões, eventos e profissionais dos setores da Restauração, Alojamento e Promoção Turística em Portugal.

A casa das Letras, alojamento local situado em Montemor-o-Novo arrebatou o Júri e arrecadou o prémio de conceito inovador.

A Rádio campanário falou com o seu proprietário, David Lopes que nos explicou que projeto é este e como recebeu a notícia de o seu alojamento ter vencido o prémio nesta categoria.

David Lopes começou por referir á RC “a primeira ideia foi contribuir para um projeto de revitalização do interior e foi nesta vertente que nós entendemos criar algo que nos diferenciasse e através do qual pudéssemos contribuir para a revitalização da vila de Cabrela” explicando “tentámos criar um alojamento rural que tivesse os livros no centro do projeto, mas de forma muito abrangente.”

O espaço onde está instalada a Casa das Letras, foi muitas coisas durante a vida, uma igreja do século XII que foi Casa do povo, Coletividade, espaço da Banda Filarmónica e creche.

Segundo o proprietário deste alojamento “pensámos reativar este edifício com uma função pública e social, um alojamento de vila, mas temático criando quartos literários, agregando a este projeto de alojamento um projeto de leitura pública” dando ainda a conhecer que neste local “pode encontrar a mais pequena biblioteca do mundo, onde destacámos 48 profissões. Onde todos eles escolheram um livro, o livro da sua vida, assim como através da colocação de uma antiga cabine telefónica, no centro da vila, que é um posto de recolha de livros.”

No que diz respeito ao prémio agora recebido e que distinguiu este projeto com um conceito inovador, David Lopes referiu-nos “foi uma alegria enorme e uma motivação extraordinária para continuarmos” sublinhando “julgo que o que nos distinguiu e atribuiu este prémio foi olhar o turismo e o interior do País numa perspetiva cultural” enaltecendo Portugal como um país maravilhoso sobre tantas perspetivas diferentes.

Para David Lopes, a proposta da casa das letras apareceu ao júri “com uma dimensão ligada á promoção da leitura em locais onde não existem livrarias , como é o caso de Cabrela porque as cidades mais próximas-Montemor e Vendas Novas não têm uma livraria” garantindo contudo que não é seu objetivo substituir-se às livrarias, apenas “criar um local de contacto das pessoas com os livros, pois ler torna-nos muito mais livres, dá-nos opinião e nós temos que acreditar no interior do país , criar postos de trabalho, trazer pessoas para o interior e que elas acreditem que aqui podem ter uma vida feliz.”

David Lopes disse, por último, que “este conceito tem estado a resultar bastante e o balanço é muito positivo.”

Fotos cedidads pela Casa das Letras