27 Fev. 2020
Augusta Serrano;
Fadistices
20:00-21:00

Evora

Administração do Hospital de Évora prevê a criação de blocos operatórios “com caráter provisório” (c/som)

Regional 06 Jul. 2017

O Hospital do Espírito Santo, de Évora, tem apresentado dificuldades em dar resposta às necessidades dos utentes, com as instalações e equipamentos de que dispõe. A criação de um Hospital Central para a cidade, que possibilitaria uma maior e melhor assistência aos utentes do distrito e também da região, tem vindo a ser anunciada. Contudo, e entretanto, surge a necessidade de adoção de medidas provisórias.

Maria Filomena Mendes, Presidente do Concelho de Administração do Hospital do Espírito Santo de Évora, em declarações à Rádio Campanário, afirma que os problemas com os quais o hospital se depara, se prendem com a dificuldade em “conseguir dar resposta” aos seus utentes e às listas de espera existentes, pois o espaço de que dispõem encontra-se “aproveitado até ao milímetro”.

“Nos próximos três, quatro anos”, avança, “até podermos mudar de instalações”, terão que ser tomadas medidas temporárias para resolver a situação. Aponta como possibilidade a criação de “algumas salas com caráter provisório”, com “pré-fabricado, contentores”.

Atualmente, a administração da unidade hospital, considera a adição de “duas salas de bloco mais que vão, de certa forma, permitir-nos fazer mais cirurgias”.

Maria Filomena Mendes prioriza a expansão da “cirurgia de ambulatório […] e também na área da hemodinâmica”.

Os investimentos que serão realizados, avança, “em termos de instalações, são o mínimo possível. Em termos de equipamentos, serão um investimento que depois vamos transferir para o novo hospital”.

 

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Fevereiro 2020 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29