Imprimir esta página

Alentejo

Agricultores do Baixo Alentejo têm 11 mil euros em apoios para infraestruturas afetadas pelo incêndio de Monchique

Agricultores do Baixo Alentejo têm 11 mil euros em apoios para infraestruturas afetadas pelo incêndio de Monchique DR
Regional 29 Ago. 2018

Os agricultores das freguesias de Sabóia e São Teotónio, no concelho de Odemira (Beja), que foram afetados pelo incêndio de Monchique, têm disponíveis 11.150 euros de apoios para controlo da erosão, segundo informações do Ministérios da Agricultura.

Para implementação destas medidas, o governo disponibiliza um valor que ascende aos 4 milhões e meio de euros para os agricultores afetados pelo incêndio que devastou Monchique e alastrou para o concelho alentejano de Odemira, Portimão e Silves.

Serão apoiadas ações de recuperação das infraestruturas afetadas, designadamente pontos de água, de controlo da erosão, de tratamento e proteção de encostas, de prevenção da contaminação e assoreamento das linhas de água e da sua recuperação, e ainda ações de combate à perda de biodiversidade. Podem candidatar-se a esta medida, integrada no PDR2020, autarquias ou outras entidades públicas, produtores ou organizações de produtores e associações de produtores, nomeadamente Zonas de Intervenção Florestal. As candidaturas estarão abertas entre 30 de agosto e 30 de setembro.

Desde o dia 22 de agosto e até à mesma data, encontram-se também abertas candidaturas a um montante global de 5 milhões de euros de apoios para perdas de animais, plantações plurianuais, máquinas, equipamentos, armazéns e outras construções rurais de apoio à atividade agrícola.

Recorde-se que o incêndio deflagrou no passado dia 3 de agosto, e ao longo de uma semana ardeu 27 mil hectares, desalojou centenas e feriu quatro dezenas de pessoas, maioritariamente bombeiros.