Imprimir esta página

Terena

Alandroal: Sobrevivência da Escola de Terena poderá passar por alunos de freguesia vizinha (c/som)

Regional 07 Jun. 2018

No ano letivo de 2019/20, os alunos de Capelins (Alandroal) poderão passar a frequentar a Escola Básica de Terena.

A notícia é avançada à RC por Tomé Laranjinho, diretor do Agrupamento Vertical de Escolas de Alandroal, explicando que o objetivo é “prevenir que desapareça por completo alguma criança em Terena” e garantir o número mínimo de alunos, perante a lei.

De tal medida, não resultará o encerramento de nenhum estabelecimento escolar, uma vez que as crianças de Capelins, frequentam atualmente a Escola de Pias. Esta mudança de “meia dúzia de alunos”, “poderá fazer a diferença em Terena, não fará mossa em Santiago Maior (Pias)”.

Em escolas de lugar único, o número mínimo exigido perante a lei é de 21 alunos. No ano letivo que terminou no presente mês, Terena contou com 5 crianças no pré-escolar e 12 no 1º ciclo, numa turma única. Questionado sobre consequências deste tipo de ensino, o dirigente afirma que “o ideal no 1º ciclo era serem turmas de ano único (1º, 2º, 3º e 4º) embora não tenhamos notado grande diferença a nível das aprendizagens”.

Apesar de estar legislado “que escolas de lugar único poderão encerrar”, garante que se está “a fazer um esforço”, nomeadamente junto do município, decorrendo um processo de alteração “à forma como se distribuem as crianças do concelho, na própria rede”.

A solução, avança, “não vai resolver a situação, mas vai se calhar, nos próximos anos, combater um bocadinho o desaparecimento daquela escola”.

Em resultado da tendência de envelhecimento e de perda de população, assim como da falta de emprego jovem, o Agrupamento Vertical de Escolas de Alandroal tem vindo a diminuir o número de alunos.

“Todos os anos, em média, perdemos entre 20 a 30 crianças”, diz Tomé Laranjinho, diretor do agrupamento, em declarações à RC, avançando que “mais ano menos anos, baixamos a barreira dos 400 alunos”.