Imprimir esta página

Alentejo e Lisboa têm a maior velocidade de Internet

Regional 17 Abr. 2021

Em Portugal continental, os melhores resultados no âmbito do ‘download’ em acessos móveis verificaram-se no Alentejo e Área Metropolitana de Lisboa, sendo que os valores mais baixos foram registados no Algarve.

Segundo a Autoridade Nacional de Comunicações - Anacom -, “em média, foram efetuados 3.873 testes diários”, totalizando 1,4 milhões de testes durante 2020, sendo que só no segundo trimestre - a primeira fase de confinamento -, foram realizados cerca de 600.000 testes.

De acordo com o jornal Expresso, “Este aumento no número de testes foi influenciado pela alteração do comportamento dos utilizadores de Internet, devido à pandemia de covid-19”, referiu a Anacom, em comunicado.

Em acessos fixos, ao nível nacional, a Região Autónoma da Madeira (RAM) apresentou os melhores resultados medianos de ‘download’ (84,8 Mbps) e de ‘upload’ (50,6 Mbps), enquanto que, no território continental, os melhores resultados verificaram-se em Lisboa, no ‘download’, e na região Centro, no ‘upload’.

O Algarve registou os valores mais baixos em velocidade de ‘download’ (38,2 Mbps) e de ‘upload’ (19,8 Mbps).

Quanto aos acessos móveis, os melhores resultados, ao nível nacional, verificaram-se nas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira, com metade dos testes a apresentarem velocidades de ‘download’ de cerca de 12,1 Mbps (Açores) e de 11,6 Mbps (Madeira) ou mais, e de upload de 5,1 Mbps (RAA e RAM) ou mais.

 

Numa análise geográfica, verificou-se que a Área Metropolitana de Lisboa (AML) e a região Norte registaram o maior número de testes através de acessos fixos (156.000 e 124.000, respetivamente) e as regiões Centro e Norte através de acessos móveis (40.000 e 34.000, respetivamente).

No total do ano, cerca de 72% dos testes (um milhão) foram efetuados através de acessos fixos nacionais identificados como residenciais, 20% (289.000) através de acessos móveis nacionais e 7% através de acessos fixos identificados como não residenciais (95 mil testes provenientes de acessos associados a utilizações de natureza empresarial, académica, governamental, entre outras).

Os restantes testes, esclarece o regulador, correspondem a acessos de operadores estrangeiros e outros, em número residual.

Lisboa foi o concelho com o maior número de testes à velocidade de Internet, tanto nos acessos fixos residenciais (8%) como nos móveis (9%), seguindo-se os concelhos de Sintra (4%) e Oeiras (3%) com mais testes realizados através de acessos fixos residenciais e os concelhos de Abrantes (5%) e Porto (3%) com mais testes associados a acessos móveis.