Alto Alentejo

APAV apoiou mais de 60 vítimas em menos de um ano no Alto Alentejo (c/som)

Regional 25 Jun. 2018

No dia em que celebra o seu 28.º aniversário, a APAV, associação que se mantém focada na missão de apoiar vítimas de crime, aproveitando a data para dar a conhecer os números representativos do seu trabalho.

Em Ponte de Sor, de maio a dezembro de 2017, a associação prestou “apoio a 61 vítimas de crime” no Gabinete do Alto Alentejo, números dos quais a violência doméstica é o crime “mais marcante”, à semelhança do que espelha os dados divulgados a nível nacional, 75,7% são este tipo de crime.

De acordo com Inês Lopes, do gabinete do Alto Alentejo, o contacto de forma presencial tem “uma grande procura”, enquanto os dados nacionais a via telefónica representa 56,6% dos contactos. Ainda assim, independentemente do contacto o apoio da associação vai no mesmo sentido, tem como base “o apoio jurídico, psicológico ou no apoio social” às famílias vítimas de crime.

Questionada sobre quem é a vítima, a resposta não é precisa, pois “cada situação difere da outra”, mas ainda assim identifica, maioritariamente, “vítimas do sexo feminino com uma grande dependência a vários níveis do agressor, normalmente com filhos menores associados”, precisou.

No Alto Alentejo a APAV tem sede em Ponte de Sor e trabalha em mais 7 concelhos, como Alter do Chão, Avis, Crato, Fronteira, Gavião, Nisa e Sousel, podendo a associação ser contactada presencialmente ou através da Linha de Apoio à Vítima: 116 006

 

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Dezembro 2019 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 31