Beja

Arguidos no processo da rodoviária ficaram em silêncio na primeira sessão do julgamento no tribunal de Beja

Regional 21 Nov. 2019

A primeira sessão do julgamento do processo da Rodoviária do Alentejo, ficou marcada pelo silêncio dos 12 arguidos.

Entre os arguidos encontram-se dois administradores, uma coordenadora operacional, um chefe de movimento, um expedidor/escalador e sete motoristas, sendo julgados pelos crimes de falsificação de documentos e falsificação de notação técnica. A empresa, também entra no rol de arguidos.

Segundo avança o “Lidador Notícias”, na próxima semana começam a ser julgadas as testemunhas de acusação, contando entre elas com diversos militares da GNR envolvidos nas fiscalizações aos condutores e viaturas da Rodoviária Alentejo.

Lembramos que o caso foi investigado entre outubro de 2016 e setembro de 2018, tendo características únicas no país.

Entre as principais acusações, estão alterações nos tacógrafos dos autocarros que permitiam a condução durante mais tempo e sem pausas, outras vezes, após o tempo máximo de condução passavam a conduzir as viaturas de transporte urbano que não possuem tacógrafo.

O Ministério Público de Beja mandou extrair certidões contra 3 motoristas arguidos, para que seja aberto um inquérito onde se investiga a falsificação de títulos de condução daqueles profissionais.

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Dezembro 2019 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 31