Evora

Arqueólogo da Universidade de Évora surpreende comunidade com descoberta sobre menires e antas de Castelo de Vide

Publicado em Regional 29 agosto, 2018

Até à data da descoberta, a comunidade de arqueológos ligados ao neolítico acreditava que os menires e o megalitismo funerário (dólmenes ou antas) na zona de Castelo de Vide (Portalegre) seriam contemporâneos, mas análises à matéria orgânica retirada da base do Menir da Meada (Castelo de Vide) e do Menir de Patalou (Nisa), demonstraram que estes são na realidade 2 mil anos mais antigos do que as antas existentes na zona.

O professor Jorge Oliveira, arqueólogo e diretor do Laboratório da Universidade de Évora, confirmou recentemente ao jornal da instituição de ensino, uma descoberta que considera “de interesse internacional”.

Depois de ter feito esta descoberta com análises a matéria orgânica retirada da base do Menir da Meada, o mais impressionante monumento megalítico da região de Castelo de Vide, e o maior menir totalmente talhado pelo homem em toda a Península Ibérica, o arqueólogo voltou agora a confirmar o seu achado com análises no Menir do Patalou.

Segundo a instituição, Jorge Oliveira é responsável pela transição da “arqueologia amadora” para uma “arqueologia profissional” na Universidade de Évora, tendo participado em e liderado inúmeras escavações arqueológicas no território alentejano.

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Agosto 2019 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31