Imprimir esta página

Vila Vicosa

"Tenho muita pena de um dia ter de abandonar, mas enquanto Deus me quiser nestas funções cá estarei", diz Aia de N. Senhora da Conceição (Bárbara Elisa) (c/som e fotos)

Regional 09 Dez. 2019

As celebrações do dia da Imaculada Conceição decorreram no passado domingo (8 de dezembro), no Santuário da Padroeira de Portugal em Vila Viçosa. Para além das já tradicionais procissões e celebrações eucarísticas que movem milhares de devotos, peregrinos e ordens religiosas, a celebração de domingo ficou marcada pela homenagem a Bárbara Elisa, Aia de Nossa Senhora da Conceição.

A Rádio Campanário registou o momento e falou com Bárbara Elisa, que começa por referir “não esperava, foi algo que me comoveu imenso”, acrescentando que “nunca mais me irei esquecer deste momento”.

Visivelmente comovida, a Aia refere que “queria muito que esta tradição continuasse, como sempre aconteceu aqui com as famílias de Vila Viçosa”.

Bárbara Elisa refere que “tenho muita pena de um dia ter de abandonar”, no entanto “enquanto Deus me quiser nestas funções cá estarei”.

“Desde muito nova que fui posta sobre este altar e enquanto Deus me quiser estarei nestas funções”
Bárbara Elisa

Questionada pela RC sobre quando começou nestas funções de Aia, Bárbara Elisa explica que “Nossa Senhora está comigo em todo o lado, desde muito pequenina que fui aqui posta sobre o altar”, acrescentando que “a minha avó e a minha tia foram aias, desde muito nova que me habituei a ter este contacto”.

Bárbara Elisa relata que “foi pelos meus 32 anos a primeira vez que assumi a responsabilidade a solo de vestir Nossa Senhora”, lembrando que “comecei a ajudar a D. Alzira Osório de Castro, depois fiquei sozinha, agora já tenho ajuda”.

A Aia de Nossa Senhora da Conceição considera que “as Aias principais continuam a ser as duquesas de Bragança, pois foram as primeiras a olhar e a tratar de Nossa Senhora”. Bárbara Elisa refere ainda que “temos imensos fatos que foram oferecidos pela D. Maria Pia, até o fato de casamento da Rainha D. Amélia”.

Bárbara Elisa manifesta o desejo de “expor toda esta riqueza”, acrescentando que “já transmiti ao Juiz da Confraria, certamente Vila Viçosa ganharia com isso”.

“Vila Viçosa ganharia se a riqueza de Nossa Senhora fosse exposta”
Bárbara Elisa

A Aia de Nossa Senhora da Conceição refere ainda que “a imagem que aqui temos não é uma imagem vulgar, é uma relíquia e gostaria muito que a imagem continuasse a ser a Padroeira de Portugal”.