Borba

Borba: “Somos dos maiores empregadores.Queremos funcionários motivados, por isso pagamos mais” diz Rui Bacalhau, provedor da Santa Casa da Misericórdia(c/som)

Regional 31 Out. 2021

 

A Santa Casa da Misericórdia de Borba é uma das principais entidades empregadoras do concelho de Borba e desta região do Alentejo.

À margem do evento que ontem decorreu, para entrega de vouchers aos estudantes universitários dos filhos dos colaboradores da Santa Casa, a Rádio Campanário falou com o Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Borba, Rui Bacalhau a propósito do novo plano de remunerações da Instituição.

Rui Bacalhau começou por nos referir “A Santa Casa da Misericórdia de Borba regozija-se por ser uma entidade de referência na nossa região e até de âmbito nacional” acrescentando que neste momento “somos das principais entidades empregadoras do concelho e da nossa região.”

Para o Provedor da Misericórdia de Borba, “somos também uma instituição que em termos de utentes é a que mais respostas dá, com respostas desde os três meses até ao fim de vida dos utentes” enaltecendo sobretudo “o trabalho dos colaboradores.”

Rui bacalhau não poupa elogios aos funcionários da Misericórdia e diz “pensamos que para atingir a excelência do serviço que prestamos aos nossos utentes, os nossos colaboradores têm que estar bastante motivados.”

O Provedor da Misericórdia acrescenta aina que “trabalhar hoje em dia no setor social não é fácil, há certas dificuldades, há certas situações que podem colocar em causa e o que nós pretendemos é que as pessoas encarem este desafio de trabalhar na nossa instituição como uma situação positiva e uma situação de alegria constante e permanente.

Para conseguirem concretizar este objetivo, a Santa Casa da Misericórdia implementou o plano de remunerações que, como indicou “é, desde logo, as pessoas estarem um pouco acima do salário mínimo, receberem um pouco acima do salário mínimo sempre que possível”  acrescentando “depois criámos, desde o inicio do ano que já vinha dos anos subsequentes, mas que efetivamente este ano se manteve, o premio de assiduidade, e esse prémio de assiduidade contempla mesmo que a pessoa que falte só uma vez durante um trimestre recebe um prémio de 60 euros, ou seja mais 20 uros por mês na remuneração.”

Tendo em conta as melhores condições para os funcionários da Instituição, a Misericórdia de Borba é pioneira no pagamento do premio de antiguidade, também chamado de diuturnidades, referindo que “esse prémio de antiguidade já está a ser pago, correspondente a cem euros por trimestre, fazendo desta casa pioneira nesse sentido e sendo reconhecidos por isso.”

Regularmente a Misericórdia de Borba procede a recrutamentos. Questionado se, neste momento, a instituição ainda carece de mão de obra, Rui Bacalhau refere “todas as instituições deste setor carecem de mão de obra”.

Por este facto, o Provedor da Misericórdia de Borba deixa a mensagem de que “todas as pessoas que queiram vir trabalhar para a Misericórdia de Borba, naturalmente através do nosso processo de recrutamento, podem deslocar-se à nossa Misericórdia que serão entrevistadas, serão as candidaturas analisadas e teremos efetivamente disponibilidade para os receber.”

Rui Bacalhau concluindo dizendo “entendemos que sem pessoas não conseguimos fazer um serviço de qualidade e de excelência, como pretendemos."

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Janeiro 2022 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31