Imprimir esta página

Alentejo

Carlos Pinto de Sá enaltece importância de Alqueva mas alerta para "problema gravíssimo com as redes em baixa" (c/som)

Publicado em Regional 10 janeiro, 2019

O presidente da Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central (CIMAC), Carlos Pinto de Sá, abordou o tema sobre a problemática da água e disse aos microfones da RC “durante décadas nos batemos pela construção de Alqueva (…) e hoje julgo que está perfeitamente demonstrada a importância de Alqueva, se não existisse Alqueva no Alentejo nós teríamos gravíssimos problemas de falta de água e no abastecimento ás populações, que estão a ser supridos com água de Alqueva”.

Carlos Pinto de Sá refere ainda que “Alqueva é um projeto de desenvolvimento na área da agricultura, mas também na área da produção de energia, (…) queremos continuar a alargar a sua influência porque tem capacidade para o fazer”. “ A CIMAC apoiará a expansão da rede de rega de Alqueva (…) e naturalmente apoiamos as reivindicações de municípios no que respeita ao abastecimento”.

Sobre a problemática das perdas de água, o presidente da CIMAC diz que “É verdade que temos perdas de água com algum significado, mas também não temos com a dimensão que é habitualmente divulgada, porque quem quer a privatização do sistema costuma juntar ás perdas de água os gastos de água em espaços públicos e em rega, que não são perdas de água, são utilizações de água pelos municípios”. Carlos Pinto de Sá reconhece “Existem perdas com algum significado, em particular nas redes em baixa que precisam de investimentos importantes e a esse nível a CIMAC tem estado a desenvolver um conjunto de projetos que ajuda os municípios a combater as perdas de água”. “Temos de facto um problema gravíssimo com as redes em baixa que são redes muito antigas que precisam de investimentos de muitos milhões de euros, mas não se vê a luz ao fundo do túnel quando os municípios pretendem manter as suas opções de gestão”.