Beja

Contrato com a Aeroneo prevê que seja a empresa a retirar o amianto da Base Aérea em Beja

Publicado em Regional 04 maio, 2018

O contrato de concessão de um conjunto de hangares, na base aérea nº11 de Beja, prevê que seja a empresa de desmantelamento de aviões Aeroneo a remover cerca de 2400 metros cúbicos de amianto armazenado na cave do edifício há mais de uma década.

Segundo a Força Aérea Portuguesa, o contrato “prevê que seja a empresa a remover todo o amianto identificado, assim como o que vier a ser encontrado no decorrer das obras”, disse o gabinete de comunicação ao jornal Público.

O amianto ali armazenado na cave, designada como “sarcófago”, foi removido entre 1995 e 1998 de vários hangares da base, e para além destes 2400 metros cúbicos “havia mais nas paredes e tetos da fábrica (nome atribuído ao edifício)”, segundo o levantamento feito em 2005 pela força militar, que calcula que haja “ainda quase dez mil metros cúbicos de amianto por remover”.

 

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Outubro 2018 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31