×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 63
JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 68

Alter do Chao

Coudelaria de Alter do Chão volta à ribalta dos grandes eventos equestres

Regional 01 Dez. 2020

Em nota de imprensa enviada à redação da Rádio Campanário, a Coudelaria de Alter do Chão deiu conta que, com toda a segurança e escrupuloso cumprimento das normas emanadas pela DGS, acolheu durante três dias – entre 27 e 29 de novembro –, em várias categorias, a Final do Campeonato de Portugal de Ensino e o Concurso Internacional de Dressage (3*), cimentando o seu lugar no Top do desporto  equestre nacional e internacional.

De acordo com a nota de imprensa enviada “para que pudéssemos galopar para esta realidade – colocando Alter do Chão na alta roda deste desporto – teve de haver entrega, esforço e intenso trabalho por parte do  Município e da Companhia das Lezírias, empresa gestora da nossa Coudelaria de Alter. “

Francisco Reis, Presidente da Câmara Municipal de Alter do Chão,sublinhou “este evento  correu “muito bem” e demonstrou que todos os intervenientes, sempre com a supervisão  da Federação Equestre Portuguesa (FEP), tiveram muita vontade de o levar adiante, o  que culminou num grande sucesso”, refere a nota.

A pandemia teve um efeito nefasto para o mundo, mas nós demonstrámos que para se  vencer em condições adversas é preciso trabalho, respeito, empenho e paixão! Se  cumprirmos todas as regras, é possível manter um sentimento de normalidade possível,  essencial para o desenvolvimento dos concelhos do Interior do país e para a  revitalização da nossa economia. Sei que os atletas que por cá passaram nestes dias  levaram uma ideia positiva do concelho de Alter do Chão, da Coudelaria e, sobretudo,  das nossas gentes, gravada nas suas memórias”, concluiu. 

António Sousa, Presidente do Conselho de Administração da Companhia das Lezírias,  fez questão de marcar presença na Tapada do Arneiro, um “espaço único no mundo”,  nas suas palavras. “O que aqui se passou não foi um acaso, exigiu muito trabalho e  muita organização. O que aqui se passou foi histórico, só que infelizmente teve se ser  interdito ao público, devido à pandemia. No entanto queremos repetir, e dessa vez com  abertura ao público. (…) O Conselho de Administração da Companhia das Lezírias está enormemente satisfeito, porque tudo correu bem, graças à organização e às pessoas e  instituições que trabalham connosco”, explicou. 

Outros dos grandes responsáveis por esta vitória, que se traduziu na realização deste  evento, foi o juiz nacional e internacional de renome, Carlos Lopes, que também fez  parte da organização do Campeonato e do CDI 3*. Na sua opinião, a nossa Coudelaria  está “ao nível das melhores do mundo”, com “uma organização de qualidade”, mas que  ainda “tem margem para crescer” em eventos que se venham aqui a realizar no futuro.  “Em termos técnicos, tivemos de facto prestação de muito bom nível. Estarmos sem  poder ter público nas bancadas nunca é bom, mas seria pior ainda se estes atletas, depois  de um ano de trabalho árduo, não tivessem aqui a oportunidade de exibir os frutos desse  mesmo labor”, complementou. 

João Miguel Torrão, com o seu Equador, foi o grande vencedor deste evento de três  dias, sagrando-se campeão nacional de seniores. Depois de finalizadas todas as  categorias, com uma forte presença portuguesa e do Cavalo Alter Real, foi a vez do  Para-Dressage, competição adaptada a atletas com mobilidade reduzida. 

1º - João Torrão (Equador);  

2º - Daniel Pinto (Santurion de Massa);  

3º - Vasco Mira Godinho (Garrett). 

 


 

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Janeiro 2021 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30 31