11 Abr. 2021
 
De novo às 6
18:00-20:00
×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 63
JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 68

Evora

Covid 19: Hospital de Évora reduz número de internados e retoma cirurgias programadas

Regional 26 Fev. 2021

O Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE) está a retomar, de forma gradual, a realização de cirurgias programadas, após a “diminuição da pressão nos internamentos” de doentes com covid-19, disse hoje a presidente daquela unidade.

de acordo com a notícia avançada pela Agência Lusa, a presidente do conselho de administração do HESE, Maria Filomena Mendes, indicou que a retoma destas cirurgias começou “há duas semanas”, com a reversão de uma enfermaria que estava dedicada a doentes com covid-19.

“Quando começou a diminuir a pressão sobre os internamentos, começámos a libertar enfermarias que tínhamos adaptado, no período de maior intensidade, para doentes ‘covid’”, o que permitiu “retomar as intervenções que estavam suspensas”, adiantou.

A responsável referiu ainda que o hospital de Évora “nunca parou e continuou a responder a grande parte das consultas e exames”, mas, na atividade cirúrgica, “foi mais difícil”, porque as enfermarias de cirurgia e ortopedia passaram a receber doentes com covid-19.

“Só quando libertámos estas enfermarias é que conseguimos responder plenamente à atividade cirúrgica de doentes não ‘covid’”, salientou.

Segundo a presidente do Hospital do Espírito santo, em Évora, devido ao período “mais grave” da pandemia na Região Alentejo, em janeiro deste ano, a unidade hospitalar suspendeu as cirurgias que “não eram prioritárias e as que não foram consideradas inadiáveis”.

Contudo, “mesmo no pico da pandemia no Alentejo e, consequentemente, no nosso hospital, foram feitas todas as cirurgias que os médicos assistentes dos doentes e os diretores dos serviços entenderam como inadiáveis”, sublinhou.

Quanto à realização, neste período, de exames e consultas, esclareceu a responsável, o HESE manteve “um volume muito significativo” nas áreas de especialidade que “não estiveram tão envolvidas na resposta aos doentes covid-19”.

Maria Filomena Mendes sublinhou ainda que o HESE teve “uma grande concentração de doentes” com covid-19 em janeiro e no início de fevereiro.

Do total de 700 doentes com covid-19 internados na unidade hospitalar desde o início da pandemia, “mais de 50% foram já em 2021”, destacou Maria Filomena Mendes o que  “fez com que houvesse uma grande necessidade de existirem instalações adaptadas”, como também de mobilizar “todas as equipas” para dar resposta aos doentes infetados pelo coronavírus SARS-CoV-2, disse.

Maria Filomena Mendes referiu que , com a diminuição da pressão nos internamentos, o HESE passou de cerca de 100 camas para covid-19 para as atuais 32, em duas enfermarias.Já a unidade de cuidados intensivos (UCI) manteve a sua capacidade máxima de 19 camas, adiantou.

Esta manhã, revela a Agência Lusa, o HESE tinha internadas 27 pessoas infetadas o SARS-CoV-2, nomeadamente 16 doentes nas duas enfermaria e no equipamento municipal de apoio e outros 11 em UCI.

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Abril 2021 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30