Alentejo

CRI do Alentejo Central dinamiza projeto pioneiro de prevenção dos comportamentos aditivos na 3ª idade

Regional 16 Jul. 2021

Os comportamentos aditivos constituem-se como uma temática transversal à idade, na medida em que podem surgir em qualquer etapa do ciclo de vida. Nas últimas duas décadas, tem-se verificado um aumento gradual de comportamentos aditivos na população idosa, nomeadamente no consumo excessivo de álcool, automedicação e dependência do jogo, com destaque para a compulsão no jogo de raspadinhas, conforme divulgado pela ARS Alentejo.


Atualmente, a dependência e o consumo de substâncias na população sénior constituem-se como fatores de risco pois, associados à falta de conhecimento e de informação fidedigna, pode provocar graves consequências a nível da saúde e do bem-estar desta população.


Assim, e de forma a promover hábitos saudáveis de vida, conhecimento fidedigno e ferramentas de intervenção concretas que protagonizem estes atores, foi pensado um projeto de Educação pelos Pares na terceira idade.


Após um processo de seleção e capacitação de voluntários onde se pretendeu promover, não só a melhoria do nível de bem-estar e conhecimento dos formandos, mas sobretudo reduzir a emergência de Comportamentos Aditivos (com ou sem substância), dinamizar competências socio emocionais nos idosos, promover a Educação para a Saúde. Desta forma, a partir das aprendizagens, competências e recursos pessoais de cada um, foram trabalhadas as dimensões que compõem um programa de educação pelos pares.


Neste quadro da emergência de respostas diferenciadas para este ciclo de vida, foi concebido, em 2020, pelo CRI do Alentejo Central, na pessoa de Mariana Lança e depois adaptado pela Equipa de Prevenção sob a responsabilidade de Lenia Fragoso e Bernarda Cota, o Projeto COMPA(D)RES, projeto piloto, dirigido aos alunos das Academias e Universidades Seniores da região.


O programa foi estruturado em sessões, interativas, dinâmicas e participadas, com a duração de 90 minutos onde, de uma forma lúdica e informal, se procura capacitar os alunos em temáticas, por si selecionadas, como: riscos da automedicação, dependência do jogo, tecnologias, substâncias psicoativas (álcool, tabaco, etc.), sinais de alerta, fatores de risco e proteção, entre outros temas escolhidos pelos participantes envolvendo os CAD.


Para a sua implementação foi construída uma parceria com a Academia Sénior de Vendas, CLDS local, Autarquia e UCC de Vendas Novas. A componente teórica, dirigida a cerca de 20 alunos, assentou em 4 sessões, sustentadas em escuta ativa, desmistificação de conceitos e dinâmicas de grupo. No plano da intervenção, haverá agora lugar à realização de um plano de atividades de intervenção comunitária tendo como ponto de chegada os vários contextos vivenciados por estes públicos.


É intenção do CRI do Alentejo central, após aplicação do protocolo de avaliação, replicar o projeto em outras Academias/Universidades Sénior do Alentejo Central.


A priorização deste ciclo de vida no quadro das nossas intervenções vai permitir produzir e disseminar o conhecimento relativo à sua área de atuação, promover uma aproximação com os seniores e consequentemente alargar e potenciar o trabalho preventivo que urge dinamizar.


A inclusão deste grupo de atores, sublinha a necessidade do acompanhamento das transformações dos padrões dos comportamentos aditivos e dependência na comunidade. O envelhecimento generalizado da população, aumento da esperança média de vida, a qualidade e autonomia de vida alcançada entres estes membros e o seu protagonismo nas dinâmicas familiares e sociais da comunidade, exigem esta capacidade de adaptação dos serviços de intervenção preventiva que até agora tinham como prioridade os adolescentes e jovens.

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Outubro 2021 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30 31