Depois das necessidades básicas, é agora necessário “avançar para a proteção social dos que trabalham e empreendem”, diz Bravo Nico (c/som)

Regional 14 Out. 2019

Na manhã desta segunda-feira (14 de outubro), decorreu em Vila Viçosa o Debate “A Concertação Estratégica no Território”, organizado pela UNITATE - Associação de Desenvolvimento da Economia Social. A sessão marcou o início do Ciclo de Debates “Economia Social - Novos Desafios” e assinala o 6º Aniversário da Instituição.

A RC esteve presente e falou com José Bravo Nico, professor universitário e orador no debate, que destaca a necessidade de ser pensado um modelo de proteção social para os trabalhadores e empreendedores.

É necessário “satisfazer necessidades mais próximas da vida da economia e que potenciem criação de valor, porque só essa riqueza é que consegue pagar tudo”
Bravo Nico

O orador aponta que a rede social da região representada no debate “por muitos dos responsáveis de instituições de natureza social do nosso distrito”, “trabalha bem e dá resposta adequada e com qualidade às necessidades da população do distrito”.

Ainda assim, existem outras necessidades e problemas que podem e devem ser resolvidos, chegando a mais pessoas. Encontrando-se “consolidado o modelo de proteção social que responde às necessidades mais básicas, penso que um dos pontos de pensamento para o futuro” passa pela “proteção social para os que trabalham e empreendem […], para as próprias instituições que se dedicam a este tipo de trabalho nas comunidades”. Considera que o próximo passo é “satisfazer necessidades mais próximas da vida da economia e que potenciem maior produtividade, criação de valor, riqueza, porque só essa riqueza é que consegue pagar tudo”.

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Novembro 2019 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30