Imprimir esta página

Estremoz

Estremoz aposta em projetos de investimento “sempre de forma sustentada e até ao limite das capacidades financeiras”, diz Pres. Cam. (c/som)

Publicado em Regional 09 julho, 2019

Após o projeto de reabilitação das Portas dos Currais e Muralhas Adjacentes, em Estremoz, a autarquia anuncia aos microfones da Rádio Campanário mais alguns projetos que tem iniciados, ou que pretende iniciar.

Francisco Ramos, presidente da Câmara Municipal de Estremoz, começa por referir à RC que “temos diversas obras lançadas”, especificando depois que já em desenvolvimento se encontra “a obra da biblioteca municipal”, no antigo edifício Luís Campos, “estando neste momento em reavaliação por parte do projetista, uma vez que está prevista a construção de uma cave, e isso implica garantir a segurança dos prédios vizinhos”.

Outro dos projetos “encontra-se para visto do tribunal de contas” e trata-se “da reabilitação de um edifício em Veiros”, destinado a ser a sede da banda filarmónica.

O autarca estremocense revela ainda que “na forja temos as Portas de Santa Catarina e todo o espaço envolvente”, acrescentando que “iremos instalar um monumento evocativo da arte dos bonecos de Estremoz”.

“Temos de ter cuidado porque o dinheiro não estica”
Francisco Ramos

 A zona industrial de Arcos também irá ter continuidade, pois segundo o edil “os lotes da primeira fase estão todos vendidos ou comprometidos e continuamos a ter procura”. Sobre este projeto, Francisco Ramos, acrescenta que “a segunda fase serão poucos lotes e será apenas para completar a zona industrial uma vez que as infraestruturas estão todas prontas”.

As pavimentações e arruamentos nas freguesias e na cidade irão continuar, Francisco Ramos refere ainda que “em relação a estrada junto ao cemitério e ás pedreiras, ela irá manter-se”. O autarca refere que “já se encontra devidamente sinalizada, com rails de proteção e a informação que temos em termos técnicos é que não apresenta qualquer risco de derrocada”.

O presidente da Câmara de Estremoz justifica a limitação de velocidade e a colocação dos rails naquela zona “como prevenção que em situações de despiste as viaturas venham a cair para dentro da pedreira”.

A reabilitação do estaleiro municipal, “com o objetivo de transportar os funcionários que estão na zona industrial” também se encontra prevista pela autarquia estremocense.

“Iremos ter alguns investimentos até ao limite das nossas capacidades financeiras e de forma sustentada”
Francisco Ramos

Francisco Ramos anuncia aos nossos microfones que “tentaremos reabilitar a Igreja de Santo António (junto ao cemitério), para que venha a ser mais uma alternativa em termos de velórios”, justificando tal com o facto de que “a mim enquanto pessoa choca-me aquele desfile que ocorre desde o centro da cidade até ao cemitério”.