22 Abr. 2021
Nuno Rocha
Ponto de Contacto
11:00-13:00
×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 63
JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 68

Evora

Évora: Exposição "Crucificação do Planeta Terra" alerta para o impacto da ação humana no planeta

Évora: Exposição "Crucificação do Planeta Terra" alerta para o impacto da ação humana no planeta Foto: Câmara Municipal de Évora
Regional 12 Nov. 2020

A partir de hoje se passar pela Praça do Sertório em Évora, vai-se deparar com um conjunto de cinco esculturas do artista Gabriel Seixas que compõe a instalação “Crucificação do Planeta Azul”. Esta pode ser apreciada até abril do próximo ano. Alertar para as consequências da ação humana na sustentabilidade do planeta é o principal objetivo com a chamada de atenção a incidir em cinco temas: consumo de combustíveis fósseis, água potável, materiais utilizados nas construções (responsáveis por mais de 30% do efeito de estufa), devastação das florestas e, também, acumulação de plástico nos oceanos.

Esta é uma instalação de luz que pretende “sensibilizar o ser humano a refletir, enquanto habitante do planeta, na forma como vive e como o utiliza, enquanto consumidor de bens, que pelas suas características de manufaturação contribui para a degradação da sua sustentabilidade”, revela Gabriel Seixas.

Os cinco temas referidos são abordados plasticamente nas esculturas, procurando assim uma unidade estética, formal e intrínseca ao conceito da instalação de luz. Os trabalhos são materializados em ferro e mármore da região, tendo sido embutidos outros materiais, com a iluminação no seu interior a ser feita através de lâmpadas LED azuis, simbolizando o “planeta azul”.

Segundo comunica a Câmara, o escultor explica que “as esferas (planeta) foram executadas com milhares de peças em mármore numa espécie de forma, de peças de engrenagem mecânica (roda dentada) e de puzzle, representando o planeta terra como um sistema onde tudo tem a sua função e trabalha em harmonia total e somos nós, seres humanos, que estamos a interromper o ciclo natural do funcionamento do planeta.”

Gabriel Seixas nasceu no Fundão, em 1963, tendo frequentado o curso de Arte e Design. Iniciou o seu trabalho como escultor em 1989. Atualmente vive e trabalha no seu atelier e galeria em São Miguel de Machede, Évora. Participou em diversas exposições individuais, coletivas, simpósios e bienais. Foi distinguido com 8 prémios na área das artes plásticas e encontra-se representado em coleções particulares em Portugal e no estrangeiro.

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Abril 2021 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30