Imprimir esta página

Redondo

EXCLUSIVO: Nova IPSS surge em Redondo. Fernando Casimiro diz que diferença entre serem associação e IPSS está nas ajudas que terão do Estado (c/som)

Publicado em Regional 21 maio, 2019

Uma nova IPSS (Instituições Particulares de Solidariedade Social) vai surgir em Redondo no início de junho, com ação no âmbito da intervenção precoce e da integração de jovens no mercado de trabalho, funcionado ainda como clínica médica.

Em declarações exclusivas à RC, Fernando Casimiro, presidente da associação «Ajudar com o Coração» explica que depois de um ano de funcionamento, a associação passa a IPSS.

A associação surgiu para dar “resposta real às necessidades que havia no concelho na ajuda de crianças”, aponta, considerando que as existentes não estão a “funcionar bem” no âmbito da intervenção precoce.

A instituição prestará “ajuda a nível de solidariedade social”, a “crianças e jovens em risco, quer a nível económico, quer a nível social”, sendo ainda disponibilizados serviços clínicos, “a nível de consultas e de tratamentos”. Questionado sobre a possibilidade de a instituição oferecer a valência de reabilitação, o dirigente escusa-se a responder, afirmando que “está projetada entre nós”, mas “ainda está muita coisa por definir”. A associação conta agora com cerca de 6 técnicos “meramente voluntários”, sendo médicos, fisioterapeutas, assistentes sociais e enfermeiros.

Questionado sobre as vantagens da transição de associação para IPSS, explica que, não deixando de ser privada, terá “mais ajudas a nível do Estado” para desenvolvimento de “atividades de solidariedade social”. Enquanto associação, estando a ser desenvolvido trabalho nesse sentido, “não existem apoios nenhuns até agora”.

“Crianças não é só vestir e dar de comer”
Fernando Casimiro

A associação dedicou o seu primeiro ano de funcionamento à realização de um levantamento junto de várias entidades do concelho para conhecer “a dificuldade de colocar no mundo do trabalho, crianças e jovens quando saem da escola”. Pretende-se agora dar continuidade a esse estudo junto das escolas, para fazer a “uma ponte de ligação entre a parte escolar e o mundo do trabalho”.

Ao que a Campanário conseguiu apurar, a associação encontra-se a no edifício da clínica Fisired, detida pelo próprio, na Rua Manuel da Fonseca lote C12, em Redondo. Segundo este, terão funcionamento independente.