Imprimir esta página

Alentejo

Exportações de vinho encerraram o ano de 2020 com resultados positivos

Exportações de vinho encerraram o ano de 2020 com resultados positivos Foto: Pingo Doce
Regional 14 Fev. 2021

Apesar do ano atípico de pandemia, os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) revelam que Portugal em 2020 fez crescer o seu valor de exportações de vinho, em termos globais, em 3,2%, o que corresponde a mais 27 milhões de euros do que em 2019.

A contribuição mais significativa foi registada nos mercados do Brasil, França, EUA, Reino Unido e Canadá, que integram, deste modo, o top 5 dos mercados mais importantes de exportação.

Segundo os dados do INE, a nível da exportação de vinho em 2020, verificou-se um aumento não só no volume, 5,3%, mas também no valor, 3,2%, com um resultado de 846 milhões de euros, ou seja, mais 26 milhões de euros do que no período homólogo do ano anterior.

Relativamente ao Alentejo, há cerca de um ano, os dados do INE revelavam o que se tem mantido, que é uma crescente exportação de vinho alentejano para um dos maiores mercados de Portugal que é o Brasil. Segundo o INE, no ano passado (2019) o Alentejo vendeu 12.5 milhões de euros em vinho para o Brasil.

Para Maria do Céu Antunes, Ministra da Agricultura, estes resultados positivos das exportações de vinhos refletem "o bom desempenho do setor, a sua capacidade de resiliência e de adaptação, mas também as medidas que a todo o tempo o Governo, apresentou, em 2020, no sentido de dar respostas que ajudassem a minimizar os efeitos decorrentes desta crise provocada pela pandemia COVID-19. O Ministério teve um papel ativo, agiu rapidamente criando e previsibilidade aos viticultores e às empresas do setor e minimizar a perda de rendimento”.

A ministra adianta ainda que, "sabendo da importância da internacionalização dos vinhos, num mercado muito competitivo, adiantámos ainda 5,5 milhões de euros na medida de promoção a países terceiros, e flexibilizámos as condições, tornando elegíveis ações canceladas, não penalizando projetos que não atinjam a taxa de execução previstas e prorrogando prazos de execução".

Quanto às medidas previstas no Programa Nacional de Apoio, estas foram executadas na íntegra, tendo sido pagos 65,2 milhões em apoios comunitários.

(Fonte: Ministério da Agricultura)