Imprimir esta página

Evora

Feira de S,João: “Equacionamos vir a fazer a Feira noutro local mas para já não há financiamento “ diz Presidente da CM de Évora(c/som)

Regional Escrito por  27 Jun. 2022

 

Arrancou no passado dia 23 de junho mais uma edição da feira de S. João, em Évora, um dos certames mais importantes para a cidade e que atrai milhares de visitantes á capital do distrito de Évora.

À margem da realização da sessão ordinária da Assembleia Municipal de Évora, realizada no passado sábado em São Miguel de Machede, a Rádio Campanário falou com o Presidente da Câmara Municipal de Évora, Carlos Pinto de Sá, sobre esta edição da Feira.

O Autarca começou por nos referir “estamos surpreendidos com a participação popular “acrescentando “sabíamos que havia alguma ansiedade mas os primeiros dias têm excedido as nossas expetativas o que é bom sinal, significa que estamos a retomar a atividade normal e que as pessoas estão ansiosas de se encontrarem e conviver.”

O tema para a edição deste ano do certame é a “Candidatura de Évora a Capital Europeia da Cultura” e, segundo o autarca, “isso motivou que um conjunto de associações tomassem em mãos e fizessem propostas para esse processo de candidatura.”

Carlos Pinto de Sá, relativamente ao desejo que este executivo tem de modernizar o conceito da feira, começa por explicar à RC que esta modernização passaria por uma mudança de local do espaço que acolhe a feira tendo referido “o que gostaríamos era de equacionar a possibilidade da feira de São João passar ou não para outro sítio, o que é uma questão polémica dada a divergência de opiniões.”

Apesar da intenção, o Edil sublinha “Isto não é previsível porque não há financiamento nos próximos anos para que essa situação seja possível .”

Assim, o Presidente da Câmara Municipal de Évora adianta “mantendo a feira no Rossio é necessário arranjar urbanisticamente o espaço, pelo que vamos iniciar este ano um projeto de arranjo do rossio e esse projeto tem que ser adaptado à Feira de São João assim como a feira vai ter que se adaptar a esta reabilitação do espaço e fazer uma transição que contemplem inclusivé outras propostas.”

Carlos Pinto de Sá diz ainda que todas as opiniões contam e que a autarquia pretende “uma participação de todos no sentido de o que é que vamos fazer na feira”.

Apesar da estratégia de alteração estar pensada, o Edil sublinha igualmente “não é fácil alterar, as alterações têm que ser feitas a pouco e pouco mas já começámos a dar passos nesse sentido” destacando o novo layout da feira que surgiu este ano e que recupera cartazes do certame de anos anteriores.