Sines

Galp escolhe Sines para construir refinaria de 35mil toneladas de lítio por ano

Regional Escrito por  02 Dez. 2021

Na proposta que entregou às agendas mobilizadoras da Economia, para fundos do PRR, a Galp identificou "os locais de implementação da mina e refinaria, respetivamente, em Boticas e Sines", avança o ECO/Capital Verde.

O complexo de Sines é afinal o local escolhido pela petrolífera portuguesa Galp e pela mineira britânica Savannah Resources para “implementar uma refinaria sustentável de processamento de lítio em Portugal, que produza entre 25 a 35 mil toneladas por ano de lítio refinado de elevada qualidade (battery grade), suficiente para a produção de mais de 1 milhão de veículos elétricos por ano na UE”.

Para isso, garantem manter a “coesão territorial nos locais de implementação da mina e refinaria, respetivamente Boticas e Sines”, de acordo com a síntese do projeto divulgada aos jornalistas pelo Ministério da Economia, e que foi entregue pela mão das próprias empresas às Agendas Mobilizadoras para a Reindustrialização e Agendas Verdes para a Inovação Empresarial.

Ainda ao ECO/Capital Verde, fonte oficial da Galp confirmou que avançou de facto com a localização de Sines na candidatura aos fundos do PRR, mas continua a dizer que o local de construção da refinaria de lítio não está ainda 100% fechado. A refinaria de Matosinhos, mais a norte, chegou a ser falada como uma opção, após o seu fecho, mas essa hipótese foi sempre negada pela Galp.

O projeto da Galp, tal como foi como apresentado, já está pré-selecionado e entre os 64 finalistas, sendo um dos 12 escolhidas também para as Agendas Verdes) e propõe-se a investir 980,5 milhões de euros para estabelecer uma operação mineira sustentável em Portugal, que produza entre 170 a 200 mil toneladas por ano de espodumena.

Mas também implementar uma refinaria sustentável de processamento de lítio. O único entrave à sustentabilidade neste plano, é que o lítio terá de viajar quase 600 km desde a mina do Barrroso da Savannah, em Boticas (onde é extraído e concentrado), até Sines, onde será então refinado, aumentando a pegada carbónica de toda a operação.Nos planos que envolvem a Savannah está previsto também potenciar a assemblagem e reciclagem de baterias de lítio em Portugal.

“A Agenda Cadeia de Valor das Baterias de Lítio em Portugal encontra-se estruturada em sete Work Packages: 1. Mineração, 2. Refinação, 3. Baterias, 4. Economia Circular, 5. Qualificação e Competências, 6. Promoção e Divulgação e 7. Gestão da Agenda”, pode ler-se na síntese de projeto do Ministério da Economia.

A empresa liderada por Andy Brown também está pré-selecionada para apoio do PRR num investimento de 722 milhões de euros para implementar no complexo industrial de Sines a produção de hidrogénio verde através da instalação de um eletrolisador de 100 MW que irá gerar 10 mil toneladas de hidrogénio renovável, anualmente, estando o offtake garantido pelos demais projetos, numa lógica de complementaridade.

Mas também se propõe produzir etanol sintético, bioetanol avançado e Alcohol-to-Jet. Além disso, está previsto criar uma unidade inovadora de hidrodesoxigenação de resíduos reutilizando o equipamento proveniente da refinaria de Matosinhos desativada, o que permitirá reduzir o investimento do projeto e reduzir a necessidade de materiais novos.

Os projetos dos 64 consórcios pré-selecionados vão ser apresentados publicamente esta quinta e sexta-feira, em Leixões, num evento que conta com a presença do primeiro-ministro e do ministro da Economia. A vez da Galp será na sexta-feira, no lote destinado à Energia – Hidrogénio e Lítio.

 

C/ECO/Capital Verde

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Agosto 2022 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31