Incendios

Investigação criminal ao incêndio de Pedrógão Grande “segue o seu curso”, diz Ministra da Administração Interna (c/som)

Regional 22 Set. 2017

Nos primeiros oito meses do presente ano, a Polícia Judiciária identificou e deteve 80 pessoas pela autoria de crime de incêndio florestal, encontrando-se a decorrer investigações relativamente aos incêndios ocorridos em Pedrógão Grande, no final de junho de 2017.

Neste momento, “temos uma investigação de natureza criminal que segue o seu curso”, afirma, Constança Urbano de Sousa, Ministra da Administração Interna, em declarações à Rádio Campanário, à margem do Compromisso de Honra dos Guardas Provisórios da GNR, em Portalegre.

Existe “uma série de relatórios que ainda estão para serem entregues” entre o final de setembro e o início de outubro (nomeadamente os relatórios da Comissão Independente, do Instituto de Telecomunicações e do Professor Xavier Viegas), altura em que “serão analisados e serão naturalmente divulgados”.

Recorde-se que o incêndio de Pedrógão Grande resultou em 64 mortos e mais de 200 feridos.

Tal como o incêndio de Pedrógão Grande, o incêndio de Góis deflagrou aos concelhos vizinhos de Castanheira de Pera, Ansião, Alvaiázere, Figueiró dos Vinhos, Arganil, Penela, Pampilhosa da Serra, Oleiros e Sertã, ardendo um total superior a 50 mil hectares.

Foi então criada uma Comissão Técnica Independente, composta por 12 técnicos, para analisar e apurar os factos relativos aos incêndios ocorridos nos concelhos suprarreferidos, entre os dias 17 e 24 de junho de 2017.

 

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Dezembro 2019 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 31