Alto Alentejo

Juventude Socialista de Portalegre e C. Branco pedem o encerramento da Central de Almaraz

Regional 04 Jul. 2020

As Federações da Juventude Socialista de Castelo Branco e de Portalegre defendem o encerramento da Central Nuclear de Almaraz, na sequência dos novos incidentes ocorridos naquela Central.

Em comunicado conjunto, enviado à nossa emissora, as duas Federações referem que “o encerramento da Central Nuclear de Almaraz é uma proposta política que ambas as estruturas têm defendido e um processo que têm acompanhado, o que se tem traduzido em várias iniciativas, como a sua inclusão em documentos políticos orientadores, e que agora culminam nesta posição conjunta”.

A JS distrital de Castelo Branco e Portalegre consideram que “as autoridades nacionais devem continuar a envidar esforços para um reforçado envolvimento neste processo, pressionando o encerramento definitivo da produção nuclear em Almaraz, antecipando a data prevista para o seu encerramento para a mais imediata possível” e que “a tutela deve ministrar formações específicas às corporações de bombeiros dos distritos de Castelo Branco, Portalegre e outras, com elevado teor técnico e informativo no plano das emergências radiológicas, tendo em vista uma preparação inequívoca dos operacionais em caso de acidente nuclear”.

“Consideramos que a transição sustentável das economias deve ter reflexo na sua política energética, apostando em energias limpas e abandonando formas de produção de energia anacrónicas, que não se coadunam com os desafios do século XVI, tendo potencial de risco para a saúde pública e cujo prazo útil de vida já expirou. A isto acresce os sucessivos incidentes registados na Central Nuclear, com enfoque na última semana do passado mês de junho, puros reflexos da sua instabilidade infraestrutural. Estas variáveis intensificam a necessidade e a urgência do encerramento desta central nuclear”, frisam as duas Federações socialistas.

 

Leia aqui o comunicado na íntegra:

Na sequência de novos incidentes na Central Nuclear de Almaraz, as Federações da Juventude Socialista de Castelo Branco e de Portalegre defendem, em comunicado conjunto, a necessidade de encerrar a Central Nuclear de Almaraz, limítrofe destes dois territórios.

O encerramento da Central Nuclear de Almaraz é uma proposta política que ambas as estruturas têm defendido e um processo que têm acompanhado, o que se tem traduzido em várias iniciativas, como a sua inclusão em documentos políticos orientadores, e que agora culminam nesta posição conjunta.

Consideramos que a transição sustentável das economias deve ter reflexo na sua política energética, apostando em energias limpas e abandonando formas de produção de energia anacrónicas, que não se coadunam com os desafios do século XVI, tendo potencial de risco para a saúde pública e cujo prazo útil de vida já expirou. A isto acresce os sucessivos incidentes registados na Central Nuclear, com enfoque na última semana do passado mês de junho, puros reflexos da sua instabilidade infraestrutural. Estas variáveis intensificam a necessidade e a urgência do encerramento desta central nuclear.

As recomendações portuguesas sobre o prolongamento da vida útil desta central, no relatório elaborado pelo Grupo de Trabalho Técnico Bilateral, tiveram acolhimento. Do mesmo modo, o Governo de Espanha planeou uma calendarização, na sua planificação de energia e clima, para o encerramento das suas centrais nucleares, datando o encerramento de Almaraz para esta década.

Não obstante, os jovens socialistas do distrito de Castelo Branco e de Portalegre consideram que:

. As autoridades nacionais devem continuar a envidar esforços para um reforçado envolvimento neste processo, pressionando o encerramento definitivo da produção nuclear em Almaraz, antecipando a data prevista para o seu encerramento para a mais imediata possível.

. A tutela deve ministrar formações específicas às corporações de bombeiros dos distritos de Castelo Branco, Portalegre e outras, com elevado teor técnico e informativo no plano das emergências radiológicas, tendo em vista uma preparação inequívoca dos operacionais em caso de acidente nuclear.

. A legislação europeia deve avançar, nestes casos, para a necessidade de uma avaliação de impacto ambiental mais garantística e transfronteiriça.

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Agosto 2020 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31