Imprimir esta página

Alentejo

Mértola: Homem deixa carro em oficina para reparação, horas depois a GNR bate-lhe à porta e diz que o carro esta acidentado!

Regional 15 Set. 2021

O insólito resume-se facilmente. José Rocha é advogado, vive entre Lisboa e Odemira, de onde é natural e onde tem um escritório. Comprou um carro de gama alta, um BMW X6, e em março, em Odemira, amolgou uma das portas do automóvel numa manobra mal calculada junto a um muro.

Procurou uma oficina na capital para fazer a reparação e por sugestão de um amigo, deixou o automóvel a reparar numa oficina junto ao Saldanha, na capital.

Até aqui, tudo decorria normalmente, no entanto o insólito aconteceu no dia seguinte ao final da tarde, quando uma patrulha da GNR lhe "bateu à porta de casa, em Odemira, a dizer que o seu carro tinha sido encontrado em Mértola, no Alentejo, acidentado, possivelmente capotado, não se sabia bem."

Segundo a GNR, o automóvel foi encontrado, aparentemente acidentado, mas sem qualquer ocupante, 24 horas depois de ter entrado na oficina para reparar em Lisboa. O BMW X6 estava sem uma roda, com um vidro partido e sem os bancos traseiros, na Nacional 265, entre Serpa e Mértola, a apenas 19 km da fronteira com Espanha. O local, no sul do distrito de Beja, é muito pouco movimentado, sobretudo à noite, e conhecido por movimentos relacionados com o tráfico de droga, entre Espanha e Portugal.

Preocupado dirigiu-se á oficina onde tinha deixado o veículo para reparação  onde, afinal, o BMW X6 do advogado estava imaculado, e a acabar de ser arranjado.

A história é contada pela TVI na sua rubrica "Acontece aos Melhores" e para Paulo Veiga e Moura, advogado especialista em direito administrativo que adianta a esta fonte "A probabilidade do carro ser exatamente igual, ter as mesmas características, é difícil, é difícil."

José Rocha pediu à GNR fotografias do carro que tinha sido encontrado em Mértola e a confirmação chegou logo depois "de facto, era um carro igual ao meu, com a mesma matrícula, a mesma cor. O meu carro foi literalmente falsificado" acrescentando "uma falsificação que poderia ter sido detetada logo que o clone do carro de José foi encontrado pelas autoridades junto à fronteira com Espanha, isto porque, independentemente do aspeto físico e da matrícula, todos os automóveis têm inscrita, em várias partes da carroçaria, uma combinação de letras e de números que torna cada carro único. É o número de identificação do veículo, conhecido habitualmente como número de chassi. "

O advogado Paulo Veiga e Moura adianta ainda "A questão é que a polícia nem sequer vai ver o número de identificação do veículo. Tal como quando multa, se alguém usar a minha chapa de matrícula noutro carro, e se for encontrado na autoestrada em excesso de velocidade, pois garantidamente que vão mandar a multa para mim. É que no sistema aparece-lhes que o carro com a matrícula X pertence ao fulano Y".

De todo este insólito conclui-se que a  matrícula de José Rocha foi utilizada noutro automóvel para cometer infrações ou crimes, numa primeira instância, o advogado pode vir a ser chamado a responder por eles.

José Rocha apresentou uma queixa contra desconhecidos junto do Departamento de Investigação e Ação Penal de Beja, por alguém ter usado a matrícula do BMW X6 do advogado noutro carro, praticamente igual.

José Rocha considera o momento digno de uma cena de um filme e conclui dizendo: Acontece aos melhores!

Fonte/Foto: TVI