Estremoz

Ex-autarca Luís Mourinha pode regressar já em Março à Câmara de Estremoz (c/som)

Regional 26 Fev. 2019

Após a perda de mandato de Luís Mourinha como presidente da Câmara Municipal de Estremoz, decretada pelo tribunal, Francisco Ramos assumiu a presidência da referida autarquia.

Numa extensa entrevista concedida à Rádio Campanário, Francisco Ramos abordou vários temas, entre eles a possível contratação de Luís Mourinha em regime de avença como conselheiro do atual executivo.

Segundo Francisco Ramos, a contratação de Luís Mourinha “é uma hipótese que está encima da mesa, Luís Mourinha foi condenado a perder o mandato de presidente de câmara, portanto aquilo que ele está inibido de executar durante o que resta deste mandato e do próximo é ser presidente de câmara ou vereador, todos os seus direitos e obrigações restantes estão salvaguardados”.

“Luís Mourinha pode exercer qualquer atividade que não seja a de presidente de câmara ou de vereador”
Francisco Ramos

O atual presidente deu conta aos microfones da RC que “entende que para o município de Estremoz a experiência acumulada por Luís Mourinha e o conhecimento que tem nas mais diversas áreas seria ingenuidade minha não aproveitar essas potencialidades. O convite foi-lhe endereçado por mim e estou a aguardar a sua decisão”. Francisco Ramos acrescenta que “se ele não aceitar Estremoz perde, se aceitar certamente será uma mais valia”.

 A Rádio Campanário questionou Francisco Ramos sobre se esta decisão seria uma forma de contornar a lei, ao que o presidente disse “a lei é muito clara e permite que ele possa ser contratado por avença”. Francisco Ramos revela que podem existir interpretações que esta possível contratação seja uma forma de contornar possíveis erros da sentença judicial, no entanto frisa que “o que eu pretendo com esta contratação é uma mais valia para o concelho de Estremoz, quem sai a ganhar são os estremocenses”.

“Estou convencido que estou a interpretar de forma muito fiel o sentimento dos estremocenses”
Francisco Ramos

Para Francisco Ramos “os estremocenses não me perdoariam, se podendo-o fazer, não convidasse Luís Mourinha para continuar a desenvolver o trabalho que iniciámos faz 9 anos”.

Esta emissora questionou Francisco Ramos sobre a importância de Luís Mourinha no projeto do executivo, ao que nos foi dito “as decisões serão sempre minhas ou do órgão executivo de que ele, infelizmente, neste momento não faz parte. Ele será acima de tudo um conselheiro num conjunto de áreas onde é extremamente forte”. Francisco Ramos apontou “o desenvolvimento económico, ao nível de conseguir investimento para o concelho” como “as mais valias que ele tem, que não podem ser desperdiçadas”.

“Eu estaria a prestar um mau serviço ao concelho se deixar passar esta oportunidade”

Francisco Ramos   

O autarca aponta “a captação de investimento exterior para a região” como as principais funções a atribuir a Luís Mourinha. O edil acrescenta ainda “que cada vez que se consiga atrair investimento que venha a gerar nem que seja um posto de trabalho, já é uma mais valia, e eu penso que Luís Mourinha tem todas essas virtudes e capacidades. Ele tem um vasto leque de conhecimentos que irão ser altamente benéficos para o concelho”.

Quando questionado pela Campanário sobre o carisma e reconhecimento de que Luís Mourinha é alvo, Francisco Ramos foi perentório dizendo que “isso é reconhecido até por aqueles que não gostam dele”.

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Novembro 2019 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30