Evora

“Não se percebe porque é que, estando tudo preparado, a adjudicação da obra do novo Hospital não é feita”, diz Carlos Pinto de Sá (C/SOM)

Regional 05 Jul. 2020

Em declarações à Rádio Campanário, Carlos Pinto de Sá, presidente da Câmara Municipal de Évora, disse que tem visto “com alguma estranheza” as declarações que têm sido feitas para “justificar os atrasos” da adjudicação da obra do novo Hospital Central do Alentejo, em Évora.

O autarca recordou que “o Sr. Primeiro-ministro esteve em Évora a fazer o lançamento do novo hospital e anunciou um calendário, que era perfeitamente exequível e é incompreensível que ele não tenha sido cumprido”.

“É evidente que há sempre um ou outro problema. Mas o problema é que, em cada etapa, aquilo que se verifica é que há sempre atrasos e mais atrasos absolutamente incompreensíveis”, lamentou Carlos Pinto de Sá.

O edil frisou que “a situação dos Fundos Comunitários está resolvida há mais de um mês”, pelo que “não se percebe porque é que, estando tudo preparado, a adjudicação da obra não é feita”. Carlos Pinto de Sá disse ainda que o Município de Évora já interrogou a Administração Regional de Saúde (ARS) do Alentejo, mas “ainda não tivemos resposta”.

“Aquilo que eu sei é que todo o processo foi entregue à ARS do Alentejo e foram eles que desencadearam o concurso e que fizeram a avaliação, portanto, o que eles têm a fazer agora é a adjudicação da obra”, contou o presidente da autarquia eborense, que espera que “no mais curto espaço de tempo possível, a adjudicação seja efetuada, o que será também um contributo para minimizar a crise económica que temos, uma vez que estamos a falar de uma obra de muitos milhões de euros e quetem um impacto muito forte na economia regional e em Évora”.

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Agosto 2020 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31