Estremoz

"Não sendo um oásis, a situação financeira do Município de Estremoz recomenda-se e terá investimento forte”, diz Francisco Ramos (c/som)

Publicado em Regional 12 março, 2019

Francisco Ramos, recém-empossado Presidente da Câmara Municipal de Estremoz, após a perca de mandato de Luís Mourinha, decretada pelo tribunal, concedeu uma entrevista à Rádio Campanário onde abordou o estado das contas do município de Estremoz e os investimentos previstos, que a nível da autarquia, quer a nível privado.

Francisco Ramos começou por dizer aos microfones da Campanário que “o município de Estremoz não sendo um oásis, penso que soubemos dar passos seguros, e do ponto de vista financeiro vivemos uma situação perfeitamente estabilizada”. O autarca refere que a Câmara “tem um prazo médio de pagamento de meia dúzia de dias, não temos pagamentos em atraso, o que me parece que é um sintoma extraordinário”. Relativamente a dívidas, o autarca diz que “a dívida é exclusivamente com a banca, é comercial, está na ordem dos 6,5 milhões de euros, mas é escalonada por vários anos”, o que o leva a considerar que “o Município de Estremoz recomenda-se”.

“num curto prazo temos aqui muito investimento por parte da Camara Municipal”
Francisco Ramos   

Tendo em conta estas afirmações, a Rádio Campanário questionou o autarca sobre os investimentos previstos, ao que Francisco Ramos disse que “temos em carteira um conjunto de investimentos municipais, todos eles já garantidos do ponto de vista do financiamento, designadamente com fundos comunitários e com a componente nacional”.

De uma forma mais pormenorizada, o edil disse aos nossos microfones que “temos a decorrer as obras de recuperação das Portas dos Currais, temos também o auto de consignação da obra da Biblioteca Municipal (tal como noticiado pela RC), estamos a ultimar o projeto das portas de Sta. Catarina, temos também em fase de apreciação das candidaturas a sede da Banda Filarmónica de Veiros, a segunda fase da zona industrial de Arcos irá ser iniciada, um depósito de água também em Arcos, irá existir um conjunto de pavimentações no concelho de Estremoz que estão também garantidos onde já temos o empréstimo aprovado e concluído”.

A RC questionou também o recém-empossado autarca sobre os investimentos privados que estão previsto no concelho estremocense, ao que Francisco Ramos disse que “existe interesse de um grupo chinês, num processo iniciado por Luís Mourinha, é um projeto que tem que ver com um hotel junto ao campo de futebol”, explicando depois que se trata de “um espaço que é da autarquia e está já comprometido com esse grupo chinês. O investimento será de dezenas de milhões de euros”.

O edil referiu que “se o projeto se vier a concretizar é um investimento de uma envergadura, para o nosso concelho, muito elevada”, podendo mesmo vir a comportar “algo ligado com a medicina chinesa”.

Na área cultural, Francisco Ramos disse aos microfones da RC que "o comendador Berardo está a concluir a recuperação de um palácio onde vai funcionar o museu do azulejo, tenho também conhecimento que adquiriu outro espaço museológico, onde funcionava o antigo museu da alfaia agrícola, que irá ter como finalidade um outro museu”.

O edil considera que todo este investimento “poderá tornar Estremoz, a par de Évora, uma das principais referências museológicas a sul do tejo”.

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Setembro 2019 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30